Apenas 5 acordos vão devolver R$ 423 milhões para Petrobras. E o que o PT, PMDB e PP roubaram nos últimos 12 anos, como será recuperado?

João Vaccari Neto, o tesoureiro honorário do PT, operava todo o esquema e continua ganhando R$ 20 mil mensais como conselheiro de Itaipu. Cuidado com as turbinas!

Numa série de acordos e confissões de fraudes sem paralelo em processos judiciais brasileiros, cinco delatores da Operação Lava-Jato já se comprometeram a devolver R$ 423 milhões. As somas já estão bloqueadas em contas no Brasil e no exterior, e a devolução aos cofres públicos depende apenas de decisões judiciais burocráticas. Só o ex-gerente Pedro Barusco, um dos supostos cúmplices do ex-diretor de Serviços Renato Duque, firmou compromisso de devolver aproximadamente US$ 100 milhões, algo em torno de R$ 253 milhões, segundo disse ao GLOBO uma autoridade que acompanha o caso.

O valor é superior ao que a presidente Dilma Rousseff e o senador Aécio Neves (PSDB) teriam gasto, cada um, durante a campanha eleitoral deste ano. Dilma planejou despesas da ordem de R$ 300 milhões. Os gastos de Aécio teriam ficado em torno de R$ 290 milhões. Trata-se também do maior volume de recursos a ser devolvido a partir de acordos de delação premiada no país. Até então, a maior quantia a ser devolvida por um delator era a do ex-secretário de Assuntos Institucionais do Distrito Federal Durval Barbosa, operador do mensalão do DEM. Dinheiro e bens a serem devolvidos por Barbosa giram na casa dos R$ 100 milhões, conforme cálculos do Ministério Público local.

A escalada de delações, associada à confissão de culpa e à devolução de dinheiro desviado, começou com o ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa. O ex-diretor entregou a estrutura de corrupção em contratos de empreiteiras com a Petrobras e assumiu por escrito o compromisso de devolver aproximadamente R$ 70 milhões. Desse total, US$ 23 milhões (R$ 58 milhões) estão bloqueados em contas bancárias na Suíça. Com o caminho aberto, o seu ex-cúmplice no esquema, o doleiro Alberto Youssef, também decidiu confessar envolvimento com a corrupção e entregar aproximadamente R$ 50 milhões.

Não demorou, o executivo Júlio Camargo, da Toyo Setal, decidiu fazer o mesmo. O empresário concordou em pagar R$ 40 milhões a título de ressarcimento dos cofres públicos e contar ao Ministério Publico como e para quem pagou propina em troca de contratos com a maior estatal brasileira. Augusto Ribeiro, outro executivo da Toyo Setal, dispôs-se a pagar R$ 10 milhões e também complementar os relatos sobre os subornos de dirigentes da Petrobras e de intermediários das negociatas.

Os procuradores da força-tarefa da Operação Lava-Jato estavam cientes da importância histórica dos valores a serem devolvidos pelos delatores. Numa cartada emblemática, procuradores obtiveram o compromisso de que Barusco devolverá aproximadamente US$ 100 milhões. Parte do dinheiro, US$ 20 milhões, já está bloqueada em contas na Suíça. Barusco é ligado a Renato Duque, que ocupou a diretoria de Serviços da Petrobras até 2012 por indicação do PT. Barusco dediciu entregar o dinheiro depois de terem sido denunciados por Camargo e Ribeiro. 

“DEPOIMENTOS DETALHADOS”
“Com efeito, os depoimentos transcritos são bastante detalhados, revelando pagamentos de propinas em diversas obras da Petrobras, como na Repav, Cabiúnas, Comperj, Repar, Gasoduto Urucu Manaus, Refinaria Paulínea, a Renato Duque e ainda a gerente da Petrobras de nome Pedro Barusco, com detalhes quanto ao modus operandi e as contas no exterior creditadas”, sustenta o juiz Sérgio Moro ao decretar a prisão de Duque e outros 26 investigados na Lava-Jato, na semana passada.

Barusco só não foi preso porque decidiu colaborar com a Justiça e devolver o dinheiro desviado. Os acordos de delação e devolução de expressivas somas em espécie são resultado do trabalho de procuradores da força-tarefa e de Sérgio Moro. Um dos procuradores, Carlos Fernando, e Moro são especialistas na questão.

Paulo Roberto Costa decidiu abrir o jogo ao Ministério Público e à Polícia Federal numa tentativa de evitar as prisões das filhas e dos genros, também acusados de envolvimento com a movimentação de dinheiro de origem ilegal. Segundo um de seus advogados, ele estava deprimido e decidiu contar tudo e devolver o dinheiro como uma forma de libertação.

Alberto Youssef resistiu longamente, mas acabou decidindo colaborar por pressão da mulher e da filha. Elas tinham receio de que o pai tivesse destino parecido com o de Marcos Valério, o operador do mensalão do PT. Valério foi condenado a mais de 40 anos de prisão. Os outros cúmplices foram punidos com penas menores, e muitos deles já estão soltos. Os outros delatores também começaram a contar o que sabem por medo de permanecerem longos anos na cadeia. (O Globo)

9 comentários

É fácil saber quais os próximos passos do governo do PT. Basta observar os países vizinhos. Na Argentina governo se volta contra o Facebook e lança o Facebook popular . Na Venezuela , exatamente a mesma coisa.

Reply

Bom dia, Coronel.

Apenas retransmito fonte.

http://www.aquinao.org/impossivel-lula-dilma-e-abin-nao-saber-500-pessoas-sabiam/

Boa recuperaçao.

Reply

Coronel,

é isso aí!
Cadê o dinheiro dos mensaleiros???

Será que a PF está seguindo o rastro do dinheiro do Lula e Lulinha? Suas fazendas, a OI, a Friboi, as super-palestras de Dom Lula??

Queremos o dinheiro de volta!

A saúde está um CAOS. Da mesma maneira a segurança! Desviaram nosso dinheiro e o Brasil está na penúria.

A educação está arrasada. O Ciência sem Fronteiras não tem qualquer controle e os brasileiros estão , na maioria, nos envergonhando no exterior, tirando férias!

E essa corja está doutrinando nosso jovens e crianças com cartilhas e livros e aulas, para a "revolução socialista", para o COMUNISMO!

Leram o Rodrigo Constantino que a Chris postou aqui ontem?

http://veja.abril.com.br/blog/rodrigo-constantino/educacao/criancas-brasileiras-recrutadas-para-doutrinacao-na-venezuela/


Flor Lilás

Reply

Pedro Barusco, lambari pequeno, subalterno a Renato Duque, ex-Diretor de Serviços da Petrobrás, comprometeu-se a devolver R$252 milhões, posto que foi denunciado pela Camargo Correa.

Enquanto isto, Renato PETRALHA Duque disse que não tem nada a declarar?????

Este safado está, obviamente, acobertando o PT, pois se falar cairá a casa petralha de uma vez e a lama subirá a rampa do planalto.

Eu quero ver o circo petralha pegar fogo e esta gentalha ir para a PAPUDA!


Chris/SP

Reply
Despetralhando mod

O pt e pmdb, até podem devolver alguns milhões, já o barba X-9dedos dirá que gastou tudo com uma vadia de programas, por isto, está impedido de devolver este dinheiro roubado.

Reply
Despetralhando mod

É operação lava jato ou pega rato?
Para limpar esta kgança, só água não resolve, pois o odor está acabando com o que restava de ar puro de Banânia

Reply

Isso tem uma cara de PilanTra vagabundo e PaTife que não engana ninguém !

Reply

Cel
Será que o Dirceu voltará para a Papuda? Se o Pedro B. vai devolver US100 mil e era suballterno do Duque que não quer falar, sabemos que é da cota do Dirceu, imagine o quanto o Duque roubou e passou p/ o Dirceu. Acho que, mesmo sem delação premiada, o PB vai botar o Duque na roda viva e, consequentemente, o Dirceu.
Esther

Reply

DOUTOR SÉRGIO MORO, faça com o
petralha Duque o que fez com o Paulinho, cerque parentes e amigos
do bruto e aperte que ELE GEME!

Reply