A farsa das cotas.

Ao mudar o vestibular pelo ENEM para selecionar os ingressantes em 50% das vagas do ensino superior público, Dilma e Mercadante estão dando o retoque final na farsa das cotas. Os alunos de escolas públicas tem, via de regra, médias 20% menores na prova do que os alunos de escolas particulares. Com algumas exceções. Os alunos dos colégios de aplicação (administrados pelas universidades federais), os institutos federais e os colégios militares tem notas iguais às escolas privadas. Sabem por quê? Porque fazem um "vestibulinho", onde os alunos mais qualificados são selecionados, numa espécie de "exame de admissão". Com as cotas,  alunos formados por estes estes excelentes colégios serão privilegiados, em detrimento da grande maioria que estuda em colégios estaduais de péssima qualidade. Em vez de "democratizar" o acesso ao ensino superior, o governo deveria "democratizar" o acesso às escolas públicas de luxo, financiadas pelos cofres públicos federais. Ou deixar os alunos de institutos federais, escolas militares e colégios de aplicação fora das cotas.

Atualização às 11:16

O Colégio Militar de Porto Alegre forma cerca de 160 alunos por ano, no ensino médio. A UFRGS oferecerá, com as cotas, 2.500 vagas para egressos de escola pública. Se estes 110 alunos forem aprovados, a escola terá abocanhado cerca de 6,5% das vagas. Já o Instituto Federal da cidade vizinha da capital, Sapucaia do Sul, forma outros 170 alunos por ano. Se todos forem aprovados, pois terão as melhores notas, somentes estas duas escolas já terão abocanhado 13% das vagas. Serão ou não privilegiados?

20 comentários

Não seja injusto Coronel.
Qual a quantidade de colégios militares e assemelhados que existe no Brasil e quanto isso significa no universo das vagas? Aposto que não dá nem 0,3%. Queira citar onde e quantos são os colégios militares e qual a quantidade de alunos. Podemos até criticar as cotas, pois tiram a "moleza" dos que podem pagar por cursinhos. Mas não podemos generalizar ao ponto de achar que as cotas são inviáveis e injustas.

Reply
Johnnie Walker mod

Meus dois filhos tiveram a oportunidade e o mérito de estudarem por um período nos CMPA e CMBR. Não há comparação com qualquer outro tipo de escola, em termos de conteúdo, disciplina e aproveitamento dos alunos. Como dizem aqui, os colégios militares dão um banho. Quem passa por lá não precisa de cotas para nada na vida. Esse é o modelo que deveria ser adotado por todas as escolas brasileiras.

Reply
lulla vá tomar no SUS! mod

Me permito não comentar o critério das cotas, o critério de seleção MAIS RACISTA da História do Brasil.

Queria me fixar apenas nos pontos apresentados pelo nobre Coronel:

- CONCURSO. O mais democrático e eficiente sistema de seleção da face da terra:
Estudou passou.
Ficou de vagabundagem levou BOMBA.
Simples, eficiente e eficaz.
(A excessão à regra só existe se o candidato for "adevogado" do PT. Aí elle chega até a ministro do STF mesmo levando BOMBA duas vezes em concurso para juiz substituto).

- DISCIPLINA e ALUNOS UNIFORMIZADOS. A base do aprendizado, e não importa o que diga o Paulo Freire, o comuna queridinho de 11 entre 10 "pedabobas" no Brasil.
Não fosse assim a Europa interira a Asia e a Europa - não seriam exemplos para ninguém.
Começou de esculhambação na aula - RUA! E não adianta depois a Rosicleide querer dar porrada na professora que expulsou da sala o Vandercleidson Junior - seu filhinho marginal - que SEMPRE é um ANJINHO estudioso...sei.
Não quer estudar que não perturbe os outros que querem e, a FAMÍLIA É RESPONSÁVEL SIM PELA EDUCAÇÃO DO "MENINO". NÃO BASTA DEIXAR O "MALA" NA ESCOLA TEM DE ACOMPANHAR...
NÃO QUIZ FAZER FILHO NO BAILE FUNK? NÂO GANHA O BOLSA FAMÍLIA DO PT? AGORA EMBALE.

- CORPO DOCENTE MOTIVADO. Bem pago, com plano de carreira estruturado, envolvido com a educação de seus alunos. Assim tem sido nos Colégios Militares.

Não adotar esses critérios simples e generalizar essa esculmbação
apregoada pelo MEC. Significa acabar com pouco que resta de ensino de qualidade no país.
O Colégio Pedro II já foi vítima dessa pouca vergonha, agora os PTRalhas querem acabar com o CAP e com os Colégios Militares.

Certamente o próximo passo serão as "cotas" para os programas de pós-graduação, Mestrado e Doutorado. Assim vamos legitimar os critérios de titulação fajuta por R$1,99 que "noço minixtro da educassão" já inaugurou na UnicamPT.

Reply

O "vestibulinho" não ocorre nos Colégios Militares. Pelo contrário, os Colégios recebem alunos de pais transferidos pelo Brasil afora, com vários níveis de educação, decorrentes das diferenças regionais. Além disso, nos Colégios Militares há atividades variadas, não só aquelas ligadas a campo cognitivo, como ocorrem em outros colégios, que fazem preparação intensiva para o ENEM e Vestibular. Nos Colégios Militares há educação integral: coginitiva, afetiva e psicomotora.O sucesso dos Colégios Militares, apesar das diferenças no nível nos alunos que ingressam, é devido aos seguintes motivos: professores altamente qualificados, disciplina, planejamento, cumprimento dos programas, horários e normas, estrutura de ensino, acompanhamento do rendimento, apoio aos alunos, dentre outros

Reply

"A farsa das cotas", um poste como "Presidente farsa" e "um Ministro prá lá de falso". As cotas são a instituição da incapacidade do Estado, e da distinção entre cidadãos de primeira e última classes. Viva a ignorância, se for capaz sob a ignorância, e viva a hipocrisia do brasileiro.

Reply

O Senhor tem toda razão, coronel.

Eu estudei numa escola técnica de SP, as chamadas "Etecs", creio que já devem ter ouvido falar.
Elas possuem nível de colégio particular.

Vestibular em ampla concorrência é difícil para todo mundo, sem exceção. Agora, estudar num colégio superior e disputar vaga somente com alunos de colégios públicos comuns é muito baba.

Reply

Elucubrações petistas e seus resultados na prática
Artigo no Fique Alerta – www.fiquealerta.net
Por Mara Montezuma Assaf

Os teóricos do PT vão pondo em prática o resultado de suas elucubrações ideológicas e dessa maneira vão levando o caos aonde quer que coloquem suas mãos... Se hoje o problema da ousadia dos menores carentes-delinquentes é aterrorizador para toda a sociedade, é apenas fruto da aplicação do Estatuto da Criança e do Adolescente tal como foi redigido. Por intermédio desse estatuto o Estado brasileiro delegou a maior responsabilidade dos cuidados desses abandonados a eles próprios...

E ainda de lambuja lhes agraciou com a impunidade total de seus atos infracionais e/ou criminosos. Agora, o governo federal, sob a desculpa de sanar uma dívida histórica do país para com os negros, abre as comportas das universidades federais garantindo-lhes 50% das vagas...sem nunca lhes ter ofertado antes um ensino de qualidade nos níveis fundamental e médio.

O MEC publicou o IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) no qual se vê que a nota das escolas públicas é 3,4 . Sendo assim, entrarão nas universidades federais pessoas totalmente despreparadas até para entender um texto mais complexo... A consequência imediata será o rebaixamento do nível dos estudos nessas universidades para que tais alunos não sejam "penalizados"...

E o governo do PT ainda vai alegar nos palanques que a dívida para com os negros está sendo paga, quando no meu entender, ela apenas se avolumou ainda mais. Cada vez aumentará a distância entre o nível profissional de um negro cotista de um outro brasileiro que tenha se formado por mérito próprio, através de um ensino de qualidade oferecido pelas escolas particulares...

O PT está tentando construir uma pirâmide social à partir do cume... Pobre Brasil, e pobre dos brasileiros...

Reply

Prezado Coronel
Creio que o senhor esteja equivocado.
Vestibulinho? O senhor poderia ir até um colégio militar e verificar o grau de dificuldade de uma prova de admissão. Verá que só quem realmente se aplica e estuda de verdade passa.
Ora, ora, Coronel, como já foi comentado abaixo por alguém, o Governo que acabe com esse lixo discriminatório de cotas e implante um ensino igual aos institutos, colégios de aplicação e colégios militares no restante do País!
A verdade é que não é essa a intenção e o senhor sabe disso. São outras, bem outras.
Não são poucos os professores que abominam o ENEM, tido como um grande erro enfiado goela abaixo. Um despautério, um trilho totalmente ideologizado que não dá chance de optar responder como certo, um quesito que seja, dentro daquilo que querem impor. Uma verdadeira lavagem cerebral.
O triunfo do ensino em Instituições de Ensino Militar é fruto de muito trabalho, competência e seriedade de muitos anos. Gostaríamos que todos fossem assim, pois não estamos disputando nada com ninguém! As pessoas que busquem o melhor para si. Por fim, ratifico que as cotas sim devem acabar e não os tais colégios de luxo ficar de fora.
Abraço

Reply

No RS a escola pública e a maioria das particulares estão atrassadíssimas, as escolas públicas do Norte (AM,AC)nas cidades, estão dando um banho em conteúdo e principalmente cidadania. Essa cartilha usada no Sul está deixando muito a desejar.

Reply

Coronel,
esperar o que do merdadante.

Reply

Coronel,
Sua atualização é mais uma falácia, pois somente considera uma capital. Em todo o Brasil, quantos colégios militares existem e qual a quantidade de alunos que formam por ano? E agora compare todo o universo de vagas que são distribuídas. Os números para comparação devem ser absolutos, e não relativos. É assim que aprendemos nos colégios militares.

Reply

OTIMO TEXTO!

OS CÃES BABÕES DE PAVLOV. OU: DILMA E MERCADANTE VÃO PRODUZIR O DESASTRE NA EDUCAÇÃO, MAS DE “MODO REPUBLICANO”. AHHH, BOM! QUE ALÍVIO!

http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/os-caes-baboes-de-pavlov-ou-dilma-e-mercadante-vao-produzir-o-desastre-na-educacao-mas-de-modo-republicano-ahhh-bom-que-alivio/


Chris/SP

Reply

Coronel, o senhor esqueceu de um detalhe, os colégios militares sim são públicos MAS (tem sempre um mas...) os seus alunos, em sua maioria, não preenchem os requisitos de insuficiência financeira para entrarem como cotistas. Duvido que um aluno de CM vá mentir e dizer que tem renda inferior a 1,5 salário mínimo per capita.
Enfim, a lei conseguiu criar uma nova máxima: ESTUDAR NÃO COMPENSA!
Parabéns petralhada!

Reply

COMO ANULAR COTAS?

Simples!!! Matricule seu filho(a) no ensino medio de uma escola publica qualquer no periodo noturno.Nao se preocupe com faltas, pois ninguem reprova mais em colegios publicos.
No periodo matutino, matricule-o(a) , em um cursinho pre-vestibular, durante os tres anos do ensino medio!

Nao vai ter pra nenhum "ze cotinha" pertencente ao curral eleitoral petista!

Reply

O Sistema de ingresso as universidades federais está cada vez mais duvidoso: ENEM com problemas todo ano e cotas. Por que o governo não cria "cursinhos públicos" de qualidade para quem os negros, indigenas ou estudantes das escolas públicas sucateadas - e depois MELHORAR AS ESCOLAS PÚBLICAS? Ora, se conhecimento hoje é fundamental, e é o principal critério dos vestibulares, não se pode fazer concessões neste quesito. As cotas só beneficiam os alunos dos colégios públicos de luxo e os que, ao contrário dos "sem-cotas", não precisam se esforçar tanto para conseguir uma vaga. Adivinha para onde os filhos dos políticos vão, se aprovarem a lei que obriguem eles a estudarem nas públicas??? As cotas são o "bolsa-esmola" da educação.

Os petistas estão fazendo de tudo MESMO para acabar com o Brasil, a começar pela educação: Desde 1989, em São Paulo, com Luiza Erundina do PT e Paulo Freire e sua aprovação automática (não, esta não foi invenção do PSDB)

Reply

Anônimo das 12:56

Considerei apenas a UFSC e duas cidades próximas. Ninguém sai da GRande Porto Alegre para estudar no Recife. Minha comparação está corretíssima. Vagas da UFSC x alunos privilegiados que irão para a UFSC pela proximidade.

Coronel

Reply

Anônimo das 12:56

Troque UFSC por UFRGS!

Coronel

Reply

A políticas de Cotas é a pá de cal no ensino público primário e secundário de qualidade. Simples assim.

Apenas os governadores de sérios, éticos e de brio vão investir em educação em seu estado para uma melhor formação dos jovens. De resto, teremos mais Alagoas no país do que São Paulos ou Minas Gerais.

Lembro a todos que uma das metas do REUNI, que é o programa de inchação das universidades, prevê que os professores aprovem 90% dos alunos das turmas de todo jeito. Com o acordo assinado entre o desgoverno e o Prolixo, a federação pelega do desgoverno, dá ao governo prerrogativas para decidir sem consultar os professores e estudantes, como deverá ser o ensino superior nas universidades. Imagine o que não vai sair daí?????

Reply

Veja onde estão os melhores alunos??? Em órgãos fora da jurisdição de governos estaduais e/ou sob a jurisdição direta de professores do magistério superior, que inclusive usam esses colégios para aprimorar metodologias educacionais. Nestes locais, as cobranças são muito maiores e muitas vezes em coisas mais simples do que estudar, como o uso do uniforme, a hora de chegar na escola e a disciplina geral.

Esses alunos não são privilegiados. São sortudos de terem acesso a um ensino melhor.

Reply

Olá coronel, é um prazer saber que alguém mais compartilha de minhas opiniões, estudei em escola pública e quase passei em medicina nas 10 únicas vagas existentes, no entanto, apenas estudantes de colégio militar ficaram com as vagas... É decepcionante pois quase adentrei em um colégio militar (pela prova já que não sou filha ou parente de algum militar), porém devido as mensalidades que são cobradas, os uniformes obrigatórios pensei que o colégio militar nunca seria classificado como público, já que você presta uma espécie de 'vestibular' para adentrar nele sendo que, haja vista, a Carta Magna (Constituição Federal) como a lei Nº 11.700, DE 13 DE JUNHO DE 2008 e/ou o ECA no capitulo 4º § V, como reclama o pai que não pode matricular seu filho em um desses colégios, por não ter vínculos militares mesmo morando ao lado de um colégio "público" condição a prioritária para obter acesso a matrícula, segundo assinatura do presidente Lula em sua gestão, ou seja, colégio que seleciona alunos, de qualquer forma, nunca poderia ser classificado como público. Além de que, colégios militares não tem o ensino fundamental, onde os alunos somente adentram após a 5ª série e muitos alunos antes desse período estudaram em escolas particulares e mesmo assim passam no vestibular como cotista sendo que não são.

Como o edital da Vunesp esclarece
2.2 Considera-se escola pública a instituição de ensino criada ou incorporada, mantida e administrada pelo Poder
Público, nos termos do inciso I, do art. 19, da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. A gratuidade do ensino
não indica, necessariamente, que a escola seja pública. Escolas vinculadas a fundações, cooperativas, Sistema S
(SESI, SENAI, SESC, SENAC) etc., embora gratuitas, são consideradas particulares em função de sua dependência
administrativa junto ao setor privado.

Bem, colégio militar é pago, com mensalidades e compras de apostilas, e segundo a Procuradoria Federal de Goiás defendeu que os funcionários da escola militar não são regidos pelo estatuto dos servidores públicos e que a entidade NÃO é mantida com recursos do Estado.
Diversos encargos são cobrados dos pais dos alunos, como prestações mensais e taxa de material. *O piso salarial de um professor no Brasil é de R$ 1.567. O salário de um professor militar varia de R$ 4.240,03 a R$ 8.422,77, conforme titulação.

SENDO TOTALMENTE INJUSTO JÁ QUE ESSAS ESCOLAS FORNECEM ENSINO DE EXTREMA QUALIDADE DIFERENTEMENTE DAQUELE QUE EU RECEBI.
Porém a lei 12.711/2012, a lei de cotas NÃO beneficia quem realmente necessita delas para adentrar em universidades,
já que não EXCLUÍ das escolas públicas as "conveniadas", que são, muitas vezes pagas com mensalidades, o que as caracterizam como escolas particulares,
selecionadoras de alunos (uma escola pública deve aceitar todos, prioridade para quem mora perto,independente de qualquer coisa),
que os servidores não são caracterizados como funcionário público, estadual, municipal, ou seja, não caracteriza uma escola púbica,
que tiram notas MAIORES que estudantes de colégios particulares
alunos aprovados em HARVARD,
gabaritam enem,

não são portanto 100% pública, gerando processos de parte de alunos para entrarem nas universidades como cotistas, o que na verdade não são já que frequentaram colégios de excelência e nunca precisaram das reservas de vagas...
cota dentro das cotas

Reply