Dilma devolve 3,1 milhões de famílias da Classe C para as classes D/E. 10 milhões de pessoas voltarão à pobreza entre 2015 e 2017.

Clique para ampliar
 
(Estado) A recessão derrubou parte da nova classe média, a população da classe C, para a base da pirâmide social. Entre 2006 e 2012, no boom do consumo, 3,3 milhões de famílias subiram um degrau, das classes D/E para a classe C, segundo um estudo da Tendências Consultoria Integrada. Eles começaram a ter acesso a produtos e serviços que antes não cabiam no seu bolso, como plano de saúde, ensino superior e carro zero. Agora, afetadas pelo aumento do desemprego e da inflação, essas famílias começam a fazer o caminho de volta. 

De 2015 a 2017, 3,1 milhões de famílias da classe C, ou cerca de 10 milhões de pessoas, devem cair e engordar a classe D/E, aponta o estudo. “A mobilidade que houve em sete anos (de 2006 a 2012) deve ser praticamente anulada em três (de 2015 a 2017). Estamos vivendo, infelizmente, o advento da ex-nova classe C”, diz o economista Adriano Pitoli, sócio da consultoria e responsável pelo estudo.
Para projetar esse número, Pitoli considerou que, entre 2015 e 2017, a economia deve recuar 0,7% ao ano; a massa real de rendimentos, que inclui renda do trabalho, Previdência e Bolsa Família, vai cair 1,2% ao ano, e o desemprego deve dar um salto, atingindo 9,3% da população em idade de trabalhar em dezembro de 2017 – o maior nível em 13 anos. Segundo o estudo, a classe C é formada por famílias com renda mensal entre R$ 1.958 e R$ 4.720 e a classe D/E por aquelas com rendimento mensal de até R$1.957. 

“É a primeira queda da classe C em número de famílias desde 2003 e o primeiro ano de crescimento expressivo da classe D/E”, diz Pitoli. Só neste ano, a classe D/E vai ser ampliada em cerca de 1,5 milhão de famílias; em 1,1 milhão em 2016 e em 454 mil em 2017. “Grande parte dessas famílias está fazendo o caminho de volta, vieram da classe C”, diz Pitoli. Mas ele pondera que outra parcela é de novas famílias formadas dentro da própria classe D/E.

O economista diz que as pesquisas do IBGE, base da projeção, não permitem saber quanto é cada parcela, uma vez que a instituição não acompanha família a família. “Mas, naturalmente, a mudança de composição tem a ver com as migrações (de uma classe para outra).”

Para o economista Mauro Rochlin, professor de MBAs da Fundação Getúlio Vargas (FGV), os fatores que estariam levando parte das famílias de classe C a retornar ao estrato de origem são a alta impressionante no número de desempregados, o fechamento de vagas, o salário médio real que parou de subir e o crédito mais caro e restrito. “Tudo isso conspira a favor da ideia de que estaria havendo essa migração.”

Maurício de Almeida Prado, sócio-diretor do Plano CDE, consultoria com foco na baixa renda, aponta que a faixa mais vulnerável à recessão é a baixa classe C, uma vez que 50% dela estão na informalidade. “A classe média baixa tem maior risco de voltar atrás. Ela tem pouca escolaridade, sente muito a queda da economia pelo emprego informal, quase nenhuma poupança e uma rede de contatos limitada para obter emprego.” 

Na prática. Myrian Lund, professora da FGV e planejadora financeira, que orienta por meio de um site famílias que precisam reestruturar as finanças, diz que a perda de poder aquisitivo da classe C afeta tanto empregados como desempregados. No caso dos empregados, ela diz que estão muito endividados, pois pegaram empréstimo com desconto em folha (consignado). Apesar de o juro dessa linha de crédito ser menor, hoje a prestação do financiamento está pesando mais no bolso dessas famílias, já que, em meio à recessão, o salário não terá aumento acima da inflação.

Para Prado, da Plano CDE, ainda que essas famílias tenham queda de renda, elas configuram uma classe baixa diferente, pela experiência adquirida com a ascensão. “É um novo tipo de classe baixa: mais conectada, escolarizada e de certa forma até mais preparada.”

19 comentários


Ninguém aguenta mais! QUANTA DESGRAÇA. O governo escomungado do Lula e da Dilma foi o governo que levou mais brasileiros para a miséria na história desse país. Malditos!

Reply

Bem está tudo aí provado, uma desgraça generalizada toma conta do Brasil, o comandante chefe dessa desgraça é Lula, ninguém mais no Brasil desconhece isso, então porque esse FDP ainda está solto praticando mais crimes? ..... Ah! O Brasil todo já sabe também, Lula ainda está solto porque o CHAVE DE CADEIA TEORI ZAVASKI, FORJA BURACOS NA LEI para impedir que Lula seja punido.

Está na hora do povo providenciar a PUNIÇÃO DE TEORI ZAVASKI E SUA CORJA TOGADA DO STF.

BORA POVO, MÃOS A OBRA, VAMOS SALVAR O BRASIL!

Reply


Em uma empresa falida os funcionários são os primeiros a serem demitidos, primeiro porque não existe mais recursos para fazer andar empresa, segundo porque se a empresa parou não existe necessidade de ter funcionários.

O Brasil parou, não existe nenhum tostão para fazer andar nenhum programa social, nem para investir em saúde, segurança, educação, ... nada! Então porque a Dilma ainda não demitiu todos os funcionários, que não têm mais o que fazer e permanecendo locupletados continuam dando despesas?

Essa incompetente vai mandar embora os quase 100 mil apaniguados quando?

Reply

Na verdade nunca saíram da linha da pobreza. Muito menos entraram na classe média. Era tudo mentira para os trouxas acreditarem. Vamos combinar: como poderiam ter saído tão de repente sem ter estudado, trabalhando em subempregos e/ou simplesmente vivendo sem trabalhar recebendo bolsas (esmolas)? Agora caiu a ficha! Mas não se preocupem pois os título de pentacampeão vcs não perdem, esta garantido.

Reply

Dilma milagreira (do capeta)!

Reply

Não foi [só] Dillma...

Foi antes, e mais do que ela, o capo Lulla.

Dillma é Lulla e Lulla é Dillma - não foi isso que arrotaram por aí?

Mas elle ainda vai tentar queimá-la de todo jeito, pra ver se limpa a fosse em que se meteu com a corruPTalha toda.

Reply

Penso que foram mantidas na classe C com puro artificialismo. Foram mantidas ali com o dinheiro dos outros, já que não tinham como se sustentar com seus próprios recursos, ficando oscilando entre D e E o tempo todo. Esse partido só tem competência para mentir e roubar. E pensar que teremos três anos pela frente de pura falência e preocupante. Como o brasileiro é burro, inocente, alienado, despreparado, sem vergonha e sem orgulho de ser brasileiro. Só tem orgulho de ser brasileiro no campo de futebol. O eterno vitorioso perdedor.

Reply

Lula , o cangaceiro-petista-MILIONÁRIO- alugou e manobrou essa classe para
seus propósitos escusos.Agora abandonada , resta o jus esperneandi.

Reply

Vai pete, partido dos trambiqueiros. Manda o pessoal todo pra classe E. Depois prometa umas "bolsas manutenção" para ganhar as próximas eleições. E não esqueçam de culpar as "zelites" pelo caos.

Reply

Cel

Leia “No Brasil, de minuto em minuto, quatro pessoas são demitidas do emprego”

Leia em: http://port.pravda.ru/news/science/27-10-2015/39698-demitidas_emprego-0/#

Átila

Reply

Aqui entre nós, só os otá.rios não enxergavam este futuro. Sabíamos que o país não dispunha de economia, poupança para tudo o que faziam. Como sabíamos que tudo era feito não em prol dos mais necessitados socialmente, mas em favor dos necessitados de votos para a eternização no poder.
Como também era sabido que os empresários batiam palmas pois eram os beneficiados indiretamente, já que vendiam tudo o que produziam. Faziam de conta que não enxergavam abaixo da linha da cintura.
Resumindo, todos são cúmplices deste desastre. O FHC tem de parar de falar besteira, achando que por ser Dilma honesta (não coloco em dúvida) não justifica o impeachment. Ora só a incompetência que gerou o desastre que afeta todos os brasileiros, é motivo para substituí-la, já que não tem grandeza para renunciar. FHC está fazendo média usando a tragédia que não o afeta.

Reply

Desgoverno falso soh mentiram ....impeachment e que venha Aécio neves.

Reply

Só no Brasil ganhar R$ 1500,00 reais é ser da classe média. O “Plano de Saúde” então, quase um Sírio Libanês, aliás aqui estufam o peito orgulhosos por terem um plano privado de saúde, mal sabem que pagam para tranqüilizar os nervos e o plano contratado, com raras exceções, concorre a lanterna com o SUS do Lula, que beira à perfeição. No fundo são iguais.
Ensino superior? Esse leva o troféu "Hors Concours ", está igual ao tal “SUPLETIVO RÁPIDO” à distância, onde não há necessidade de freqüentar a aula e a prova pode ser com professor individual com consulta, ou então a faculdade de cotas, de quase todas as cores, dá um jeito.
No primeiro grau a frequência é apenas para terem o direito de freqüentar as escolinhas de futebol, de música, teatro and so on. Se não forem merecedores como bons alunos a imprensa faz um estardalhaço e o emocional com muita lágrima tem sempre o aval da sociedade. Quebra-se as normas e vale o popular, funciona sempre. A pobreza é o passaporte com o carimbo da sociedade cega, do politicamente correto. Claro os guerreiros do povo, prometem melhorar no estudo e todos saem felizes, o aluno pobre, se sente realizado, quebrou a regra e impôs a sua vontade ao Estado,e os agentes do estado que se curvaram estão felizes certos de terem seu voto garantido. Um toma lá dá cá. O dinheirinho por estarem na escola vai para o bolso, mas continuam falando o “ nóis pega o peixe e o dá prá tu”, o resto é conversa mole.
O carro zero é muito importante, a carteira de motorista é apenas um detalhe, se não passar, viaja-se para o norte/nordeste, onde dificuldades se compram com facilidades.
Por favor não tentem, nem em pensamento, me chamar de fascista, racista, pessimista, a realidade é cruel, e aqui faz tempo o semáforo da desestruturação total do país está com luz vermelha, mas a grande maioria da sociedade assim como a grande mídia faz questão de ver verde.

Reply

Alguém se lembra quando o Michel Temer falou na campanha presidencial que graças a "Lula/Dilma" o pobre agora tomava iorgute?

http://veja.abril.com.br/noticia/brasil/contra-ovo-de-aecio-temer-diz-que-pobres-compram-iogurte-e-chocolate/

E agora Michel?

Reply

Parece um contrassenso, mas o bolsa família é uma praga que emburrece, empobrece, estimula vadiagem, tira a dignidade do indivíduo, e o pior desperdiça tanta mão de obra ociosa e necessária para economia do Brasil. O cidadão deveria ser atendido por esse programa por um curtíssimo período, o bastante para o governo lhe dar uma vaga de trabalho e uma oportunidade digna de vida. Ninguém nasceu para ser parasita, o trabalho enobrece e dignifica. Entrar para o bolsa família, para nunca mais sair, comprova a suspeição, a falta de objetivo do programa, e o acomodamento do brasileiro a uma vida de marginalidade.
Ter que cortar (graças a DEUS) 10 bilhões do bolsa família é uma GRANDE VITÓRIA PARA O BRASIL. É a hora de aproveitar a mão de obra desses indivíduos, para o trabalho, para gerar riquezas para o próprio trabalhador e para o Brasil.

Existe outro CORTE importantíssimo a ser feito e que é até um crime não ter sido feito ainda. É PRECISO URGENTE CORTAR OS ASTRONÔMICOS SALÁRIOS dos vagabundos e corruptos trapaceiros do Congresso e do Senado.

Reply

Também concordo. Acho que o governo baixou o valor de referência da classe C e desta forma incluiu um grande número de pessoas para esta classe.

Reply
fred oliveira mod

A era lulista inventou uma classe media que ganhava a partir de 300 reais. Isso nao existe. A realidade vai se impondo, assim como j'a se havia identificado que a classe media verdadeira no Brasil nao passaria de algo em torno de 10 milhoes de pessoas. A verdade aparece.

Reply

É muito bom que isso aconteça! Afinal, muitos desses que devem voltar para a miséria, foram os que mais votaram na quadrilha! Até 2018 o PT vai conseguir destruir o que ainda falta. Com tanta corrupção, só uma guerra civil para resolver
1

Reply

Quando vão mandar os cubanos prá casa, quando vão acabar com as bolsas Cuba/Venezuela. Querem saber, tenho absoluta certeza que ali está mais uma fonte de roubalheira dessa quadrilha.

Reply