As digitais de Dilma no caixa-dois da sua campanha.


(Isto É) Na semana passada, ISTOÉ revelou que por determinação do ministro Gilmar Mendes, vice-presidente do Tribunal Superior Eleitoral, a Polícia Federal deverá fazer uma apuração sobre alguns gastos realizados pela campanha de Dilma Rousseff em 2014. Há a suspeita de diversos pagamentos feitos a empresas que seriam apenas de fechada. Ou seja, haveria no esquema oficial de doação de recursos para a campanha uma espécie de lavanderia de dinheiro proveniente de propinas do petrolão. 

A reportagem também mostrou que as propinas da UTC entregues à campanha de forma oficial, como delatado pelo empresário Ricardo Pessoa, abasteceram boa parte dessas empresas de fachada (leia quadro na pág. 38). Agora, um novo levantamento feito pela revista indica que essas mesmas empresas podem ter sido aquinhoadas com propinas depositadas na campanha de Dilma pela Camargo Corrêa e pela Engevix, cujos executivos já admitiram a participação no petrolão em acordos de delação premiada.
01.jpg
Com base nos depoimentos dos executivos que colaboraram com a Justiça Federal em Curitiba, a reportagem levantou dezenas de recibos de doações dessas companhias, cruzando-os com as ordens de pagamento aos fornecedores que o TSE trata como “suspeitos”. Todas as empresas arroladas pelo ministro Gilmar Mendes serviram de destino para parte do dinheiro proveniente do petrolão. A análise nos documentos de receitas e despesas apresentados pelo PT evidencia, ainda, fortes indícios da emissão de notas fiscais subfaturadas para evitar a violação do limite de gastos da campanha. São elementos que reforçam a tese da Operação Lava-Jato de que o PT usou o caixa 1 para lavagem de dinheiro.

Gerson Almada, ex vice-presidente da Engevix, confirmou ao juiz Sérgio Moro que pagou propina ao PT por meio de doações de campanha, solicitadas pelo ex-tesoureiro da legenda João Vaccari Neto e pelo lobista Milton Pascowitch, operador do ex-ministro José Dirceu – todos são réus na Justiça Federal de Curitiba. Pressionada pelos protagonistas do escândalo, a Engevix doou R$ 1,5 milhão para a campanha de Dilma em 2014. O recibo do depósito data de 2 de outubro e foi assinado pelo então tesoureiro da campanha, Edinho Silva, hoje ministro de Comunicação Social. 

No mesmo dia 2, a campanha repassou R$ 156 mil para a UMTI, empresa de suporte de informática investigada pelo TSE por suspeita de não ter prestado qualquer serviço à campanha. Outros R$ 64,7 mil foram depositados na conta da Dialógica Comunicação, empresa de Keffin Gracher, recém-nomeado assessor especial pelo ministro de Comunicação Social. Há ainda vários pagamentos a empresas sem atividade aparente, segundo as suspeitas do TSE. 

Chama atenção o pagamento de R$ 1,66 milhão à Ageis Gráfica e Editora, que funciona no mesmo endereço de uma empresa de comércio de equipamentos, no município catarinense de São José. Mais R$ 280 mil foram para a Promo Gráfica, sediada num imóvel comercial de muros altos no bairro do Lixeira, em Cuiabá (MT). Os telefones de ambas empresas estão desativados. A Dialógica foi fechada há alguns meses. A UMTI diz que prestou os serviços
02.jpg
Dias antes da doação da Engevix, a campanha de Dilma recebeu um aporte de R$ 2 milhões da Camargo Corrêa. Vice-presidente da empreiteira, Eduardo Leite, confirmou para o Ministério Público o uso do caixa oficial da campanha para o pagamento de propina e alegou que a doação foi feita para garantir seus contratos com a Petrobras. À Justiça Federal, Leite relatou que Vaccari lhe sugeriu que quitasse “compromissos atrasados”, por meio de doações eleitorais. 

Na campanha da reeleição de Dilma, o dinheiro da Camargo serviu a uma série de pagamentos volumosos. No dia 1º de outubro, a campanha repassou R$ 800 mil à gráfica VTPB e outros R$ 405 mil à Focal Comunicação. As duas empresas estão na mira das apurações feitas pelo TSE e agora pela Polícia Federal. Elas foram os maiores destinatários de recursos da campanha, amealhando juntas quase R$ 50 milhões, atrás apenas da Polis Propaganda, do publicitário João Santana, que recebeu R$ 70 milhões. No dia do pagamento à VTPB e à Focal, o PT também depositou R$ 225 mil à gráfica “Souza & Souza”, uma empresa individual aberta em março de 2014, quatro meses antes do início oficial da campanha.

Os casos da Engevix e da Camargo Corrêa se somam ao da UTC. O dono da empreiteira Ricardo Pessoa, que firmou acordo de delação premiada com o Ministério Público, garantiu que os R$ 7,5 milhões doados à campanha de Dilma tiveram origem no petrolão. Pessoa realizou três repasses de R$ 2,5 milhões: o primeiro, no dia 5 de agosto, serviu para bancar parte dos honorários de João Santana; o segundo, no dia 27, cobriu notas fiscais emitidas pela VTPB e Focal. Também foram destinos dos recursos da UTC a gráfica virtual Souza & Souza, que recebeu R$ 670 mil, e a Prospere Industria e Comércio (R$ 330 mil), outra empresa sem atividade aparente, segundo informações iniciais da PF. A gráfica Red Seg, também uma “empresa individual”, foi destino de R$ 1,8 milhão.
03.jpg
Há outros indícios de que possa ter ocorrido lavagem de recursos por meio de serviços gráficos. No dia 29 de agosto, a campanha de Dilma recebeu 1,2 milhão de santinhos da Bangraf. No recibo de doação consta como origem do material a campanha para deputado federal de Luiz Cláudio Marcolino, ex-dirigente do Sindicato dos Bancários de São Paulo, ligado a Vaccari. 

A Bangraf não existe legalmente, usa o mesmo CNPJ do Sindicato dos Bancários, que, por sua vez, aparece como sócio – ao lado do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, da gráfica Atitude, citada na Operação Lava Jato como destino de propina do petrolão para o próprio Vaccari. Marcolino, em sua campanha, recebeu R$ 360 mil doados pela UTC. No TSE a suspeita é que a UTC pagou os santinhos doados para a campanha de Dilma, numa espécie de financiamento indireto ou ainda de uma simulação de prestação de serviços.

Na prestação de contas, há centenas de recibos eleitorais de doações de materiais e serviços. Parte deles está em nome dos mesmos financiadores diretos da campanha. Ou seja, o “produto” doado é produzido pelas mesmas empresas suspeitas, mas leva o carimbo de outra campanha, como no caso do deputado Vicentinho, que encomendou à Focal Comunicação a produção de centenas de faixas para a campanha da presidente. 

É curioso que o petista, que arrecadou pouco mais de R$ 1,4 milhão, tenha ainda contribuído materialmente para a reeleição de Dilma com R$ 350 milhões. Mas a campanha dilmista também fez centenas de doações de “bens e serviços” a candidatos aliados. Há ainda um terceiro caso mais complicado, quando o doador do material de campanha é o próprio Comitê Financeiro. No recibo da doação, consta o prestador do serviço, a quantia do material de propaganda produzido e o valor. Mas nada a respeito da origem do recurso usado. Dessa forma, burla-se os controles de fiscalização.
05.jpg
NOTAS SUBFATURADAS – Chama a atenção dos técnicos que já tiveram acesso aos documentos da campanha o fato de valores declarados nos recibos de doação de materiais serem muitas vezes bem abaixo do valor praticado no mercado. Essa seria, segundo esses técnicos, uma forma de burlar o TSE subfaturando notas para evitar a extrapolação do teto de gastos da campanha. Um exemplo é a doação de santinhos produzidos pela Axis Grafica, de São Caetano do Sul (RS). 

O Comitê Financeiro do PT doou para a campanha de Dilma 6,5% de um total de 30 mil santinhos, ou 1.950 itens. O valor declarado pela campanha foi de apenas R$ 14,62. Mas uma pesquisa realizada no setor gráfico indica um valor médio de R$ 1,8 mil para a quantidade total encomendada e de R$ 121 equivalente ao percentual doado. Ou seja, quase nove vezes o que foi registrado na prestação de contas. 

Outro exemplo é a encomenda de 355 mil santinhos (modelo card) feita pela campanha de Dilma à gráfica VTPB. Segundo a nota fiscal, o material custou R$ 22,2 mil. Mas uma consulta a outras quatro gráficas do mercado indica um custo real de R$ 41,8 mil, quase o dobro. Um terço do total dos santinhos da VTPB foi doado à PCdoB do Acre. Quem assina o recibo é a ex-deputada Perpétua Almeida, candidata derrotada ao Senado. Casos como esses são recorrentes na contabilidade petista de 2014.

Os problemas na prestação de contas de Dilma vão além do suposto subfaturamento. Há notas fiscais que, de tão genéricas, tornam-se indecifráveis para o melhor dos investigadores. Uma nota em nome da Bangraf, por exemplo, indica a produção de 200 mil folhetos, sem registro de medidas, gramatura de papel ou mesmo seu conteúdo. Em nome da Focal, foi emitido recibo referente à confecção de “90 faixas”. Não constam informações sobre tamanho ou material de composição. Generalidades do tipo podem ser apenas simples erro de registro da equipe financeira da campanha ou ação deliberada para evitar dificultar a fiscalização do Tribunal Superior Eleitoral. 

ISTOÉ também revelou em sua última edição que foram identificadas notas “fantasmas”, outras duplicadas ou mesmo sem correspondência nos registros eletrônicos do TSE. Há também NFs emitidas por gráficas, como a Ultraprint, subcontratada pela VTPB, anexadas à prestação de contas sem a devida descrição da peça publicitária a que se refere, seja folder, santinho, adesivo ou banner.
abre.jpg
LAVANDERIA:
As suspeitas da Operação Lava Jato e do TSE é que o material gráfico tenha
sido usado para legalizar recursos irregulares usados na campanha

A suspeita de que a campanha de Dilma possa ter sido usada para lavar dinheiro sujo do petrolão foi motivo de questionamentos da CPI da Petrobras. Para os integrantes da força-tarefa da Lava Jato, não há dúvidas de que Vaccari, preso desde abril, tinha conhecimento total do esquema. Os procuradores e delegados que investigam o petrolão tentam agora saber até que ponto Dilma e Lula sabiam sobre a origem dos recursos da campanha petista.

23 comentários

Num país honesto e sério não se estaria discutindo o afastamento do presidente e sim sua execução.

Reply

Assista!!
https://www.youtube.com/watch?t=1366&v=oUvgS0D6zOo

Reply

De uns tempos pra cá, tenho achado que o fim da era petista no poder virá pelo TSE. Os indícios de dinheiro ilegal na campanha da Dilma são muito fortes, o TSE não tem mais como tampar os olhos. Não acredito no impeachment, ainda mais com os últimos fatos, que enfraqueceram muito o Cunha. A tendência é que fique isolado e, sem aliados, não vai ter como tocar mais coisas fortes. Mas pelo TSE está ficando cada vez mais difícil os petebas passarem.

Reply

O Antagonista

Você já leu esta nota?

"Gerson Camarotti, do G1, informa que Renato Duque negocia um acordo de delação premiada com Sergio Moro".

Você leu o que o advogado de Renato Duque declarou ao Estadão?

"O advogado Alexandre Lopes disse nesta sexta-feira que 'não é impossível' que o executivo faça delação premiada devido a sua situação psicológica".

Reply

A Presidenta incompetenta vai cair!

Reply

É fato;existe apenas uma solução pacífica para resolver o problema,a crise política brasileira - Cassação dos mandatos de todos os envolvidos e convocação para novas eleições gerais.No meumodesto ponto de vista.RGS

Reply

Coturneiro de 18 de julho de 2015 13:14,

na realidade, já teria sido executada... Mas isso seria na antiga Inglaterra de Henrique VIII.

Graças a Deus em tempos modernos a pessoa apenas apodrece na cadeia. Se for um país sério...

Que Deus nos ajude e que consigamos limpar o Brasil dessa chaga viva chamada PT.

Flor Lilás

Reply

Por Merval Pereira - O Globo - 18/07/15 -

Em linguagem parlamentar chula, o tempo é de vaca não reconhecer bezerra, tal a confusão em Brasília. Como não há nenhuma liderança política que se imponha para tentar controlar a crise, e nem legendas partidárias de peso que possam se posicionar acima das dissidências, pois estão envolvidas em tenebrosas transações ou interesses próprios, ou não têm expressão para a mediação política necessária, o que vai O que vai definir o rumo dos acontecimentos serão as manifestações populares.
Se a programada para o dia 16 de agosto tiver a grandiosidade das primeiras, acontecidas em 2013 e, mais adiante, em março deste ano, o frágil equilíbrio do governo desmoronará rapidamente.

Reply

Eu acho que a mandioca vai pegar parelho nesta turma.

Reply
Ferreira Pena mod

Esse nosso pobre Brasil tem jeito?, parece que não, pois nessa avalanche de corrupção ainda temos vagabundos que defendem essa mulher louca e corrupta.

Reply

Está rolando muito zunzunzum em toda imprensa. Digo e repito, o inimigo não é o Janot, o juiz Moro e muito menos Eduardo Cunha. Os inimigos são os petistas, os sindicatos pelegos e os simpatizantes da esquerda. No geral o cenário para derrotar o inimigo está bastante favorável. Crise política e profunda crise econômica. Não podemos esquecer que estamos lhe dando com terroristas com o poder ainda em suas mãos. Não podemos perder esta oportunidade. Pra frente Brasil !

Reply

Acabo de ver isto no Marco Feliciano.

https://www.facebook.com/PastorMarcoFeliciano/photos/a.303952159744810.1073741857.176976939109000/695474753925880/?type=1&hc_location=ufi

Reply

"PT já tem US$ 2 bilhões para torrar na campanha de 2014, sobretudo na reeleição de Dilma." (janeiro de 2014)

"Os principais lobistas de Brasília comentam de modo escancarado: o Partido dos Trabalhadores já dispõe de US$ 2 bilhões para investir na campanha eleitoral de 2014. A maior parte dos bilhões será empregada na reeleição de Dilma Rousseff. O dinheiro é resultado direto de uma espécie de Mensalão – ou “draw back” (vai e volta). Trata-se de um caixa dois construído de forma sofisticada, com recursos que saem do País e se dispersam, para voltar na forma disfarçada de investimentos em negócios ou em futuras “doações”...."

http://www.alertatotal.net/2014/01/pt-ja-tem-us-2-bilhoes-para-torrar-na.html

Reply

A meu ver só há uma solução:


napalm.

Reply

Nossa Mãe do céu! Não dá mais pra aguentar ouvir falar dos crimes desses governos petistas! PUTZ! Que saco!

A Justiça brasileira é um CÁGADO! Chega a dar NOJO! E ainda têm o descaramento de querer aumento de salário de 78%, se o que já ganham é uma fortuna, para o péssimo serviço que prestam. Quando prestam algum serviço, porque existem milhões de processos mofando debaixo da bunda desses togados vadios, que deixam o brasileiro morrer esperando um processo ser julgado e nunca chegam ao fim. São muito vagabundos.

Meu Deus, com tudo que já se viu de documentos publicados, escândalos de roubo do dinheiro público, desde o mensalão em 2005 e essa bosta de justiça ainda não prendeu o Lula e a Dilma continuar no cargo fazendo cagadas. Se não existe mais juízes capazes de fazer valer a Lei, então cabe ao povo fazer justiça com as próprias mãos porque o PT continuar governando o Brasil não pode.
O Brasil está derretendo, vindo por água abaixo e nenhuma medida é tomada pela justiça, para brecar isso. Parece até piada né? Esses togados de meia tigela, já provaram que não têm competência para fazer valer as Leis brasileiras, frouxos, incompetentes, .... e ainda tem cara de pau de achar que merecem aumento!

NÃO DÁ MAIS PRA SUPORTAR! VAMOS ACABAR COM ISSO.

Reply

PÔ CORONEL,VOCE NÃO TRABALHA MAIS?
DESDE MEIO DIA QUE NÃO POSTA NADA?
TÁ PIOR QUE O ALUIZIO AMORIM,QUE QUANDO COLOCA A CAPA DA VEJA,FICA O DIA TODO SEM ESCREVER........

Reply

OFF
Dilma pressiona ministros do STF, TSE e TCU para impedir processos que levem ao seu impeachment
http://www.istoe.com.br/reportagens/427908_CERCO+AOS+TRIBUNAIS

Reply

As evidências são enormes!Não dá pra levar a DILMANDIOCA pra papuda já????Cambada de ladrões do pt e aliados!

Reply

Que crueldade!!!!

Reply


Me apegando a máxima...recordar é viver..eu ainda diria...precaver!!

Mensalão:
Narrando um fato de 2005 qdo estourou o mensalão pra ter mais um taco de ciência de quem é Eduardo Cunha.

Acervo da revista Veja:
- Muito embora Garotinho a época fosse considerado o inimigo nº1 do PT, qdo se estava na fase de coleta das assinaturas para instalação da CPI dos correios, ele foi procurado pelo Dirceu que segundo ele..."o ministro me implorou" para que eu conseguisse retirar assinaturas de dep meus aliados.
Pois bem Garotinho conseguiu procuração de 15 dep autorizando a retirada e entregou ao? ao? EDUARDO CUNHA.
Pois bem, Cunha procurou um interlocutor do PT e pediu 300 milhões em troca da retirada, o petista não cedeu e ele, Cunha, rasgou na sua frente as procurações.

Cunha esta nessa politicagem a muito tempo e já é PHD....não sei se fico feliz ou me desespero.....estamos entre a cruz e a espada. Aguardemos!!!!

Reply

Esse banner estava espalhado, "INFESTADO" em todo o Brasil em cada esquina; na mnha cidade, mais de 400 mil habitantes nao tinha um banner do Aecio. Mesmo assim teve mais de 70% dos votos (Piracicaba)!

Reply


Um Anônimo disse...

PÔ CORONEL,VOCE NÃO TRABALHA MAIS?
DESDE MEIO DIA QUE NÃO POSTA NADA?
TÁ PIOR QUE O ALUIZIO AMORIM,QUE QUANDO COLOCA A CAPA DA VEJA,FICA O DIA TODO SEM ESCREVER........

18 de julho de 2015 21:10

Meu caro, eu não tenho um blog profissional. Trabalho, e muito, em outras atividades. Gostaria que você me enviasse o seu e-mail para que eu mande a minha conta bancária e você me pague aí uns R$ 5 mil por mês para que eu poste sábado e domingo da mesma forma que durante a semana. Aí, me pagando, você tem direito de ser mal educado e imbecil como está sendo.

Bom domingo.Espero que vc tenha família pra se dedicar um pouco a ela e menos as blogs e redes sociais.

Coronel

Reply

A Dilmandioca disse em entrevista em 2014 que "O PT faria o diabo em época de eleições"

Os fatos comprovam: O PT e ela fizeram o diabo para ganhar as eleições de 2014!

Ela e sua ORCRIM agora têm de pagar por isso!

FORA DILMA! FORA PT!


DIA 16/AGOSTO TODOS NA RUA!


Chris/SP





Reply