Daqui a pouco, Renato Duque na CPI da Petrobras.

O juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba, autorizou o depoimento do ex-diretor da Petrobras Renato Duque à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga irregularidades na estatal. O depoimento está atrasado porque Duque ainda nem chegou à Câmara. A previsão é que o ex-diretor chegue às 10h15. A CPI já está reunida no plenário 2. 

Duque está preso em Curitiba, mas virá prestar depoimento na Câmara. O presidente da Câmara, Eduardo Cunha, suspendeu excepcionalmente a decisão que impede que pessoas presas prestem depoimento dentro das dependências da Casa. Renato Duque já havia sido preso em uma das etapas da Operação Lava Jato, mas foi solto por decisão do Supremo Tribunal Federal. Agora, Duque está preso porque movimentou dinheiro em contas no exterior. 

Na CPI, o ex-gerente de Tecnologia da Petrobras Pedro Barusco acusou Duque de receber propina de empresas contratadas pela estatal. Segundo Barusco, metade do dinheiro era repartida entre ele e Duque, e a outra metade ficava com o tesoureiro do PT, João Vaccari Neto. Segundo o delator, Vaccari era ligado a Duque e recebeu algo entre 150 e 200 milhões de dólares em propinas, em nome do partido. Duque e Vaccari negam as acusações.

O presidente da CPI da Petrobras, deputado Hugo Motta (PMDB-PB), explica em que condição Duque será ouvido pelos deputados: "Na condição de investigado. Ele é réu no processo. Nós temos a expectativa de que possa ajudar nas investigações".

Depoimento de Vaccari
Na terça-feira da semana que vem, depois do interrogatório de Duque, a CPI vai se reunir para votar novos requerimentos de audiência. Vários deles pedem que seja ouvido o tesoureiro do PT, João Vaccari Neto.

O depoimento é defendido por parlamentares da oposição, como explica o deputado Antonio Imbassahy (PSDB-BA): "Acho fundamental que o tesoureiro do PT, o João Vaccari, que foi denunciado, seja convocado para prestar seus esclarecimentos".

A convocação de Vaccari é dada como certa na CPI. O relator da comissão, deputado Luís Sérgio (PT-RJ), já admite o interrogatório do tesoureiro do PT: "No momento oportuno, este requerimento será avaliado. Na minha avaliação, ele virá à CPI para prestar os esclarecimentos que deve à sociedade brasileira".

Outros depoimentos
A CPI da Petrobras já decidiu a ordem dos próximos depoimentos. Depois de Renato Duque, serão ouvidos o empresário Júlio Faerman, ex-representante da SBM Offshore (dia 26/03); Glauco Legati, gerente da refinaria Abreu e Lima (dia 31/03); e Hugo Repsold, diretor de Gás e Energia da Petrobras (dia 07/04).

12 comentários

CORONEL

Vai mentir, tergiversar,embromar... e rir.Como fizeram Graça Foster,Gabrieli...

Reply

Muy buenas Coronel.
Tenho aqui para os meus botões, que o "meliante Renato", vai cantar mais que Curió.
Este elemento, não tem aguante. Se não for hoje, em no máximo mais 15 dias, vai nos oferecer um concerto, uma verdadeira cantata.

Reply

Decretão anticorrupção de Dilma faz judiciário e Ministério Público se curvarem a acordos na CGU.
Aqui: http://www.alertatotal.net/

A Presidenta Dilma Rousseff deu um golpe mortal no Judiciário em seu Decretão Anticorrupção. A CGU, que é um órgão do Poder Executivo, ganhou o monopólio, competência exclusiva, de firmar acordos de delação das empresas, via acordo de leniência. Isto acontece dois dias depois da manifestação de milhões nas ruas. Dilma conseguiu o feito de legalizar uma ilegalidade. Seu ato falho de ontem seria nulo de pleno Direito, se tivéssemos segurança jurídica em Bruzundanga.

Reply

Será que a PF verificou a manutenção, fez uma checagem geral nessa aeronave, e montou um esquema de segurança para vigiar esse avião enquanto estacionado em Brasília aguardando o retorno do prisioneiro a Curitiba?!?!?!
Olha o efeito Celso Daniel e o “acidente” do Eduardo campos, HEIN?

Reply

Mas calado que o lula, no futuro, nos cárceres da ditadura petista ninguém terá o direito de permanecer calado debaixo de tortura.

Reply

A legislação brasileira deve ser adequada COM URGÊNCIA. É preciso acabar com essa leniência e proteção a bandidos.
Engavetar processos de investigação como Dilma, Eduardo Cunha, Renan, calar em CPI .... é confessar a culpa.

Quem engaveta processos e quem cala concente!

Quem concente admite a culpa, TEM QUE SER PUNIDO.


CHEGA DE BANDIDAGEM NESSE BRASIL!

BASTA! BASTA! BASTA! BASTA! BASTA! BASTA! BASTA! BASTA! BASTA! BASTA! BASTA! BASTA! BASTA! BASTA! BASTA! BASTA! BASTA! BASTA! BASTA! BASTA!

IMPEACHENT JÁ!
FORA CANALHAS ACHACADORES.

Reply

Duque vai ficar de bico calado, conforme direito na CF.

Deveriam chamar a mulher de Duque na CPI, já que foi por ameaça dela contar tudo que sabe sobre o chefão, caso este não tirasse seu marido da cadeia, da primeira vez.

O Duque acha que o PT vai salvá-lo assim como pensava o Marcos Valério, que, ao tentar a delação premiada tarde demais, tomou 38 anos de cadeia.

Os que optaram pela delação (Roberto Youssef, Paulo R. Costa) vão tomar uns 5 anos; já o Sr. Duque pelos crimes cometidos até aqui já leva uns 30 anos.

Vai falar ou ficar calado???
Vamos ver por quanto tempo aguentará acobertar a quem ele está protegendo.


Chris/SP

Reply

Depoimentos inócuos, pois os caras fecham o bico baseados no direito de ficar calados.

Reply

Muy buenas Coronel.
Utilizando-se do direito de só falar em juízo, o Sr. Renato não abriu a boca.
Acredito que com alguns dias de "cafua", o animo do Sr. Duque fique bastante alterado, iniciando assim a cantoria. Não acredito que vá ficar quietinho, correndo o risco de encarar de 30 a 40 anos de condenação. E quando iniciar a cantoria, vamos ficar mais próximos do Babalorixá de Banânia e da GovernAnta.

Reply

Bastou a ameaça de convocar a mulher desse bandido para explicar as relações dela com Dirceu, Lulalau e o "presidente" do tal instituto lula que ele entrou em desespero e começou a falar. Gostei da "técnica" usada e acho que ela deveria ser ampliada em outros depoimentos, pois bandido só fala quando dói.

Reply

vagabundo...

Reply

Você é muito linda, Chris. Adoro seus comentários. Beijos

Reply