Dilma foge de sua excelência o mercado.

Dilma Rousseff decidiu hoje (segunda, 12) cancelar sua participação no Fórum Econômico Mundial, encontro anual realizado em Davos (Suíça), devido ao cenário político-econômico nacional e à proximidade da eleição para as duas Casas do Legislativo (Câmara e Senado), nos primeiros dias de fevereiro. A viagem da comitiva presidencial ao evento, a ser realizado entre 21 e 24 de janeiro, consumiria uma ausência do país considerada excessivamente prolongada ante à importância do momento, segundo relato de um interlocutor governista à Agência Estado.

A decisão também leva em conta que medidas impopulares estão em curso para a reorganização das contas públicas, conforme já anunciou a equipe econômica liderada pelo ministro da Fazenda, Joaquim Levy. Tais medidas têm de ser aprovadas pelo Congresso e, na visão do governo, a permanência de Dilma no Brasil seria aconselhável como forma de tentar evitar turbulência entre os parlamentares. Assim, o Brasil colocará em xeque a tarefa de, ao menos por meio da figura de sua chefe de Estado, recuperar em Davos a credibilidade econômica e impedir a perda de grau de investimento aferido por agências de classificação de risco.

“Querem me colocar para viajar”, reclamou Dilma, informa a Agência Estado, considerando que o momento é de mais preocupação com política do que com economia. A montagem do segundo escalão do governo e a substituição de ministros já empossados são demonstração disso, diz o veículo paulista, que lembra ainda a reunião que Dilma terá com os presidentes do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) e do Banco do Brasil, respectivamente Luciano Coutinho e Aldemir Bendine. Em pauta, a ser discutida no Planalto na próxima quarta-feira (14), a sucessão no comando dessas duas instituições. (Congresso em Foco)

12 comentários

Ela preferiu ir na posse do Evo Morales... Não dá. É ruim demais!

Reply

Vamos todos pra rua protestar,fevereiro é a data limite. O atentado em Paris nos deu uma aula de mobilização,o nosso MAOMÉ tipiniquim está adorando essa passividade.ACORDA POVO BRASILEIRO.

Reply

Prá ver como a coisa está séria pro lado de dona Dilma, do tipo "foi ao ar perdeu lugar". Dá a impressão que a crise politíca é ainda maior que a econômica.

Reply

Dilma pensa que mercado e o lugar onde se compra sanduba de mortandela.Porque nem de mortadela ela entende.

Reply

Realmente, não sei o que ela faria nesta reunião. Sob sua administração o Brasil só perdeu posições e se torna cada vez mais irrelevante para a política internacional. Isso é o que dá um gigante se submeter a anões como Venezuela e Cuba.

Reply

Coronel,
fazer o que? só se fosse para passear.

Reply

Porque as investigações do PETROLÃO desapareceram da pauta da imprensa ?

Foi dado margem para a Folha e o PT armarem contra as reputações de Eduardo Cunha e Anastasia.

A pressão deve continuar para a destituição de Graça Foster, e continuar a cobertura sobre o andamento das investigações da Lava-Jato.

O que está havendo ? Que trégua é essa ?

Reply

Coronel,

e por falar em finanças e Dna Dilma...

A "Pátria Educadora" de Dna Dilma não está pagando a bolsa de estudos de pós-graduando em diferentes locais do Brasil e do mundo!

Esta desqualificada fala muito e faz nada.
Dilmentira. Dilmaldita. Dilmônia.

Temos muito que aprender com os franceses!

ACORDA BRASIL!
ACORDA OPOSIÇÃO!

Flor Lilás

Reply

Corona, Dilma só não foi à Davos porque as ratazanas vermelhas estão se preparando para irem ao velório de Fidel Castro.
Dizem que até Obama vai aparecer por lá.
É tudo uma questão de horas.

Reply

“Querem me colocar para viajar” - que frase medíocre, santo Deus! Qualquer encontro ganha muito com a ausência dos petralhas.

Reply

Fidel estah embalsamado faz tempo..........agora vao enterrar p q ele nao "veja" EUA se apropriar de Cuba!

Reply
fred oliveira mod

Ela sabe que a eleição de quem vai comandar o congresso é fundamental pela possibilidade do impeachment. Todos os elementos até agora apurados apontam para a responsabilidade dela e de Lula nesse que é o maior caso de corrupção do planeta.

Reply