Até agora a Folha, que noticiou a mentira, não publicou desmentido: advogado de Youssef nega entrega de dinheiro para Anastasia.

O desmentido foi publicado no Estadão às 17:28. Até 19:03 nada foi publicado na Folha.

Integrantes da equipe de defesa do doleiro Alberto Youssef, preso na Operação Lava Jato, devem apresentar até esta quarta-feira, 14, petição na Justiça Federal do Paraná em que contestam a informação de que ele teria determinado ao policial federal Jayme Alves de Oliveira Filho, conhecido como 'Careca' a entrega de dinheiro ao ex-governador de Minas Gerais Antônio Anastasia (PSDB) e ao deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Os defensores, contudo, admitiram nesta segunda que o doleiro  pediu que o agente da PF entregasse R$ 1 milhão em Minas Gerais, sem especificar qual foi o destinatário. 

"Vamos esclarecer que isso é uma criação e não tem relação com o meu cliente. Youssef não conhece o Anastasia nem o Eduardo Cunha e não fez negócio com os dois. Ele nunca deu dinheiro para o Eduardo Cunha nem para o Anastasia. Se alguém deu não foi ele", afirmou ao Broadcast Político o advogado de defesa Antônio Basto Figueiredo, que se reuniu com o doleiro nesta manhã. 

O defensor, contudo, admitiu que houve um pedido de Youssef para que Careca entregasse R$ 1 milhão em Minas Gerais, Estado governado até o ano passado por Anastasia. Ele não soube precisar para quem e quando foi entregue a quantia e, tampouco quando pedido foi feito ao policial. 

Em depoimento à PF, Careca afirmou que essa quantia foi repassada ao tucano, que nega ter recebido o valor. "Meu cliente deu dinheiro a ele para entregar em Minas Gerais. Mas em momento algum meu cliente soube ou tinha relacionamento com o Anastasia. Agora se o Jayme Careca tem alguma coisa a informar, de que o destino do dinheiro foi o Anastasia, cabe a ele provar isso".


Fabio Motta/Estadão
O nome do senador Antônio Anastácia foi citado durante as investigações da Lava Jato
Líder do esquema investigado pela Lava Jato, Youssef foi preso no ano passado e decidiu colaborar com a Justiça e contar o que sabe em uma delação premiada ao Ministério Público Federal. "Sentimos que há interesse em desconstruir as colaborações no processo, em desacreditar. Não podemos deixar que haja esse tipo de ventilação sob pena de prejudicar as colaborações. Não podemos permitir que interesses políticos ou de terceiro minem a credibilidade do meu cliente. Ele não conhece o Eduardo Cunha, nunca teve pedido do Eduardo cunha, não sabe nada a respeito de entregar dinheiro para o Eduardo Cunha assim como para o Anastasia", ressaltou o advogado de Youssef. 

O doleiro já terminou de prestar seus depoimentos ao MPF no âmbito da delação e a expectativa é de que Procuradoria-Geral da República entre com novos pedidos de investigação no Supremo com base nas informações do doleiro.

ATUALIZANDO às 21:22 - Às 19:43 a Folha desmentiu a mentira que publicou. Clique aqui. 

17 comentários

"Folha" de recadinhos do PT e de desconstruir a imagem das pessoas que não pertencerem aos marxistas e depois, para retratar, se o fizer, ainda demora!

Reply

O que ainda saberemos ...
Se a história voltar um pouco mais," je ne suis pas charlie, claaaaro. "

Reply

Coronel, falta uma coisinha no título.

Reply

O problema dessas facções é que fazem o diabo para prejudicar pessoas e não sentem um mínimo de emoção humana, como arrependimento, piedade, etc. É incrível, quem são essa gente????

Reply

Desmente falsamente.
Texto da folha:" A folha REVELOU na semana passada que o entregador de dinheiro de Youssef..."
Revelou o que se e mentira. Por que não escreveu assim:
"A folha NOTICiOU na semana..."

Reply

Coronel,
se fosse diferente não seria a folha.

Reply

Os terroristas que assassinaram os jornalista do Charlie Hebdo pelo humor feito com seus ídolos, fariam o que com quem PUBLICA CALUNIAS sobre autoridades constituídas do Paiz?

Na França os terroristas assassinaram cartunistas, no Brasil os terroristas companheiros da (ex?) terrorista Dilma assassinam reputações, por enquanto.

Vamos ver onde chegarão nesse Brasil sem LEI e sem oposição.

Reply

Enquanto os terroristas na França assassinam humoristas, aqui no Brasil os amigos da (ex?) terrorista Dilma assassinam reputações, por enquanto!

Num Brasil com as cortes tomadas por CUMPANHEIROS que GANHARAM as togas para garantir impunidades, o que não farão daqui pra frente esses assassinos de reputações?

Reply

A FOLHA é um pasquim a serviço do PT.

Reply

Falta o "não" no título. Do jeito que está, ficou sem sentido.

Reply
fred oliveira mod

Imagina como a Folha vai divulgar que Lula e Dilma estão mesmo atolados até o pescoço nas falcatruas da petrobrás, eletrobrás e BNDES...dá para imaginar, cel?

Reply

Publicous em letras minúsculas no UOL, bem disfarçado, como sempre. Onde há Jânio de Freitas não pode haver um pingo de honestidade.

Reply

Deixei de comprar e ler o jornaleco Folha. Há muito tempo deixou de ser jornal para virar panfleto petista.

Reply

Não me preocupo com a Folha, que não passa de um folhetim a serviço do PT, mas sim com a atitude do Procurador Geral da Republica o Rodrigo Janot, que com base nesta denúncia já quer enquadrar o deputado Eduardo Cunha. No momento que o PGR está aparelhado com um militante como ficar as ordenações jurídicas do país?

Reply

O Califado petista e demais cangaceiros bolivarianos vão
surpreender!

Reply

Acredito muito mais que quem recebeu a propina em Belo Horizonte seja Fernando Pimentel ou Patrus Ananias. Esses sim são amiguinhos e da laia da Dilma. Aliás, ninguém comenta sobre o dinheiro apreendido no aeroporto de Brasília, antes das eleições, em posse do assessor do Pimentel.

Reply

A Folha de São Paulo, como boa parte da imprensa brasileira, está aparelhada pelo lulo-petismo. Dá para imaginar como seria se houvesse o famigerado controle social da mídia?

Reply