Apoiado apenas pelo PT e Dilma, segue a novela Cunha cai ou não cai?


Depois do desembarque da oposição, da perda de apoio entre aliados e do desconforto no PMDB, cresce a insatisfação na bancada do PT com a política de boa vizinhança mantida pelo Palácio do Planalto e pela direção petista com o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). 

(O Globo) O ministro Jaques Wagner (Casa Civil) convocou uma reunião com deputados do PT descontentes para a noite de hoje. Já o peemedebista, fiel ao seu estilo de se defender atacando, afirmou ontem que é “furado” acharem que ele vai cair antes de decidir sobre o pedido de abertura de processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff, o que promete fazer antes do recesso parlamentar, que começa em 22 de dezembro. Cunha disse ainda que “não existe qualquer hipótese” de se afastar do cargo. 

— Furado é achar que vou cair. Mais furado ainda é achar que não vou decidir (sobre o impeachment) — afirmou Eduardo Cunha ao GLOBO, por meio de mensagem de texto. Ele disse que na semana passada arquivou sete outros pedidos e que faltam outros sete para avaliar, o que pode fazer a qualquer momento: — Não sei (se será na próxima semana). Vai ser na medida do meu convencimento. 

O peemedebista ironizou as avaliações segundo as quais ele, isolado, pode cair antes e dar um refresco para a presidente Dilma. — Todos os dias, faz quatro meses, esses mesmos articulistas falam que vou cair e estou aqui — respondeu. 

A avaliação de governistas é que o clima para o impeachment esfriou e que a presidente ganha fôlego com o recesso parlamentar. A aposta é que, até fevereiro, quando o Congresso voltar a funcionar, Cunha já terá sido afastado do comando da Câmara e substituído por um aliado que enterre de vez a possibilidade de impeachment. Mas Cunha disse ontem que vai se decidir sobre os sete pedidos de impeachment ainda pendentes, inclusive o dos juristas Hélio Bicudo, Miguel Reale Júnior e Janaína Paschoal, antes do início do recesso.

Divergindo da orientação do Planalto e da direção partidária, mais da metade da bancada do PT quer partir para o enfrentamento com o presidente da Câmara. Dos 60 deputados petistas, 34 assinaram a representação contra Cunha protocolada pelo PSOL e pela Rede no Conselho de Ética da Casa. — Quero que alguém me explique qual é o ganho de manter essa situação — disse um dos convidados para a conversa com Wagner. 

O Planalto e a direção do PT continuam tentando ganhar tempo, temendo que um confronto com Cunha prejudique o governo. A preocupação é que o presidente da Câmara revide com a abertura de um processo de impeachment e que a crise política prejudique a votação de medidas do ajuste fiscal.
Ao discursar na abertura da reunião do Diretório Nacional do PT, no último dia 29, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou que é mais importante aprovar as matérias de interesse do governo do que “derrubar” o presidente da Câmara.

— O Eduardo Cunha de fato não deve ser nossa prioridade, assim como também não é da oposição. A prioridade da oposição é o impeachment. O problema é que a situação evoluiu para uma conduta tão intolerável que teve até levante no plenário — disse um deputado do PT, referindo-se à reação, na última quinta-feira, à manobra de Cunha para obstruir os trabalhos do Conselho de Ética.

Deputados do PT reclamam por não terem sido consultados sobre a decisão de ajudar a não dar quórum para a sessão do Conselho de Ética, na última quinta-feira, embora sofram o desgaste gerado por essa medida. Segundo petistas, a articulação ficou restrita à direção do partido; ao líder da bancada, deputado Sibá Machado (PT); e aos integrantes do colegiado.

Em diversos setores do PT, há insatisfeitos com a exposição negativa, como o senador Jorge Viana (PT-AC). E ao menos um dos três deputados petistas no Conselho de Ética, Léo de Brito (PT-AC), não pretende mais faltar às sessões e garante que votará com “ética” no caso. Ele disse ao GLOBO que ainda não decidiu como votará no processo, negou ter havido pedido por parte do governo para que o PT ajude Cunha e afirmou acreditar que o presidente da Câmara não fará “retaliação política” com o impeachment, se não for salvo pelo PT no Conselho de Ética. — Minha posição é pelo pleno funcionamento da Comissão de Ética — disse outro petista, o deputado Paulo Teixeira, de São Paulo. 

A situação do peemedebista se agravou consideravelmente na última quinta-feira, quando manobrou durante horas para impedir que a sessão do Conselho de Ética analisasse a admissibilidade do processo por quebra de decoro do qual é alvo.

A reação da oposição foi imediata, com duros discursos e o esvaziamento do plenário, e será intensificada esta semana, quando partidos oposicionistas ingressarão no Supremo Tribunal Federal e na Procuradoria-Geral da República pedindo o afastamento de Cunha da presidência da Casa. Está prevista ainda a obstrução das votações na Câmara enquanto Cunha continuar na presidência.

9 comentários

Realmente o Dep.Cunha não aceita o PT, Dilma e Lula.Mesmo acusado e perseguido pelo petista
Procurador Janot.As contas de 1988 não tem nada a ver com a Lava Jato.

Reply
Despetralhando mod

A corja é o que sempre foi bandida e luta só pela sua sobrevivência no poder, está mioto longe de uma ação republicana e sim para quadrilha.
Caso fosse realmente feito uma varredura nas fichas corridas dos 'nobres?' dePUTAdos seria o maior expurgo de canalhas por metro quadrado.

Reply

Meu caro Coronel, podemos concluir que a parte do PT será feita no conselho de ética, por ser um ajuntamento de marginais e de ladrões descarados do erário público. Ponto pacífico, ali não há nada mais a se fazer, apenas observar e se indignar. Mas há uma segunda via inexplorada, que pode ser revertida pela pressão do próprio povo. São os demais "conselheiros da ética", desconhecidos do povo e que estão firmes no apoio a Cunha. Te pergunto, não seria o momento de esses deputados virem a público e se explicarem do porquê desse apoio? Ora, nada se sustenta, nem os seus argumentos, nem a sua posição diante de seus próprios eleitores. Cito aqui no Paraná, Ricardo Barros. É hora da posição delinquente desse deputado ser cobrada severamente. O mesmo para os outros respectivos deputados em seus respectivos estados.
MANSO.

Reply

O pt ensina o Brasil, o verdadeiro sentido da pátria educadora, mostra que todo ptista é desonesto e que todo crente é falso.
Esse é o maior ensinamento desta pátria educadora.
Ticu Soares

Reply

PMDB não desembarcou,continua apoiando o cunha,cade a fala do PMDB em público dizendo que não apoia mais o cunha,cade o presidente do PMDB falando,cade o Sarney Renan,Lobão ex ministro q tá no petrolao cade a marta suplivy,cade o vice temer n vi ninguém vir a público ,conversa fiada p enganar ,estão sim o apoiando ...só acredito que o PMDB não o apoia mais se vier a público falar em alto e bom.som

Reply

O Brasil é um pais em frangalhos, totalmente tomado pelos bandidos, todos os valores sociais invertidos, nenhuma instituição mais funciona com ética e probidade, a prova disso é esse bandido presidindo a câmara, outros tantos julgando e sentenciando no STF, TSE, PGR, CGU, ..... nada mais no Brasil funciona conforme manda a Constituição, hoje impera a lei do cão, dos bolivarianos terroristas e ladrões. Não existe mais os direitos do cidadão, cada instituição legisla e defende seu quinhão, degladiando vergonhosamente entre si, na ganancia do mostrar seu próprio poder e enriquecimento ilícito. São donos do dinheiro público, doam e dispõem dele conforme seu umbigo define.
Já não temos como contar com a LEI, só venceremos se o povo de bem se juntar e mostrar seu poder.

Reply

Se tem algum bandido, seja lá onde for, advinhem onde estará o pete? Acertou.

Reply

Sou a favor de uma greve geral jah ......fora Cunha Renan e Dilma

Reply

A foto está de acordo com novembro azul.
Será que está fazendo aquele exame?
Ou está se preparando para o que vem no futuro?
Pode ser a carne moída que está voltando em forma de linguiça, cuidado!!
IV

Reply