O povo que não quer Dilma e Lula também não quer Renan e Temer. Mas pode querer Cunha.

(Folha) A maioria dos 135 mil manifestantes (350 mil para a PM e mais de 1 milhão para os organizadores) que foram ao ato contra Dilma Rousseff na avenida Paulista, neste domingo (16), rejeita o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e o vice-presidente da República, Michel Temer (PMDB), que estão na linha sucessória no caso de impeachment. As porcentagens foram de 79% e 68%, respectivamente. 

O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ) –segundo na sucessão, atrás de Temer–, também tem rejeição alta (43%), mas não é reprovado pela maioria. Os peemedebistas eram conhecidos por 97%, 100% e 96% dos manifestantes, respectivamente. 

Nesta segunda (17), Renan minimizou as críticas. "Acho que não é hora de falar das manifestações. É a hora de ouvir. Ouvir as ruas, recolher seus sentimentos e agir como fizemos em 2013", disse.

10 comentários

Na minha estatística contei 500 mil pessoas no Rio, 600 mil na Av Paulista e 500 mil e Brasília. Só aí, 1,6 milhões de brasileiros foram às ruas. A PM dos Estados não tem profissional qualificado para fazer estatística.

Reply

kkkkkkkkkkkkkkk... os bolivarianos já deram o golpe e vão ficar no poder até 2018 comprando todos que bloquearem seus caminhos. Ninguém vai tirar eles de lá. O GOLPE já foi dado. É por isso que eles dizem que "não vai ter outro golpe". Eu conheço essa gente. Convivo com eles, infelizmente, por necessidade.

Reply

CEL,

Estou vendo o seriado FALLING SKIES e fiquei observando a bravura e o patriotismo de um povo como é mostrado nessa série. Ai passei a imaginar onde está o patriotismo da maioria dos brasileiros, sua coragem, onde está o seu repudio contra o roubo, a mentira, o engodo e a incompetência desse governo que aos poucos está levando tudo e todos à bancarrota. Onde estão os pelo menos 40% da população indignada com tudo isso e que não comparece às manifestações de rua, não para lutar contra um invasor alienígena mas, para que, com sua presença, mostrar sua repulsa e contrariedade contra um invasor que tomou conta do poder e que aos poucos transformou o país em um descomunal circo? Quando acabar o pão, restará somente tirar a bunda da arquibancada e ir à luta, não haverá mais nada a esperar.

Índio Tonto/SP

Reply

Agir como em 2013 ??????? Lá vem mais corrupção !!!!

Reply

Deprimente mesmo é ainda ter ver um Renan Canalheiros como presidente do nosso Senado, o Brasil está totalmente na lama, em qualquer país sério esse sujeito já estaria preso ou afastado do cargo, mas no nosso país, bandidos dizem que defendem a justiça enquanto os trabalhadores honestos são chamados de golpistas. É de vomitar ter que ouvir um Canalheiros dizer que é preciso "ouvir o povo", sinceramente não é mais cara de pau, é cinismo patologico da pior espécie mesmo

Reply

Parece que não deu certo o que fizeram em 2013. Tivessem feito o certo o povo não teria motivos para voltar às ruas.

Reply

Se é o PMDB que esta segurando Dilma no cargo então devamos começar a mandar recados para o PMDB, por exemplo: "Não voto no PMDB em 2016. Vamos fazer essa campanha nacional. Manifestem também contra o PMDB de Sarney e Renan.

Reply
fred oliveira mod

Agir como em 2013? Renan está maluco...o congresso não fez nada, só espuma. Basta ver a impopularidade do congresso. Só escapa cunha porque peita lula e dilma.

Reply

Atenção Congresso Nacional, vão sacrificar um país inteiro para seguir o corrupto Renan Calheiros?
Vão nadar contra a corrente e jogar o país no abismo por uma presidente que não deveria estar aí?
Sustentaram o PT durante estes anos todos e é chegada a hora de limpar a bagunça pois os partidos da base alugada são tão responsáveis quanto o PT mas têm a oportunidade de corrigir a m*** que fizeram. O PT não tem salvação mas os outros podem pelo menos tentar sair limpos dessa história renegando o petismo e ouvindo o povo que não aguenta mais.

Reply

A verdade é que o TSE DEVERIA(isso é democracia) anular as eleições de 2014 e cassar todos os envolvidos em corrupções e convocar novas eleições gerais.Algo que os manifestantes democráticos não reclamaram no manifesto do dia 16 do corrente.

Reply