FHC muda discurso: "impeachment não parece impossível".

(Estadão) O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, principal líder do PSDB e, portanto, da oposição, já tem uma posição clara diante da crise: nem apoio ao impeachment, nem pacto com o PT. Em entrevista ao Estado, ontem, FHC disse que o horizonte mais provável é de que o governo "fique cozinhando o galo em fogo brando" nos próximos quatro anos. Mas ressalvou que, em política, "nada é impossível". E criticou Lula: "Ele quer é acusar. Ele é o bom, nós somos os maus. Então, não há como dialogar com quem não quer dialogar".

Como o sr. vê a situação hoje?
Como todo brasileiro, com muita preocupação. Sem esperança, não vendo uma saída. É um momento bastante sombrio.

A ponto de ter impeachment?
Impeachment não é uma coisa desejável e ninguém se propõe a liderar isso. O PT usa o impeachment para dizer que o PSDB quer, mas não é verdade. Impeachment é como bomba atômica, é para dissuadir, não para usar. 

O panelaço de domingo e a manifestação de 15 de março podem mudar alguma coisa?
Essa manifestação vai ser realmente grande, mas é produto das redes sociais, de vários setores da sociedade, independentes uns dos outros, por motivos diferentes. E totalmente independente dos partidos. 

Dá para comparar com 2013?
Sociologicamente, vai ser uma comparação interessante. Em 2013, era contra tudo, agora é direcionada contra o governo. Mas vamos esperar para ver. O PSDB faz bem em não chamar para a rua. A rua, neste momento, não é dos partidos, é do povo. É o povo que vai para a rua.

Se as manifestações forem num crescendo, o sr. não vê horizonte de impeachment?
Eu não posso dizer que seja impossível, porque as coisas não são assim em política. Mas o horizonte mais provável não é que vá para esse lado.
E o peso da Petrobrás na crise?
É muito grande. A Petrobrás é uma empresa vital para o Brasil. A despeito das intrigas do PT, sobretudo do Lula, de que queríamos privatizar a Petrobrás, isso tudo era uma grande mentira. Não cabe privatizar a Petrobrás. Cabe, sim, despolitizá-la, despartidarizar a Petrobrás. 

Como o sr. vê agora a venda de R$ 39 bilhões em ativos?
Vai vender na bacia das almas, no pior momento. Isso, sim, é contra o interesse da Petrobrás e do Brasil. No limite, a crise real é política, é de confiança. Sem confiança, não se cria esperança. Sem esperança, a recessão é só recessão, o ajuste é só o ajuste, só um mal estar.

Na TV, a presidente disse que tudo isso é passageiro, até o final do ano. Há condições?
A quebra de confiança foi grande. Não se refaz do dia para a noite.

E a crise no Congresso?
O governo criou caso com a própria base, então fica difícil. A presidência do Senado devolveu a medida provisória das desonerações. Foi um ato de rebeldia e força. É um sinal de que o processo congressual está descontrolado e não vejo como este governo tenha como reagir à altura. É muito ruim que o governo não reconheça nenhum erro. 

Foi o FHC?
Foi o FHC! É patético, mas eu fico até envaidecido, porque, depois de mais de 12 anos, eu até fico pensando: 'Meu Deus, que força que eu tive!'

O envolvimento de 47 políticos na Lava Jato ajuda o Planalto?
De certo ponto, sim. Mas acho que o importante para o Planalto é dar eficiência ao Congresso, para conseguir as votações do ajuste. Isso não dá eficiência ao Congresso, muito pelo contrário. Dá é paralisia.

Alguma comparação histórica com o momento atual?
Eu só vi uma situação parecida em 1963, quando houve um descolamento entre o Congresso e o governo, e o governo foi perdendo a capacidade de governar. Quando o Congresso percebe que o Executivo não tem agenda, está tonto, fazendo uma agenda que não é a dele, o Congresso fica mais inerte. E, se você perde a força aqui, você perde a força no mundo.

Alguma conexão com Collor?
Não creio. A conexão com o Collor é que ele não sabia como manejar com o Congresso, não tinha amor pelo Congresso, ficava isolado. Nesse sentido, há alguma similitude, mas só nisso. Na época, a sociedade sancionou o impeachment, Collor não reagiu e os partidos tinham condição de operar a transição. Não vejo a mesma coisa hoje.

A crise joga o PMDB para o PSDB?
Não para o PSDB, mas para a oposição. O PMDB já está na oposição e com razão. Que ministérios eles têm? Qual o peso deles? Não tem. O PMDB não participa da negociação política, das decisões do governo.

O senador Aloysio Nunes fala em "deterioração controlada" nos próximos quatro anos. Se as ruas são movidas pelas redes sociais e faltam lideranças políticas, quem pode controlar o quê?
O PSDB está digerindo a crise, tentando entender até onde vai ela. O que ele quis dizer é que não haverá uma ruptura, as coisas vão ficando mais desengonçadas, mas se mantêm. 

Quatro anos não é muito?
É uma possibilidade. Nós já vimos outras fases assim, quando os governos vão cozinhando o galo em fogo brando. A novidade é que a sociedade está mais inquieta, mais ativa. Se os partidos e os líderes políticos não responderem, eles perdem força. Um desafio para todos nós.

Na redemocratização, no Collor, nos momentos graves, havia grandes líderes no Congresso, na sociedade, no empresariado, na Igreja, na área militar. E hoje?
Esse ponto é muito importante. A crise hoje não é só dos partidos, é mais ampla. Você tem dificuldade até de diálogo com a sociedade. Um exemplo. No passado, você tinha cardeais que sabia o nome, conhecia pessoalmente, como o d. Paulo. Até hoje, você fala e todo mundo sabe quem são. Agora, não. E isso vale para a OAB, ABI. A UNE virou departamento de um partido. Mesmo na área empresarial, não vejo quem são as lideranças com quem você possa dialogar num momento como este.

No Congresso, não é pior? Os presidentes da Câmara e do Senado estão sendo investigados.
Bem, até que esses dois atuam e, no próprio PSDB, raramente nós tivemos uma bancada de senadores tão poderosa. Só não sei no que vai dar tudo isso da Lava Jato. E tem uma coisa: a circunstância é que faz as lideranças. O desafio é tão grande que vai empurrar as lideranças, senão para controlar a onda, porque às vezes é impossível, pelo menos surfar nela.

A inclusão do senador Anastasia enfraquece o PSDB?
Ele foi posto lá para isso.

Por quem, presidente?
Ora, quem? O responsável final é o procurador. A acusação é vaga, parece história da carochinha. Se encontrarem, vale aquilo: errou, pagou. Mas acho que não vai chegar a isso.

Qual a viabilidade de conversas entre o sr. e o ex-presidente Lula e de um pacto PT-PSDB?
Qual seria o significado de um encontro meu com o presidente Lula? Ele tem que, primeiro, pacificar lá a situação do partido dele. E qual é a pauta? Nunca me neguei a discutir uma pauta. Agora, essa discussão não pode ser um conchavo, tem que ser uma discussão sobre como melhorar a situação política, econômica e social. Quais são os itens? Dá para convergir? Não dá? Mas a visão do presidente Lula não é essa, ele quer o contrário, quer acusar. Ele quer dizer quem são os bons, quem são os maus. Ele é o bom, nós somos os maus. Então, é quase impossível. Não há como dialogar com quem não quer dialogar.

E a convocação que ele fez ao "exército do Stédile"?
É uma retórica preocupante, porque quem foi presidente da República não tem o direito de brincar com questões sérias. Convocar para a briga e menosprezar inclusive o Exército, porque citou um outro exército, é indesculpável. Todo mundo está vendo o que está acontecendo aqui. Um descalabro.

A crise pode dividir o Brasil como na Venezuela?
Espero que não e espero que aqui não seja meio a meio. Se o Lula insistir na divisão, ele vai ficar com 20%.

31 comentários

Parece que o PSDB também está descolado da realidade, assim como o PT. Então eles realmente acham que vamos aguentar mais 4 anos disso para eles terem uma chance de eleger um presidente? Se Michel Temer se tornar o presidente eu não me preocupo com isso, o que me preocupa é aguentar 4 anos mais de PT com a possibilidade de mais 4 depois disso. Vamos ter que ir em frente sem o PSDB.

Reply

Se o PT/Lula/Dilma e a SOC toda tivessem sido extirpados em 2006, com o mensalão, o Brasil não teria passado por esse desmanche assombroso por que tem passado nesses 8 anos desde lá.
O maior responsável por essa desgraça é FHC, que tinha a obrigação de usar seu prestígio e ter feito a cassação da SOC acontecer. Essa é uma dívida de honra que FHC tem com os brasileiros.

Por conta dessa desgraça praticada pelo PT nesses 12 anos, tudo piorou e chegou neste estado crucial que nos encontramos. O PT já cresceu muito mais no seu poder de praticar o mal contra o Brasil, FHC deve agora pagar sua dívida e fazer o que não fez no mensalão, acabar com o PT.

É o mínimo que deve fazer para recuperar o respeito dos brasileiros. Se não fizer isso, melhor se recolher em seu pijama e deixar de atrapalhar.

Reply

Meu Deus!

Essa entrevista a meu ver não cheira nem fede! Embromação pura, nada objetivo, claro, afirmativo.

Pode-se dizer que essas respostas são pra passar o tempo, isso sim é "cozinhar o galo em fogo brando".

Em vez de usar o pretigio para tirar a SOC do poder, fica preparando canja pra desdentado.

Reply

FgagáC parece biruta de aeroporto, cada hora é uma coisa diferente, misericórdia. Política não é academia, onde livre pensar é só pensar e tudo parece mais ou menos válido enquanto liberdade de cátedra. Na política o que se fala tem implicações práticas, catzo. Ou o sujeito pensa antes de falar ou fica servindo de escada pra bandido se safar e ainda tripudiar. O Brasil já tem sociólogos demais, precisamos de políticos!

Reply

Coronel, o governo acabou, a confiança acabou, nas redes sociais ninguém acredita mais no que a presidente fala, ninguém, só os fanáticos petralhas e puxa-sacos radicais, além é claro dos blogs nojentos patrocinados com nosso dinheiro.
Lamentável, a melhor saída seria a renúncia.
Vou te contar um segredo:
Pensava que nunca aconteceria comigo mas já estou ficando com dó da Dilma, estou falando sério, ela está no meio de ratazanas petistas e pemedebistas, tá morta! ACABOU! pode apagar a luz e trancar a porta. THE END...GAME OVER!

Wolverine 45

Reply
fred oliveira mod

Ate' agora uma boa parcela do eleitorado brasileira enxrgava em FHC um lider digno e reconhecia os acertos de seu governo, muito melhor que os de Lula e Dilma. Agora, estas posiçoes que ele esta' tendo sobre esta crise e o governo Dilma nao esta' agradando a ninguem. Precisa ser mais assertivo, mais firme. Ate' compreendo sua elegancia e senso de responsabilidade. Ate' concordo, em certo grau com sua postura mas dai' fazer certas defesas como ele faz, sobretudo, tentando afastar a possibilidade do impeachment, e' outra historia. Claro que o impedimento de um presidente sempre e' algo desgastante para a sociedade mas se ha' elementos para isso e e' constitucional, e' valido sim, ansiar pelo impeachment.

Reply
Despetralhando mod

Acho que o FHC poderia deixar a bazófia de lado e ser mais objetivo nestes momentos, ele tem que saber que está falando para um jornalista e não dando palestras, portanto se quiser continuar defendendo o velhaco pés de barro, não fique de nhem-nhem-nhém.

Reply

Cuidado Com FHC.?E portador de esquerdopatia incurável.Tem remissoes,mas o vírus esta lá.Nao me engana.

Reply

Quer dizer que o imbecil quer que o Brasil fique cozinhando em fogo brando nos próximos 4 anos O que ele está pretendendo, que eles recuperem e no final o seu pupilo, o "9 dedos" ou seu partido possam continuar?
Antes que cresça, mais do que deveria ter crescido, cortem o mal pela cabeça.

Reply

O FHC não diz coisa com coisa. Tá parecendo discurso da Dilma. Todas as respostas dele conduzem para o impeachment, mas ele não quer. Vá plantar batatas, FHC. O muro em que você está sentado em cima vai cair.

Reply

Coitado do Brasil! Então seu grande ex-presidente, professor e pensador, que enviuvou por conta da maldade infinita dos petralhas, continua condescendente com elles no meio desse pântano (quagmire, disse a Economist) todo e ainda pensa que não cabe privatizar a ptbrás - bem atrasadinho, ele, não?

Reply


FHC: elegante, lúcido, perspicaz, inteligentíssimo como sempre! Parabéns!

Reply
Despetralhando mod

É tucanato, ou vocês tratam os petralhas como eles os tratam, ou é porrada diuturnamente (e a noite tamêm).

Reply

Este FHC teve o seu mérito a sua época, contando com o auxilio de uma equipe profissional de primeira, mas também elaborou algumas medidas erradas, como as da area de defesa. Bem, ele foi superado pelo tempo e a sua formação social filosofica não se adapta a atual conjuntura, pois temos hoje uma "pilota" levando a aeronave Brasil em pleno mergulho, com a certeza de um eminente desastre. Como se trata de uma metáfora a tal pilota de avião e a realidade sim é de um país, urge pois sejam tomadas medidas para substituir esta "pilota" antes da catastrofe que se avizinha. Fui Jarjura.

Reply

Aos comentaristas do Blog. ATENÇÃO, SEJAMOS INTELIGENTES. Vocês tem de perceber que estas declarações do FHC e outros membros do PSDB contra o Impeachment, são necessárias para que os petistas tentem grudar a pecha de 3º turno, perdedores, golpistas, etc? MEUS DEUS, QUERIAM O QUE? DAR MUNIÇÂO AOS BANDIDOS? Essas manifestações são populares e devem continuar assim. O Impeachment vai acontecer no momento em que aparecerem as provas e as delações dos executivos das empreiteiras e os partidos puderem entrar. ENQUANTO ISSO CABE A NÓS, POVO, MANTER O GOVERNO SOB PRESSÃO.
VAMOS SER MAIS INTELIGENTES PESSOAL.

Reply

Essa politicalha,canalha, seja de qual partido for, querem apenas prosseguir validando a FALSA DEMOCRACIA em curso que os beneficia.
Os brasileiros honestos não querem saber de impeachment, continuar na mão de políticos desonestos, querem sim, livrar-se de toda a traição desses políticos safados e de toda essa farça, Só existe uma saída que é lutar por uma INTERVENÇÃO MILITAR CONSTITUCIONAL JÁ sem mais delongas para por toda essa raça de políticos nojentos que hora se locupletam nas costas do povo.

Reply

Resultado da entrevista: puro "embromation"!!!!

Não aguentamos mais 4 anos de PT! A oposição pensa que ficar nesta lenga, lenga, vai nos convencer.

Aí, em 2018, aparecem nos pedindo votos. Oposição se faz todos os dias, não em véspera de eleições.

DIA 15 a população vai mostrar para estes frouxos da oposição o que quer: FORA PT!


Chris/SP

Reply

É o vácuo de poder que se aproxima. Nem pete nem psdb. São farinha do mesmo saco e se fizerem algo para o país podem ter certeza que não será bom. Fora lula, fora dilma, foran fhc (tudo assim mesmo)!

Reply

Sempre respeitei muito o FHC. Mas essa entrevista foi tão infeliz quanto a declaração do Aloysio Nunes. Saber que o Brasil está indo de mal a pior e não defender a troca de governo, é inconcebível. Fica parecendo que está colhendo armas contra o PT para a campanha de 2018. E, até lá, é o povo brasileiro que se dane!

Reply

Quem é ele para dizer que o impeachment, dainte do descalabro de roubalheiras e desmandos gravíssimos, não é desejável?
Canalha, ainda por cima gagá, é assim, diz uma coisa, agora tenta desqualificar o que disse, está enrolando porque não era para ter dito o que disse, e assim vai se entregando e se enroscando todo.
Definitivamente não se pode mais ter um mínimo de confiança em ninguém.
Percebam com oem todos esses anos ninguém, mas ninguém mesmo, ousa em parir um Partido Republicano Liberal.
Por quê? Qual o medo?
Se é para ter um lado, uma babaquice sem tamanho, então eu sou de direita, liberal e conservador, dos bons costumes.

Cavalaria Ligeira

Reply

Esta notícia é boa!


SÓ NÃO CONTEM PARA FHC
Brasil 10.03.2015

Segundo o Estadão, PSDB, DEM, PPS e Solidariedade "vão dar suporte formal e informal aos atos programados" no dia 15.

No PSDB, "a ordem é incentivar a participação de filiados em todas as manifestações".

E Roberto Freire, presidente do PPS, declarou:

"Vamos ao ato com bandeiras do Brasil. Queremos quebrar esse preconceito de que a manifestação não pode ser política. A discussão sobre o impeachment presta um serviço à sociedade".

É essencial que os partidos se mexam. Fernando Henrique Cardoso pode permanecer em seu apartamento, montando o "novo bloco" de apoio a Dilma Rousseff, mas o resto da turma tem de sair às ruas.

Se os oposicionistas ainda não sabem para onde ir, esta é a Paulista (14h00):

http://www.oantagonista.com/posts/so-nao-contem-para-fhc

Reply

Cala a boca FHC, minha paciência com o PSDB acabou, sempre votei para presidente no PSDB, agora chega dá para ver bem que compactuam com a ideologia Petista!!Esperar mais o que para tirar essa gente do poder?? O Brasil não sobrevive a mais 3 meses desse desgoverno!!!

Reply

FHC deveria ficar quieto!

Reply

FHC é igual mulher de malandro. Quanto mais apanha mais gama.

Com um "inimigo" desses o petralhas estão feitos. E parece que eles têm consciência disso.

Reply

Ora ora seu Lula, muito feio isso que o o sr está fazendo. Não faça mais isso, viu ?

-----
E do outro lado bandidos sem nenhum escrúpulo e nenhum limite.
----

É de uma tibieza e covardia inacreditável, cada dia mais decepcionado com este senhor.

Reply

Entendo que ele não possa dar munição aos petistas sendo o primeiro a pedir o impeachment.

Mas no mínimo se esperava uma declaração do tipo: "Quem faz o impeachment é o povo, quando o povo quer é impossível segurar."

....

Reply

FHC sempre foi um esquerdopata escamoteado metido a intelectual. Nessas horas, ele mostra a ideologia à qual serve!

Reply

off

Ontem a noite, no Programa THE NOITE /SBT, Danilo Gentile entrevistou o Jurista Ives Gandra Martins. Foi EXCELENTE!

Perdeu??? Assista aqui:


https://www.youtube.com/watch?v=ePB7J1pR7wQ



Chris/SP

Reply

Ele não deixa de ter razão. O ideal seriam novas eleições e por todo lado que se olha a coisa está preta e em caso de impeachment, assume o vice que por acaso é do PMDB que não só participou como foi o grande aliado do PT na condução do país, protegeu e alimentou a sanha petista. Difícil! Olhando por esse lado, FHC tem razão, estaremos trocando seis por meia dúzia mas com o PMDB no comando a Democracia ganhará uma sobrevida até as próximas eleições.
Estamos entre a cruz e a espada , tirando o pior e colocando o menos pior e sendo assim que venha Michel Temer.

Reply

FHC tenta salvar o conceito. Essa falta de coragem dos tucanos é terrivel

Reply

Pois é, em 2005, quando foi divulgado o esquema criminoso do mensalão, com o conhecimento e permissão do Lula, vários tucanos, tipo FHC, Tasso, Aécio... foram contra a propagando do impeachment. Falaram: Vamos deixar eles sangrarem! Sifu! Deu no que deu, o pilantra foi re-eleito, derrotou o Tasso e outros otários e ainda elegeu um poste tipo Dilma. Não podem fracassar nem alizar essa quadrilha, principalmente o Lula, o verdadeiro chefe da quadrilha e o que mais lucrou financeiramente.

Reply