O país começa a pagar o preço da eleição de Eduardo Cunha para Presidência da Câmara. E o preço será muito caro.

Pouquíssimas nomeações foram feitas na Esplanada dos ministérios. As edições do Diário Oficial saíram magérrimas no primeiro mês do governo Dilma II. Agora vai deslanchar. Dilma vai ter que pagara a conta da derrota do PT para Eduardo Cunha na presidência da Câmara. O preço não será baixo. O país que se prepare, pois fisiologismo como veremos jamais existiu.

(Estadão) Depois de sofrer a primeira derrota política do segundo mandato, a presidente Dilma Rousseff iniciou um movimento para reconstruir pontes com o PMDB e a base aliada do governo no Congresso. Antes mesmo do resultado da eleição que levou à presidência da Câmara o deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), ministros do PT entraram em campo para propor um "pacto de governabilidade" ao antigo desafeto. 

Dilma acompanhou a disputa do Palácio da Alvorada e almoçou com os ministros Aloizio Mercadante (Casa Civil), Jaques Wagner (Defesa), Pepe Vargas (Relações Institucionais) e Miguel Rossetto (Secretaria Geral da Presidência). A presidente deu carta branca para a aproximação com Cunha e o vice Michel Temer (PMDB) foi acionado para ajudar nesse movimento. 

"Não acredito que Eduardo Cunha vá agir como inimigo. Durante o processo eleitoral, ele rompeu alguns cercadinhos que eu não rompi, mas ninguém pode sentar na cadeira de presidente da Câmara e virar oposição", afirmou o deputado Arlindo Chinaglia (PT-SP), que perdeu a eleição para Cunha. O petista admitiu, porém, que a partir de agora o governo fica "no limite da instabilidade" na Câmara. "Não se pode, depois da eleição, ser sangue para todo o lado. Vamos apostar no diálogo para garantir a governabilidade", emendou José Guimarães (PT-CE), um dos coordenadores da campanha de Chinaglia. 

Pauta. A derrota do petista é preocupante para Dilma porque expôs a insatisfação dos deputados com o Planalto e com o PT, além de escancarar a fragilidade da articulação política com o Congresso. No Senado, o governo comemorou a recondução de Renan Calheiros (PMDB) à presidência da Casa e acredita que, apesar de dividido, o PMDB ali não dará dor de cabeça porque é mais fácil a "repactuação". 

O temor do Planalto e da cúpula do PT, agora, é com a inclusão de uma "pauta bomba" na Câmara, com projetos que aumentem as despesas do governo, em tempos de dificuldades na economia. Não é só: Cunha também já prometeu apoiar uma nova CPI sobre corrupção na Petrobrás. 

Na avaliação do Planalto, a eleição de ontem foi marcada por um jogo de traições da base aliada, no rastro da Operação Lava Jato, que escancarou um esquema de corrupção na Petrobrás. Em conversa reservada, um ministro disse ao Estado que Cunha se comportará como "embaixador dos grandes interesses econômicos". O governo, agora, vai usar as nomeações do segundo escalão para abrir o diálogo com o PMDB e outros partidos.

12 comentários

A ROUBALHEIRA AINDA TEM ESPAÇO
PARA CRESCER ?
O PIOR É QUE PODE SIM !

Reply

O engraçado é ouvir essa corja petista pregando a paz, o bom senso, a governabilidade... Desde quando essa quadrilha encara a política assim? Para ela não existe adversário político, mas inimigo; a política é guerra; agora estão provando do próprio veneno. Como é bom ver essa guangue se bordando de medo!

Reply

Coronel, falando em termos práticos, em números, sem o Petrolão, com as empreiteiras sob sítio, a margem de manobra da Dilma para recompensar a base alugada está bem comprometida, não? Os PT vão ter de botar a cabeça pra funcionar, de onde vai sair a grana? Das reservas internacionais? Do BNDES? Do BB? Da Caixa? Está na hora da oposição ficar atenta para evitar novos assaltos à coisa pública.

Reply

PMDB é governo ... tanto que a Convenção Nacional aprovou Michel Temer de Vice ... ... ... acontece que há no PT quem ache que só o PT é que é governo - e caberia ao PMDB (e demais aliados) aprovarem o que o Executivo envie ao Legislativo para justificar os cargos a que foram nomeados (e sem poder nenhum nestes cargos) ... piada; hein!!!
...
Quem se elege sem Convenção???
...
Quem governa sem nomear???

Reply
Despetralhando mod

Estou "vendo" que os petralhas alem de terem se enfraquecido na câmara com a eleição dos fisiologistas de carteirinhas EC et caterva (corja) madamA satã terá que abrir as porteiras ainda mais para um pmdb fortalecido.
Vamos ver quantos cargos cada partido eleito da mesa exigirá de cargos no executivo e quantos serão os atendidos.

Reply

Cel

Sou igual São Thomé só acredito vendo.

PMDB esta nas tetas do governo desde 1985, governo Sarney.

Átila

Reply

Olha a cara da bruaca.

Mariana

Reply

É o congre$$o com derrota acachapante.

Do povo.

Reply

Não é namoro.

É ami$ade.

Reply

Como o PT ficou de fora da administração da Câmara de Deputados vai poder mandar todos os "estafetas" desocupados trabalhar para defender o partido mais corrupto da história do país no processo do Petrolão. Trabalho é que não vai faltar para os deputados do PT trabalharem contra o herói Sergio Moro que está em vias de mandar o PT e seus apaniguados, que promoveram um verdadeiro assalto a mão armada a Petrobrás, para a Papuda.

Reply

Acho que se a lava jato aprofundar nas estatais esse povo não vai ter de onde tirar grana. Lembro da ponte que liga Natal-redinha, ela começou bem até a hora que a propina não saia, e porque não saia? Porque recursos do Banco Mundial tem controle e auditoria que prejudicou a sacanagem e parou. Assim será com dilma se não tiver grana vai pra vala facinho facinho facinho. Farquardi

Reply

Elle$ estão muito infiltrado$.

Agora nos estado$ e no $egundo e$calão.

O Tiririca já avisou que o circo é mais organizado.

Reply