Quase 2 milhões de universitários não sabem até quando contarão com o FIES. É a "pátria educadora" de Dilma.

No discurso de posse, Dilma prometeu que seu governo teria um slogan: "pátria educadora". Até agora é só calote.

(Do Valor) Os maiores grupos de ensino superior do país, com mais de 20 mil alunos, querem um compromisso formal do governo de que os repasses do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) que não serão pagos neste ano - de agosto a dezembro - sejam feitos em dois anos, com correção pelo IGP-M. O mecanismo, que nos últimos quatro anos bancou as mensalidades escolares de 1,82 milhão de alunos, com desembolso de R$ 23,7 bilhões, está sob novas regras.

Até agora, as escolas recebiam os repasses do Ministério da Educação (MEC) a cada 30 dias. Agora, o Fies só honrará as mensalidades deste ano até julho. O restante será pago em 2016, sendo que as regras desses repasses não foram definidas. Os grupos privados, a princípio, aceitam o adiamento, mas querem que os valores sejam corrigidos pelo IGP-M e que, em 2016, os pagamentos voltem a ser mensais.

O governo já havia decidido pagar com desfasagem os repasses das mensalidades vencidas a partir de janeiro deste ano. Os valores de dezembro de 2014, por exemplo, só serão repassados no dia 10 de fevereiro; os de janeiro, apenas em 23 de março, e assim por diante. 

As parcelas serão transferidas às escolas ao longo deste ano em oito vezes, a cada 45 dias, mas a defasagem para as instituições com mais de 20 mil alunos chegará a 4,5 meses, no caso da mensalidade de julho, a última ser honrada neste ano - o valor só será quitado em 14 de dezembro.
Em 2014, o Fies custou R$ 9 bilhões ao governo. Entre 2010 e 2014, a despesa chegou a R$ 23,7 bilhões. No Orçamento de 2015 estão previstos R$ 12,4 bilhões.

O portal do Fies na internet está fora do ar desde o dia 1º e ainda não há data para normalização. A previsão inicial era que o site voltaria a operar em 18 de janeiro, o que não aconteceu. O Ministério da Educação informa que os estudantes podem solicitar o benefício até 30 de abril. Até lá, devem negociar com as escolas o pagamento das mensalidades dos primeiros quatro meses do ano.

8 comentários

Seria melhor: Pátria Caloteira!

Reply

Quando eu escutei essa coisa de ¨pátria educadora¨ pela primeira vez , juro, eu sentei para rir. Primeiro, por ser uma ideia vinda do PT, uns completos incompetentes. Segundo pelo público alvo do programa: os brasileiros(!!!!), fala sério, educar este lixo que esta aí? A maioria dos brasileiros não valem nada, não servem para nada, são uns inúteis completos, safados, fracassados e não é por ¨falta de educação¨ (tem muito ¨educado¨ pilantra por aí) e sim DE BERÇO. Para este povinho são penas duríssimas e fazer com que trabalhem duro para que criem vergonha na cara e sirva para, pelo menos, varrer o chão que passa um japonês, o resto é mimimi.

Reply

Todos os governos comunistas com suas super propagandas - de enganar o povo eles entendem - são assim:
"VENDEM BILHÕES EM PROJETOS
ENTREGAM CENTAVOS EM OBRAS!

Reply

Cada país tem a sua Carly Fiorina que merece


Rio18

Reply
fred oliveira mod

Entregam migalhas para ficarem com bilhões. Essa é a prática dos governos do pt. Foi assim com Lula, tem sido assim com Dilma. O governo deles não se sustenta na lógica, na competência, só nos interesses do partido e de alguns. Enquanto os mais pobres, os mais necessitados se contentam com 70 ou 120 reais, eles se locupletam com bilhões de dólares. A história está registrando isso.

Reply

A sina daqueles que acreditaram nos petralhas é a decepção.

Reply

Antes de comentar o principal, mas que foto, hien, Coronel ?
As duas, mãe e filha com aquela pose, em´plena solenidade oficial !!!
Nem em pé, educadamente, conseguem ficar; parecem dois manos com aquelas pernas sem compostura.

Reply

A pergunta é: que tipo de educação? Educando sobre quais fudamentos ? Acho que já sabemos a resposta...

Reply