PT arrasa a saúde pública. Não é falta de médicos, é falta de gestão.

Alexandre-PAdilha
Padilha, ministro-candidato, o grande culpado.
O mais famoso médico da Grécia antiga, Hipócrates, considerado o pai da Medicina, dizia: “Para os males extremos, só são eficazes os remédios intensos.” A frase é oportuna quando se observa que a Saúde no Brasil encontra-se em colapso. Do Sistema Único de Saúde (SUS) aos planos privados, alguns verdadeiras arapucas.
Apesar da crise, políticos permanecem enaltecendo o SUS, muito embora só utilizem o Sírio (Hospital Sírio Libanês), onde são recebidos à porta pelos professores-doutores de plantão. Enquanto isso, menos da metade dos cidadãos confia nos hospitais aos quais têm direito como simples mortais.
Pesquisa da ONU, divulgada no primeiro trimestre deste ano, com base em dados coletados entre 2007 e 2009, revelou que entre 126 países o Brasil ficou em 108° lugar no que diz respeito à satisfação com a qualidade dos serviços prestados. Apenas 44% dos brasileiros sentem-se satisfeitos com os padrões aqui oferecidos. Em nenhum país da América Latina, à exceção do Haiti (35%), foi identificado índice tão baixo quanto o que os brasileiros revelaram. Nesse campeonato, perdemos, por exemplo, para o Uruguai (77%), Bolívia (59%), Afeganistão (46%) e Camarões (54%), onde a população considera os serviços de saúde melhores do que a percepção que temos sobre os nossos.
Aparentemente, o dinheiro não é o fator que mais contribui para o caos. Conforme dados da OMS de 2011, somando-se todas as principais formas de financiamento (impostos/contribuições sociais, sistemas privados de pré-pagamento e desembolsos diretos dos pacientes), o Brasil gasta anualmente com saúde 8,9% do Produto Interno Bruto (PIB). O percentual é semelhante ao da Espanha (9,4%) e não muito inferior às aplicações da França (11,6%). No entanto, na maioria dos países desenvolvidos a maior parcela do financiamento provém de fontes públicas que respondem, em média, por 70% do gasto global. Em nosso país, o setor público — que atende 150 milhões de pessoas — contribui com apenas 45,7% do total das despesas integrais com Saúde.
Nesse cenário, será que nos últimos anos a Saúde tem sido considerada como prioridade entre as políticas públicas? O programa Mais Médicos irá salvar a saúde da pátria? Infelizmente, ambas as respostas são negativas.
Ainda que os recursos globais do Ministério da Saúde tenham aumentado nos últimos anos, as despesas realizadas mantiveram praticamente a mesma relação com o PIB. Em 2002, o total pago representou 1,87%, percentual que subiu para 1,88% em 2012. Em suma, de FHC a Dilma, com ou sem CPMF, trocamos seis por meia dúzia.
Quanto aos investimentos em Saúde (construção de hospitais, UPAs, aquisições de equipamentos etc.), nos últimos 12 anos foram autorizados nos orçamentos da União R$ 67 bilhões, mas apenas R$ 27,5 bilhões (41%) foram pagos. A título de comparação, o Ministério da Defesa investiu no mesmo período R$ 56,2 bilhões, literalmente o dobro das aplicações da Pasta da Saúde. Estamos comprando blindados, aviões de caça e construindo submarinos nucleares para enfrentar imagináveis inimigos externos enquanto, por aqui, mais de um milhão de brasileiros protestam por serviços públicos de melhor qualidade.
Em 2013, a situação é semelhante. A dotação prevista para os investimentos do Ministério da Saúde é de R$ 10 bilhões. Até setembro apenas R$ 2,9 bilhões foram pagos, incluindo os restos a pagar. O valor investido coloca o Ministério da Saúde em 5° lugar comparativamente aos outros ministérios.
Na verdade, há muito por fazer. Para começar, é difícil imaginar um país saudável em que quase a metade dos domicílios não tem rede de esgotos. Por opção, vamos gastar R$ 7,1 bilhões nos estádios de futebol padrão Fifa, enquanto em dez anos aplicamos somente R$ 4,2 bilhões em saneamento. O Mais Médicos — mesmo sem o Revalida e com certificados distribuídos a esmo — vai gerar o primeiro atendimento em cidades até então desprovidas, o que é bom. Mas por trás das “boas intenções” está a reeleição de Dilma, o fortalecimento da candidatura de Padilha ao governo de São Paulo, além do financiamento da ditadura cubana.
Dessa forma, o programa passa ao largo de questões cruciais como a necessidade de mais investimentos públicos, melhor gestão, atualização das tabelas de ressarcimento do SUS, aumento das vagas nos cursos de Medicina, nas UTIs e nas residências médicas, entre outros problemas a serem enfrentados. Tal como dizia Hipócrates, urgem remédios intensos. A reconstrução da saúde no Brasil exige mais ações e menos hipocrisia.
Gil Castello Branco é economista e fundador da organização não governamental Associação Contas Abertas. Publicou este artigo hoje, em O Globo.

13 comentários

Os únicos capazes de contestar são os petralhas, esses carniceiros do povo; apesar de falarem sempre na defesa do povo. Lula, Dilma, PT, partidos de esquerda, tudo enganação! Mas o povo continua votando neles!

Reply

CEL,

"Aparentemente o dinheiro não é o fator que mais contribui para o caos..."

Claro que não é, está mais que evidente que o governo PT+PMDB além de corrupto e perdulário é antes de mais nada MUITO INCOMPETENTE.

"O desinteresse, a letargia espiritual da cultura brasileira e a prisão da inteligência nacional na esfera do ECONÔMICO IMEDIATO são sinais de uma pequenez de alma que jamais se observou em tão impressionante escala coletiva" Trecho de Espírito e cultura: O Brasil ante o sentido da vida, Primeira meditação de ano novo, Olavo de Carvalho, 31 de Dezembro de 1999.


Índio Tonto/SP

Reply

Ninguem mais tem saco para aguentar o PT com seus postes e tanta baboseira.
Incapazes de fazer alguma coisa dentro da Lei e com competência, estão putos com a espionagem feita pelos Estados Unidos e Canadá. Por que o Brasil não espiona o Canadá e os USA também? Os direitos são iguais. Se não temos competência e tecnologia só resta mesmo ficar fazendo barulho para enganar os bobos pregando falso patriotismo. Bandido odeia ser pego nas maracutais!

Eu já acho ótimo! Melhor o Brasil ser colônia americana do que ficar nas mãos de Cuba/PT/bolivarianos atrasados.

Reply
Anti ET criminoso mod

Há que se lembrar que José Serra foi quem começou a cavar a cova para a saude privada.

Ele impôs contratos em beneficio de minorias a fim de que a negociação entre planos de saude fosse livre. ASSIM, OS PLANOS SUBIRAM DE VALOR ESTRONDOSAMENTEsobretudo porque Serra passou a cobrar imposto extre dos planos sob a idéia canalha de financiar o setor estatal.

A idéia do pulha era levar a um estrangulamento na saude e assim pleitear MAIS IMPOSTOS PARA A SAÚDE, sobretuo o IPMF depois disfarsado como CPMF (de imposto para contribuição).

Planos de saude emergentes não conseguiriam então crescer, pois q sem condições de arcar com grandes custos imprevisiveis e sobretudo pouco confiáveis em sua capacidade de atendimento.
Evidentemente que a elevação dos custos dos planos, via impostos e clausulas obrigatórias, levaram a retenção de remuneração aos prestadores de serviços de saude.

Enfim, não fosse a canalhice de um politico que jamais trabalhou na vida, vivendo exclusivamente de politica (falatório), certamente que a situação da saúde privada estaria ótima. Com planos ajustando contratos aos bolsos da população que seria fortemente beneficiada.

Porém, a idéia de serra e su psdbosta esquerdista era LEVAR PARA O ATENDIMENTO ESTATAL (sus) O MÁXIMO DE PACIENTES E ASSIM DIANTE DO CAOS REIVINDICAR MAIS IMPOSTOS PARA SOLUCIONA-LO.

Em meio ao caos a população se veria forçada a apoiar MAIS IMPOSTOS por instinto de sobrevivêncvia.

NÃO É POR ACASO AS EXIGENCIAS DE RECEITAS MEDICAS PARA MEDICAMENTOS, o objetivo é exatamente levar o caos ao porco sistema e assim reivindicar mais impostos para soluciona-lo.

AGUARDEM E VERÃO!!!

Reply
Lilane Sanchez mod

O governo que gasta 10 bilhões com saúde é o mesmo que gasta absurdos 1 bilhão com propaganda.

Reply

Qual é a sua opinião sobre essa foto? http://2.bp.blogspot.com/-CLOA_L5YiaU/UlOSn4oQcHI/AAAAAAAAybM/VVrm3vCnmLs/s400/Qual+%C3%A9+a+sua+opini%C3%A3o+sobre+essa+foto+tenente+getirana3.jpg . Em homenagem aos intelectuais que adoram opinar. Qual é a sua opinião sobre essa foto?
Eu não tenho opinião sobre essa foto, eu tenho ATITUDE!
Mandei a viatura parar, mesmo não previsto, dei vermífugo pra todas elas. Três delas estavam com a pele contaminada por bactérias, tratei. Uma delas estava com Amigdalite Bacteriana, tratei.
Uma delas estava com a pele contaminada por fungo, tratei.
Mudei o mundo? Tirei da pobreza?
NÃO, MAS EU FIZ A MINHA PARTE!
Levanta desse sofá, antes de falar da minha profissão.
Ah, sim. Esta foto foi tirada em Santo Antônio do Iça, conhece? Claro que não.
Juliana Getirana Tenente médica do Exército Brasileiro
ELLA

Reply

e a descarada tem a cara-de-pau de ir a tv dizer que espera uma "melhora substancial" do SUS com o tal do Mais Médicos...

vá mentir assim no inferno!

Reply

Para quem chamou Serra de pulha, comentário acima, meu desejo é que Aécio ganhe e coloque Serra para endireitar a saúde de novo no Brasil é o meu desejo e de muitos médicos deste nosso Brasil. Chamar Serra de pulha ou é petista ou desconhece a vida pública dele, sempre foi um ótimo administrador e nunca se corrompeu.

Reply

Anônimo 16:16

O comentarista das 08:59 apresentou argumentos para criticar Serra. Não sei se todos são verdadeiros. Se você tiver outros argumentos que o desmintam, então, por favor, cite-os.

Serra pode ter sido bom em algumas coisas na saúde, como os genéricos por exemplo. Mas, na questão dos planos de saúde, dou razão ao autor do texto, criticado por você.


Chris/SP



Reply

Chris, respeito muito você, concordo sempre com seus comentários, mas chamar Serra de pulha, acho que foi demais!

Reply

Este sujeito deveria estar preso por crimes contra a saúde publica no Brasil.
Querem a qualquer custo oficializar os crimes através das medidas provisórias .

Reply

CEL,

Gostaria de saber da tenente do exército Getirana, comentário acima às 10:18 h, se o comentário dela é destinado ao autor do artigo em pauta ou ao Blog que o reproduziu ou aos comentaristas do Blog. Para mim não ficou claro pois que "intelectuais que adoram opinar" é uma referencia meio vaga.


Índio Tonto/SP

Reply

Anonimo 21;14

Eu não disse que concordava com que Serra fosse chamado de pulha. Eu não teria votado nele todas as vezes, se o fosse. Mas, convenhamos, nenhum político é só bom demais e bom em tudo.

Abraços
Chris/SP

Reply