Contabilidade criativa do PT abre buraco negro de R$ 590 bilhões na economia.

Imagine um gastador contumaz que decide mudar de vida. A partir de agora, ele vai poupar boa parte do que ganha até equilibrar suas contas. Para facilitar seu esforço de austeridade, porém, ele prefere não contabilizar como dívida as prestações de um apartamento na praia. Por outro lado, resolve contar como poupança os futuros dividendos de ações que acaba de comprar. Ou seja, seu impulso de gastador continua lá — mas ele tenta se convencer de que sua situação não é tão ruim assim. De maneira simplificada, é isso que o governo tem feito para cumprir a meta do superávit primário, a economia de recursos para o pagamento de juros da dívida pública.

Desde 2009, parte das dívidas, dos gastos e das receitas não é registrada adequadamente. O mercado apelidou os subterfúgios de “contabilidade criativa”. A consultoria econômica Tendências calculou os valores envolvidos nas manobras e mostra que seria melhor chamar a estratégia de “contabilidade destrutiva”. Em quatro anos, 48 bilhões de reais em receitas futuras foram incluídos no cálculo do superávit. Ou seja, dinheiro que ainda não existe foi contado como recebido. Outros 63 bilhões, de recursos empregados no Programa de Aceleração do Crescimento, foram somados à economia. E ficaram de fora dívidas de 479 bilhões de reais — o equivalente ao PIB da Finlândia — em repasses do Tesouro Nacional a bancos públicos, em especial ao BNDES.

Somando o que não entrou na conta (mas deveria) e o que foi incluído (e não deveria), o governo inflou sua economia em 590 bilhões de reais de 2009 a 2012. No papel, as metas de superávit foram cumpridas. Na vida real, a história foi bem diferente. “O governo acredita que a contabilidade criativa é a saída para ter recursos, investir e fazer o país crescer”, diz Felipe Salto, economista da Tendências responsável pelo levantamento. “Mas ela não gera crescimento, prejudica a política fiscal, deteriora as contas públicas e coloca em descrédito as regras que deram credibilidade ao país."

A dívida brasileira é o tema central da discussão. Muitos economistas que defendem o Estado como indutor do crescimento alegam que o governo agora pode poupar menos porque a dívida pública é baixa. “Não é verdade”, diz Mansueto Almeida, economista do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. “Nossa dívida, além de cara, é alta para o atual padrão dos emergentes.”

Pelos critérios do Fundo Monetário Internacional, a dívida pública bruta do Brasil equivale a 69% do PIB — acima da de países como México (44%), Colômbia (33%), Peru (20%) e Chile (11%). A contabilidade criativa agrava o problema: cobre débitos de bilhões com o manto da invisibilidade. O quase meio trilhão de reais transferido do Tesouro para os bancos federais veio da emissão de títulos públicos. No futuro, o Brasil terá de resgatá-los e remunerar os investidores, pagando o juro prometido. (Revista Exame)

14 comentários

Coronel,

No final das contas o Brasil esta "imprimindo" dinheiro, sem lastro, e gerando inflação.

Aí é fácil!!

O Conselho Nacional de Contabilidade tem a palavra!!!

JulioK

Reply

Pensemos: o que pensa o governo?

Este é um governo bem sucedido, vitorioso como nunca antes. São 3 eleições ganhas e mais 47 por ganhar, afinal o governo vai fazer sucessor por 200 anos. Reeleição existe é para isso mesmo.

O que interessa, pensando bem, É A PROPRIEDADE DOS MEIOS DE PRODUÇÃO, não importa o quê nem quanto seja produzido. Num governo com tendência estatizante e tutelar esse é o princípio básico.

Pode ver que a felicidade do brasileiro é geral e isso é o que realmente interessa. A copa vem aí, gente. Se tudo for estatizado, as duas pontas ficarão sob controle, a da MOEDA e a da PRODUÇÃO.

Todo e qualquer brasileiro receberá sua bolsa familia e a produção será toda estatal. Só isso.

Reply

Diz aí, Professor Raimundo.

E a oposição, ó!

E pode passar a régua, iiic!

Reply

Os juros incidem sobre a dívida bruta, sem falar que são altos comparados à outros países.

Reply

Imaginem o Chile, com apenas 11% de dívida, que maravilha !
O Pinochet realmente fez o serviço bem feito !

Reply

É a velha máxima de que quem gosta mesmo de comunistas são os banqueiros.
Tudo que os representantes do Partido do Pode Tudo falam é exatamente o inverso, sempre.
Não eram eles quem falavam que o Brasil estava entregue aos banqueiros internacionais.
Agora, até o subsolo foi entregue, junto com a mãe, cachorro, papagaio, periquita e tudo mais.

Reply

CEL,

Quando essa corja do PT for tirada do poder não restará muita opção para quem assumir a não ser consertar os estragos deixados, pagar dívidas, colocar as coisas no lugar, cortar na carne, etc.

Quem assumir deverá fazer uma ampla e irrestrita auditoria em todos os níveis do governo, mostrar o resultado para a população, responsabilizar os envolvidos em desmandos e falcatruas e punir esses criminosos de modo rigoroso e exemplar.

Índio Tonto/SP

Reply

Coturneiro JulioK 7:47, concordo contigo mas IMPRIMIR DINHEIRO NÃO GERA INFLAÇÃO, IMPRIMIR DINHEIRO É A PRÓPRIA INFLAÇÃO que gera aumentos de preços irreversíveis como efeito.
-
Coronel amigo, ninguém sabe o quanto é o "caixa dois do governo" ou a contabilidade criativa, eu em post do amigo Reinaldo Azevedo coloquei uma proposta extensa para Aécio e aliados que é reformar a constituição de forma a bloquear as contabilidades não usuais, resumo:
-
1- emenda constitucional que ponha a LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL, de forma mais rígida, como uma CLÁUSULA PÉTREA, um direito fundamental da cidadania, a moeda estável. Lei complementar ou uma emenda constitucional que proíba o uso de contabilidades irreais ou não reconhecidas pela categoria.
-
Após a reforma constitucional, para criar emendas à Carta magna se exija 2/3 dos parlamentares eleitos votando pela alteração e não os atuais 60% dos presentes.
Para vigorar necessitaria aprovação popular nas urnas em 180 dias.
-
* Além das reformas constitucionais a alteração do tempo máximo de oito anos de internação de menores que cometam "infrações hediondas", um tipo penal ainda inexistente que precisaria ser criado.
-
Não vou delongar, postei no RA o texto completo.

# Contabilidade criativa eu também considero o dinheiro usado em prostíbulos como GASTO EM EDUCAÇÃO SEXUAL e isto como investimento.
** Eu viajei semana passada a Foz do Iguaçu e poderia colocar no meu orçamento como INVESTIMENTO EM EDUCAÇÃO E SAÚDE ( aprendizado e espantar o stress ), a ida ao país vizinho onde soube que menores infratores podem ser presos como maiores se o juiz determinar em casos de infrações graves, lá os meninos são obrigados a devolver o produto de furto e o povo bate nos meninos, vão ao juizado e cumprem pena como menor ( tempo que o juiz determina ). Lá não existem os "derechos zumano" que protegem os bandidos, a lei protege os bons.

Reply

Pois é, agora vai explicar para o zé povinho isso aí...

Reply

Coronel, pergunta aí se alguém sabe o que aconteceu com o Biodiesel! O H-Bio foi um dos carros chefes da campanha do bandidão em 2006, mas agora não está nem no site da petrossauro. Quantos bilhões foram torrados com a palhaçada do Biodiesel?

Reply

Cel,

Eh retirar esses corruptos do poder que ja comeca sobrar dinheiro

Reply

Não consigo ver nada de criativo nessa corja de incompetente que só conseguem virar bípede quando é para nos roubar descaradamente, ao meu ver, esse tipo de contabilidade não tem nada de criativa e sim criminosa só para não variar partido desse bando chamado de petralhas.

Reply

Não consigo ver nada de criativo nessa corja de incompetente que só conseguem virar bípede quando é para nos roubar descaradamente, ao meu ver, esse tipo de contabilidade não tem nada de criativa e sim criminosa só para não variar partido desse bando chamado de petralhas.

Reply
mayke costa mod

os militares , junto dessa nossa opisicinha , vão todos morrer abraçados aos bananas de pijamas!! deixam a petralhada tripudiar , deitar e rolar. essa gente tem sangue de barata?

Reply