Alckmin fecha parceria com a guerrilha rural do MST, aquela que promete um exército a favor de Lula.


No evento em que o governador Geraldo Alckmin (PSDB) sancionou nesta quinta-feira (14), no Palácio dos Bandeirantes, a lei estadual que permite a transmissão de terras a herdeiros de assentamentos rurais e o acesso deles a meios de financiamento, Gilmar Mauro, dirigente do MST (Movimento dos Trabalhadores Sem Terra) cobrou do governo Dilma Rousseff (PT) aprovação de lei nacional semelhante. 

"Ela tem um efeito simbólico nacional. Esperamos que, em nível nacional, se aprove uma lei como esta que esta sendo aprovada aqui em São Paulo", disse o líder do movimento. 

Alckmin, que disputa com o senador Aécio Neves (MG) a indicação do PSDB para ser o candidato do partido na eleição para a Presidência em 2018, tem aproveitado a falta de diálogo da presidente Dilma com os movimentos sociais para se aproximar de grupos historicamente ligados ao PT."É importante estar aberto ao diálogo. Quando a gente ouve mais erra menos", afirmou o governador em coletiva depois do evento. 

Em seu discurso, Gilmar Mauro disse que para o MST "foi muito importante essa abertura de diálogo". "Talvez seja uma das poucas experiências a nível nacional um governador de Estado chamar 27 secretários para sentar em uma mesa com o movimento social." 

Em maio de 2014, Alckmin reuniu seu secretariado com as lideranças paulistas do movimento para estabelecer uma pauta conjunta. Desde então, Mauro tem encontros mensais com o chefe da Casa Civil de Alckmin, Edson Aparecido, para discutir o andamento das políticas pró-assentados. Alckmin negou que a aproximação tenha cunho político-eleitoral. "O assentado não tem partido político, ele quer é trabalhar." 

LEI
A lei, que sai do papel pela primeira vez no Brasil no Estado de São Paulo, segundo Alckmin, atenderá quase sete mil famílias em 136 assentamentos rurais. "Acredito que esta lei vai beneficiar muito mais famílias porque a gente vai assentar muito mais famílias no Estado, não é governador?", afirmou Gilmar Mauro. 

À Folha o dirigente afirmou que, ao mesmo que é um movimento de aproximação com o governador, é também de pressão. "Vamos continuar trazendo mais pautas."

13 comentários

Despetralhando mod

Como um governador de SP, vai se juntar a um bando de guerrilheiro urbano, que é sabido está a serviço do lulopetismo e só obedece ao partido?
Mais um bocó útil da quadrilha.

Reply

Estás cavando a própria cova!

Reply

Alckmin encerrá sua carreira política como presidente!
Da Camara Municipal de Pindamonhangaba...

Reply

Geraldo Alckmin = OPORTUNISMO

Depois não se queixe do resultado das próximas eleições presidenciais.


Chris/SP

Reply

Quer dizer que Alckmim descambou de vez! Deve ter o rabo preso, só pode!

Alckmim deve imitar Macri, o novo presidente da Argentina e acabar com esse exército de terroristas.

Esses bolivarianos terroristas estão em total desespero em toda a América Latina.

Na Argentina, Macri faz faxina geral e esquerdopatas se revoltam ao perderem ’TETAS' no governo

Bem parecido com os de cá, não é?
Perderam as tetas, fazem baderna e vandalismo apelidados de 'protesto', são contidos, e depois reclamam de 'repressão'.
O fato é que em menos de um mês de mandato, Macri deu início a uma vasta faxina na Argentina, sob o viés da Administração, que é a sua área.
Diante dos sucessos cada vez maiores do novo líder latino, a velha mídia esquerdista latina está pregando, junto dos demais esquerdopatas, que Macri está sendo 'retaliado', inclusive, que Juízes Federais anularam alguns decretos etc, o que é uma falácia.
A única coisa verdadeira, atualmente, é que alguns esquerdistas Argentinos, estão protestando nas ruas e promovendo difamações, contra o justo, honesto e direito governo Macri. Todos, à mando dos Kirchnner derrotados e demais bolivarianos que não engolem o fato de terem saído do governo e perdido as muitas tetas.

..............
Algum petralha deve avisar a CRETINA Kichner e ao Nicolás Maduro para respeitarem o resultado das urnas, como fala a terrorista Dilma aqui pros brasileiros.

Reply
Daniel Camilo mod

Depois dessa, Geraldo Alckmin enterrou sua chance à Presidente da República.

Reply

Agora o apoio ao pt está escancarado. Na verdade caiu a máscara do Alckmin , mostrando que foi e sempre será petista. Está morto politicamente.

Reply

Mercenários vão com quem der mais.

Reply

Um off. Na reportagem abaixo da Folha, o mesmo grandalhão mascarado que aparece quebrando um máquina de guloseimas no Metrô aos 18 segundos do vídeo está de cara limpa na foto nº 31, inclusive com luvinhas brancas para esconder as tatuagens que tem nas mãos.

http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2016/01/1729787-sp-tem-protesto-mais-calmo-mas-black-blocs-depredam-metro-no-final.shtml

Reply

próximo encontro para assinar convênio será com o PCC ! de chuchu esse picolé nada tem....

Reply

Copiando o oportunismo petralha,
mas exigir a legalização ou a extinção
total dessa guerrilha campesina, nem pensar né,.....
-Então Bolsonaro neles,......

Reply

Está louco, não se refez de sua perda, agora descambou de vez. Se esforça para continuar com a imunidade parlamentar por conta das encrencas da Alstom...

Reply

Atitude que chega até a ser inocente. Abrir um canal. Ocupar o espaço do PT. Sr. Governador de São Paulo, para Presidente esqueça o voto desse carioca e mais 11 da minha casa. Abraços. Boa sorte ai nas sua novas trativas.

Reply