Um dia triste na História do Brasil: Dilma coloca o país novamente de joelhos diante do FMI.

Depois de quase 30 anos, Dilma Rousseff dobra os joelhos do Brasil diante do FMI. Hoje o Brasil entregou uma carta de desculpas, de explicações e de promessas ao organismo, em relação ao ajuste fiscal. Se Lula escreveu uma Carta aos Brasileiros, hoje a Dilma escreveu uma carta aos investidores estrangeiros.
Hoje Joaquim Levy, pressionado pelas críticas do FMI ao Brasil e pela dura avaliação sobre a nossa economia, foi obrigado a entregar uma carta de intenções ao organismo, voltando a curvar a espinha para o odioso FMI dos petistas.

A mensagem consta de comunicado do ministro da Fazenda, Joaquim Levy, em nome do Brasil e de outros dez países que representa no Comitê Monetário e Financeiro do FMI. O texto observa que, embora os gastos públicos tenham sido reduzidos aos níveis de 2013, a "rigidez orçamentária", principalmente em programas sociais, tende a diminuir a meta original de superavit primário.

Na declaração. endereçada ao comitê de 24 membros que é a principal instância política do Fundo, Levy afima que o Brasil está trabalhando para reduzir as restrições estruturais no país. "Em particular, uma política de realinhamento de preços e eliminação de benefícios distorcivos nos mercados de trabalho e crédito tem sido implementada desde o início do ano", afirma a declaração divulgada em Lima (Peru), onde está sendo realizada a reunião anual do FMI e do Banco Mundial.

E afirma que as expectativas inflacionárias têm convergido para para o centro da meta, apesar da depreciação do câmbio. "O Banco Central continua vigilante para atingir a meta de inflação nos próximos dois anos, enquanto acompanha de perto o mercado de câmbio", diz a declaração.

O documento abre com uma avaliação relativamente positiva do panorama mundial, afirmando que desde a última reunião do FMI, em abril, "as incertezas sobre a resiliência do crescimento global de certa forma se dissiparam". Mas ressalta que permanecem "grandes desafios ao crescimento", em parte derivados "do fato de que a maioria das economias não se recuperou totalmente dos legados das crises financeira e fiscal".

Ressalte-se que Levy, no último parágrafo acaba com a mentira da Dilma sobre a crise internacional. O problema é aqui dentro. O problema é Dilma e o PT. 

13 comentários

Pois é, que o Brasil e os pentacampeões nunca foram grandes coisa isto é fato. O PT somente potencializou e sacramentou isto. Porque os anglo-saxões deram certo no norte do continente e os latinos (e outros) deram errado no sul? Um pirulito para quem responder sem ser processado pelas várias leis idiotas esconde verdades aqui da joça.

Reply

Cel.

KD lularapio dizendo que não devemos mais pra ninguém. Ora, ora, ora...............

Reply

Alguém acredita em MENTIROSA? Eu não. Fala uma coisa agora com a faca no pescoço, daqui apouco vai chutar a bunda e ainda vai ironizar.

Reply

Coronel,
essa quadrilha que os idiotas colocaram no poder, vão e vai continuar mentindo e enganado com o apoio da mídia. Acobertada pelo STF e pelo congresso, irão permanecer até 2018 e, com os eleitores otários é bem possível que continuem. Brasil é verdadeiramente o país dos bandidos.

Reply

O pete vai dizer que não foi a Dilma que fez isso, e sim o Levy. Vão continuar pedindo a cabeça do ministro. E o lula não tem nada a dizer numa hora dessas?

Reply

E eu que pensava que a época das desmoralizantes "cartas de intenção" fosse coisa do passado. Mas o passado é o presente das esquerdas.

Reply

Todos sabemos que o problema e dilma e o pt, mas parece que a solução está à anos-luz de se resolver. É muita agonia!

Reply
fred oliveira mod

Lula no comando da crise no Brasil, aumentando a mesma. Triste momento do pais; o Brasil quebrou e escreve pedido ded esculpas ao FMI, envergonhado, apos ter metido para a populacao.

Reply

Do Blog O Antagonista:

Nova pedalada chega a R$ 38 bi

Ao analisar as contas DESTE ANO, o Ministério Público junto ao TCU descobriu que até junho o governo devia R$ 38 bilhões a BNDES e Banco do Brasil, por conta de repasses não realizados pelo Tesouro e que tiveram de ser bancados pelos bancos.

No caso do BNDES, o valor de R$ 24,5 bilhões seria relativo ao Programa de Sustentação de Investimentos (PSI), uma linha de crédito subsidiada. Já o BB teve de cobrir com recursos próprios um rombo de R$ 13,5 bilhões de juros do Plano Safra. O relatório de Júlio Marcelo cita ainda R$ 2,2 bilhões de taxas de administração que não foram pagas pelo Tesouro.

Esse tipo de operação de crédito é vedada pelo artigo 36, da Lei de Responsabilidade Fiscal e, como foi realizada no atual mandato de Dilma, reforça a pressão pelo impeachment.

Gente como Eduardo Cunha e Fernando Henrique, que não leram o pedido de impeachment de Hélio Bicudo, alegava que o processo de impeachment só poderia ser aberto por fatos ocorridos no atual mandato.
**********


Tai, seguiu pedalando em 2015. Se NÃO havia, agora há motivos para não IMPICHAR esta incompetente e irresponsável! FORA DILMA!



Chris/SP



Reply

Coronel

Já está em vários blogs - Veja Blog Aluizio Amorim

DilmANTA continuou pedalando em 2015 - valor R$ 38 bilhões!!!

Reportagem-bomba !!! Capa da Revista Isto É !!!


NÃO HÁ MOTIVOS PARA NÃO SER IMPICHADA JÁ!!!!



Chris/SP

Reply

Criticaram tanto o FHC que vão adotar as mesmas práticas para tentar estabilizar o país e ainda inventarão algum um nome pra que os MAVs e os militantes tentem defender a posição do partido. Só falta começarem privatizar, que não seria má idéia.

Reply

Colocar desequilibrados e satanistas no poder dá isso!
Eles foram ajudados e ainda são pela TL, CNBB-CEBs e diversas seitas protestantes famosas, como a IURD-Edir Macedo e seu PRB da base do PT que, segundo Lula, ajudaram a instalar o PT no poder!
Só de não atacarem os malfeitores do PT de parte desses "religiosos" já é o quanto basta como apoio!
De passarem a perna na população eles entendem!

Reply

Verdade! A dívida externa nunca foi paga. Só porque as reservas cambiais eram maiores do que as dívidas criaram esse mito.
A dívida está na cas dos U$300 bi.

Reply