Gestão do PT alimentou o maior esquema de corrupção da história do Brasil na Petrobras, revela revista.










O imenso acervo das investigações da Lava Jato contém as provas inéditas que demonstram essa dimensão. A Polícia Federal encontrou as principais evidências quando fez apreensões num dos escritórios de Youssef e, especialmente, na casa de Arianna Bachmann, uma das filhas de Paulo Roberto. No caso dela, as provas estavam num notebook escondido no porta-malas do carro. Arianna era a principal funcionária de Paulo Roberto. Registrava em detalhes os negócios da família. Num dos escritórios de Youssef em São Paulo, a PF encontrou um arquivo com milhares de papéis. Eles trazem indícios de dezenas de episódios de corrupção, em muitos Estados e órgãos públicos. Eles se espelham perfeitamente com os registros sobre a Petrobras encontrados no computador de Arianna. Esses arquivos secretos revelam, entre outras coisas, que:

• Paulo Roberto chegou a ter 81 contratos, todos com fornecedores da Petrobras, quando saiu da estatal e montou sua empresa de consultoria. Há provas de que ele recebeu milhões de 23 empreiteiras, na maior parte das vezes sem prestar, segundo sugerem os documentos, qualquer serviço;

• o principal cliente de Paulo Roberto, segundo as provas da PF, era a empreiteira Camargo Corrêa. Ela liderava o principal consórcio das obras de R$ 20 bilhões da Refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco. Paulo Roberto comandara essas obras e presidia o Conselho de Abreu e Lima. Grande parte dos clientes que repassaram dinheiro à empresa dele trabalhava nessas obras;

• Paulo Roberto recebeu, em dinheiro vivo segundo a PF, o equivalente a R$ 6,4 milhões de Youssef e R$ 2,4 milhões do lobista Fernando Soares, conhecido como Fernando Baiano, em reais, dólares e euros. Baiano o ajudava a fechar negócios com as empreiteiras e a manter boas relações com parlamentares do consórcio que o mantinha na Petrobras; e

• Youssef, o sócio de Paulo Roberto, mantinha uma subconta na Suíça em nome da principal subcontratada pela Camargo Corrêa para serviços na Abreu e Lima, a Sanko. Outra subconta de Youssef na Suíça recebia milhões de subsidiárias internacionais de empreiteiras brasileiras, entre elas a OAS.

Todas essas provas foram enviadas ao Supremo Tribunal Federal há dez dias, logo após o ministro Teori Zavascki suspender as investigações da Lava Jato e mandar soltar Paulo Roberto. Não se sabe quando os ministros do Supremo decidirão o que fazer com o caso. Quanto mais tempo demorar, menores as chances de que delegados e procuradores avancem nas investigações. Paulo Roberto, é bom lembrar, foi preso porque sua família foi flagrada tentando destruir provas. Antes que os processos, que corriam no Paraná, fossem suspensos, Youssef e ele já eram réus, acusados de lavar dinheiro desviado, segundo denúncia do MPF, do contrato do consórcio da Camargo Corrêa em Abreu e Lima. Nesta semana, o Congresso finalmente criou uma CPI mista para investigar a Petrobras. As provas da Lava Jato oferecem aos parlamentares um bom roteiro de trabalho.
Num dos arquivos do computador de Arianna, a PF encontrou notas fiscais da Costa Global, empresa de consultoria da família, emitidas entre outubro de 2012 e fevereiro deste ano. Somam R$ 7,5 milhões, divididos entre duas dezenas de empresas – quase todas empreiteiras. A maior parte do dinheiro foi paga pela Camargo Corrêa: R$ 3,1 milhões. A Camargo fazia pagamentos mensais de R$ 100 mil. Em dezembro de 2013, fez o último e maior depósito: R$ 2,2 milhões. A Camargo diz que contratava a Costa Global para “fazer estudos”.

Arianna mantinha planilhas atualizadas com os contratos da Costa Global. Continham nomes de contatos e valores a receber. Se a Costa Global chegou a ter 81 clientes, por que há notas fiscais de apenas 23? Como Paulo Roberto recebia pelos demais? Era o que a PF tentava descobrir. A investigação traz evidências de que Paulo Roberto, como qualquer lobista, recebia um percentual do negócio obtido para seus clientes, conhecido como “taxa de sucesso”, do inglês “success fee”, um eufemismo para aquilo que todos conhecemos como propina. O caso da Camargo, segundo os registros da filha de Paulo Roberto, resume bem a situação: “O success fee será negociado separadamente para cada negócio”.
O estranho, segundo os investigadores, é a existência de contratos que não previam taxa de sucesso. Sem essa cláusula, o trabalho de lobby não faz sentido. Cruzando os nomes das empreiteiras que fizeram contratos nesses moldes com as anotações de Paulo Roberto, a PF chegou à suspeita de que eles se referiam, na verdade, à propina dos tempos em que ele ainda era diretor da Petrobras. Há indícios de que se referiam a acertos de contas. É o caso de contratos com empreiteiras como Engevix, Iesa, Queiroz Galvão e, num dos casos, também da Camargo. No caso da Queiroz, uma anotação da agenda de Paulo Roberto menciona o pagamento de R$ 600 mil. Metade para ele; a outra metade para o “partido”. Em março de 2013, meses depois dessa anotação, a Queiroz Galvão fechou um contrato de seis meses com a Costa Global para pagar R$ 100 mil mensalmente – mesmo valor anotado à mão na agenda de Paulo Roberto.

Num dos escritórios de Youssef em São Paulo, a PF apreendeu extratos de uma conta controlada por ele no banco PKB,  na Suíça. O PKB é um banco conhecido por aceitar qualquer tipo de cliente – de traficantes a políticos condenados por corrupção. Entre outras transações consideradas suspeitas pela PF, os extratos revelam que, em 2013, a OAS African Investments, empresa internacional do grupo OAS, sediada no paraíso fiscal das Ilhas Virgens Britânicas, transferiu US$ 4,8 milhões para a conta de Youssef no PKB. Foram três depósitos de US$ 1,6 milhão, entre maio e julho.

Os documentos revelam que Youssef abrira, por meio de laranjas, uma subconta no mesmo PKB em nome da Sanko, empresa que mais recebera da Camargo por serviços nas obras da Abreu e Lima. Essa subconta tinha limite de US$ 1,4 milhão. Entre janeiro e fevereiro de 2014, ela recebeu cerca de US$ 1,1 milhão. Não há informação sobre quem depositou o dinheiro. Em seguida, Youssef transferiu grande parte dos recursos para contas em Hong Kong, também controladas por laranjas. Foram tantos os documentos da Sanko apreendidos com Youssef que os investigadores suspeitam que ele seja o dono da empresa. Entre 2009 e 2013, a Sanko recebeu R$ 113 milhões do Consórcio CNCC, liderado pela Camargo, por “serviços” em Abreu e Lima. E repassou R$ 32 milhões a uma empresa de Youssef.

As contabilidades de Youssef e Paulo Roberto são siamesas. Se Youssef registrava um pagamento a Paulo Roberto, Paulo Roberto registrava um depósito de Youssef. Em 8 de agosto de 2012, as planilhas dos dois trazem um pagamento de R$ 450 mil a Paulo Roberto. Dez dias depois, Paulo Roberto depositou R$ 120 mil, em espécie, na conta do advogado Eduardo Gouvêa. Gouvêa, dizem os papéis, é parceiro de negócios de Paulo Roberto.

No mesmo período, em 13 de agosto de 2012, Youssef anotou ter recebido R$ 1 milhão associado ao nome “Refap”, correspondente à décima e à décima primeira prestação de um total de 20 parcelas de R$ 500 mil – ou R$ 10 milhões. Duas semanas antes, a Petrobras oficializara a compra da Refinaria Alberto Pasqualini, no Rio Grande do Sul, conhecida como Refap. Até então, a Refap era uma sociedade entre a Petrobras e a espanhola Repsol. Em dezembro de 2010, quando Paulo Roberto ainda era diretor de Abastecimento, a Petrobras comprara a parte da Repsol por US$ 850 milhões. “Para a Petrobras, isso é importante porque não tínhamos possibilidade de ter uma sinergia completa entre a Refap e o sistema Petrobras, porque, sendo um consórcio, tinha uma posição diferente dentro da estrutura gerencial da empresa. Voltando a ser 100% da Petrobras, isso se refletirá em benefícios grandes para nós, em termos de atendimento do mercado e de colocação de petróleo nacional”, disse Paulo Roberto na ocasião. As duas parcelas de R$ 500 mil da “Refap” foram registradas como “entradas” de Youssef na planilha de Paulo Roberto. A PF suspeita que se trate de propina.

O advogado Gouvêa afirmou que recebeu o depósito de R$ 120 mil em dinheiro porque vendeu um barco, “por acaso”, a Paulo Roberto Costa. “Ele me confirmou o depósito na conta, e emiti o documento de venda dessa embarcação. Nem imaginava que tinha sido feito em dinheiro”, diz Gouvêa. Reuniões com Gouvêa são mencionadas na agenda de Paulo Roberto. Ele afirma que é amigo de Humberto Mesquita, ou Beto, genro que cuida da contabilidade de Paulo Roberto. “Conheço eles desde 1997, fui ao casamento dele (Humberto) com a filha do Paulo Roberto”, diz Gouvêa. “A gente fazia muita reunião, e às vezes Paulo Roberto estava presente. Humberto me pedia auxílio na área da advocacia. Mas era um auxílio assim, vamos dizer, de amigo. Porque nunca efetivamente cobrei nada pelos serviços que prestei a ele. Nunca tive uma relação contratual.” Gouvêa afirma não ter “relação próxima” com o lobista Fernando Baiano: “Fernando Baiano... Conheço de nome”.
As negativas das empreiteiras são abundantes. Muitas admitem ter firmado contratos com Paulo Roberto. Dentre elas, todas afirmam que nada deu certo, e o respectivo contrato foi logo desfeito. A acreditar no que dizem, Paulo Roberto era um fracasso como lobista, embora recebesse milhões pelos contratos.

Em nota, a Camargo Corrêa afirma que a Costa Global foi contratada para “desenvolver estudos nas áreas de óleo e gás, dentro da mais absoluta legalidade”. Não quis informar valores nem datas de pagamentos. O consórcio CNCC, controlado pela Camargo e responsável pelas obras em Abreu e Lima, afirma que “não tem e jamais teve qualquer relação com essas pessoas ou empresas citadas”.

A Sanko-Sider diz, também em nota, que “não tem nem nunca teve conta no exterior”. Admite ter contratado a Costa Global “para a prestação de serviços de consultoria relacionados à venda de projetos”, embora não informe quanto pagou a Paulo Roberto. “O contrato foi rompido de forma amigável após curto período, tendo em vista a inexistência de resultados”, diz a Sanko. “Os contratos das empresas do grupo Sanko são estritamente legais e comerciais.”

A Iesa admite ter pagado R$ 300 mil à Costa Global. “Foram realizadas diversas reuniões com a Costa Global e com empresa de engenharia conceitual, e identificados potenciais parceiros fornecedores de tecnologia para o fornecimento de minirrefinarias modulares”, diz a Iesa, sem mencionar se os negócios deram certo. A GDK é a única empreiteira que confirma ter contratado Paulo Roberto para obter negócios e ter se disposto a pagar taxas de sucesso. Forneceu detalhes dos pagamentos à Costa Global. Diz que nenhum negócio prosperou e, diante disso, resolveu cancelar o contrato. “A GDK solicita que seja mencionada sua perplexidade com a associação do seu nome à referida Operação Lava Jato”, afirma. E nega qualquer irregularidade.

A Engevix afirma apenas que teve contrato com a Costa Global, sem dar maiores explicações. O lobista Fernando Baiano e as empreiteiras Andrade Gutierrez e Queiroz Galvão – as duas cujos diretores, segundo os papéis da PF, mantinham relações próximas com Baiano – preferiram não se manifestar. O advogado de Youssef, Antonio Figueiredo, afirma que seu cliente não tem qualquer vínculo com empreiteiras, não recebeu dinheiro delas e não tem contas no exterior. O advogado de Paulo Roberto não respondeu ao pedido de entrevista de ÉPOCA até a publicação desta reportagem.

27 comentários

o cara merece estar solto mesmo, nao fez nada!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Reply

o cara merece estar solto mesmo, nao fez nada!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Reply

Pois é, não dá para ficar lendo, como se fosse um romance, ou discutindo nos blogs, como se ocorresse apenas nos outros países da América Latina bolivariana.
Tudo isto, e muito mais que possivelmente desconhecemos, acontece aqui, no Brasil!
E daí, até quando serão apenas mais um artigo de alguma revista semanal, ou mais um debate de alguns poucos bem informados?
Até a canalha não mais deixar o Poder, e nos impedir de fazermos até o que fazemos aqui, e agora?

Reply

O que entristece é a certeza de que quem mais precisa saber disso tudo, está distante da informação e se faz de inocente. Pior cego é o que não quer ver.

Reply

Essa gente do pt rouba tudo..Agora estão roubando a Lei criada pelo Jose Serra.....

Para compartilhar esse conteúdo, por favor utilize o link http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2014/05/1463160-governo-regulamenta-lei-que-proibe-fumo-em-locais-fechados.shtml

Reply

Com tudo isso de provas, será que o MPF vai fundo ou vai tentar preservar os petistas de alto coturno, tipo a "anta" e o "safado-mór"?

Reply

Esse é o cara que foi solto pelo ministro do STF?? Poderoso, né?! Fez tudo isso e foi colocado em liberdade! O Brasil não é para amadores mesmo...

Reply

Esse é o capitalismo à moda socialista do século XXI...

Reply

Coronel e Coturneiros,


ouso escrever estas palavras pois os tempos estão profundamente difíceis e desesperadores.
As informações que recebemos a cada minuto são desoladoras...
No entanto, precisamos persistir no Bem, apesar da insanidade que impera no governo brasileiro, sob a liderança de Luis Inácio Lula da Silva. São seres ligados às trevas, com a intenção de destruir, desestabilizar, dominar.

Lembremo-nos sempre: o mal NUNCA vence o Bem!

Sigamos adiante, confiantes na bondade divina, por amor à nossa Pátria - Brasil.
Sejamos exemplares no comportamento. Não importa a conduta má e criminosa dessas criaturas que detém o poder. Precisamos mudar o rumo do nosso país! Queremos liberdade! Queremos harmonia! Queremos saúde e paz! Queremos trabalhar, produzir, viver...

Façamos a nossa parte. Alertemos consciências adormecidas. Despertemos o desejo da Ordem e Progresso. É imperioso que a mudança se faça agora. Não mais podemos prosseguir no caminho da desagregação da célula familiar, das indignidades do comportamento vil e vulgar que nos estão impondo pelo péssimo exemplo.

Precisamos orar! Orar muito! Peçamos a misericórdia divina. Que tenhamos forças para modificar o destino do Brasil. Que ele retorne ao caminho do Bem. Que Deus nos ilumine e auxilie a ter forças para nos libertarmos desses seres que se apoderaram de nossos destinos. Que Aécio Neves possa ser amparado, protegido e inspirado!

Somos muito mais numerosos do que eles. Somos muito mais fortes do que eles por estarmos ligados ao Bem.
Sigamos firmes!
PARA O ALTO E AVANTE!

Flor Lilás



Reply

cel,

É assustador o tamanho da corrupção no governo dilma, e ela é conivente com tudo isso, pqp. Se ela é conivente com tudo isso, é porque é uma vagabunda, só fica roubando ao invés de trabalhar. Nojo de tudo isso, dá vontade de vomitar.

Reply

O CÓDIGO DE HAMURABI deveria ser
aprovado no Brasil particularmente
para membros do judiciario, porque são pagos para aplicar as
Leis e não deturpá-las, são
os guardiães das leis, uma vez
mal aplicadas ou não aplicadas,
seria considerado o pior dos
crimes e para tal PENA MÁXIMA SEM
DELONGAS.

Reply

Troço tá sério mermo, hein? Até a Época resolveu reportar...

Reply

Coronel,
o Teori Zavascki está fazendo o que lhe foi determinado. No julgamento do mensalão ele já demonstrava o porque foi indicado pelo PT para ser ministro. Viva a bandidagem.

Reply

Recado de Joaquim Barbosa

https://scontent-b-mia.xx.fbcdn.net/hphotos-xpf1/t1.0-9/s526x296/10270286_833693723321142_6992412569511580246_n.jpg

Reply
Jurandir D'almeida mod

PT já tem aliança em São Paulo. Só faltam as ALGEMAS...

https://fbcdn-sphotos-b-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xfp1/t1.0-9/1625637_722304914495000_6575322721508155914_n.jpg

Reply

Essas ratazanas petistas só fizeram roubar depois que conseguiram adentrar no governo. O PT é apenas um número pequeno de bandidos, em relação à toda Nação brasileira. Não vencerão aqui, como em Cuba/Venezuela.

Quando se fecha uma porta, abre-se um portão.
A saída de Joaquim Barbosa, com certeza, trará grandes novidades. JB foi mancho o bastante para prender petistas corruptos, peitar os bandidos e fazer valer a lei. Não teria a covardia de apear do barco e deixar os ratos alí felizes para sempre. Deu corda pra trazê-los até a ratoeira. Aguardem!

Reply

Tô com a Flor; e com Aécio.

E acrescento: "para o alto, avante e..
pra cima delles!"

Reply

Um Bom Leitor - 31 de maio de 2014 21:48

"para o alto, avante e.. pra cima delles!"

Adorei!!
Abraço fraterno,
Flor Lilás

Reply

Coronel,

o que é essa parafernália absurda desse Joaquin Teixeira aí no twitter?

Flor Lilás

Reply

E o que é que essa gente ainda está fazendo solta na rua?!!

CADEIA JÁ, PRA ESSES LESA-PÁTRIA, PÔ!!!

Reply


O braço juridico da quadrilha, vai ignorar tudo...
Estamos orfãos...

Reply


NO CANAL MULTISHOW AO VIVO

FALCÃO E O POVO FAZ UM DESABAFO SOBRE DILMA NO SHOW DO RAPPA:
O POVO MANDA DILMA TOMAR NO CÚ.

http://youtu.be/cowBupfuDo4

Reply

BORA?!
Pra onde? Dá pra me avisar?

Reply

Quanto maior a corrupção mais fácil fica sair livre, leve e solto. O Teorí na prática é outro, né ministro?

A mudança SÓ DEPENDE DE NÓS.
VOTE A FAVOR DO BRASIL!
VOTE AÉCIO PRESIDENTE.

Reply

Aécio tem munição de sobra para os debates e diplomata como é, já sabe, vai arregaçar!
O comunismo é a DOUTRINA DA COBIÇA E DA INVEJA dos bens alheios; tomar dos outros imperialistas, burgueses e capitalistas e "dazelites" e doar para um Estado com os mesmos adjetivos, coisa de uma classe sem escrúpulo algum e que gosta de viver às custas dos outros, uns parasitas; foi dessa forma que fez Fidel Castro na sua ilha de delicias, falsamente livrando os cubanos com tirá-los das mãos dos imperialistas americanos e das elites exploradoras do povo, mas queria para si e corriola era mesmo um sofisticado resort.
Dá para compreenderem tais atitudes totalitaristas e opressoras dos comunistas por serem irmãos gêmeos, filhos do mesmo pai e mãe dos nazistas e fascistas!

Reply

Que vontade de ir embora do Brasil, só não o faço porque estou velho demais para começar do zero em outro lugar. É muito triste o que estão fazendo com o nosso país, mas enfim, cada povo tem o governo que merece.

Reply

Enquanto somos roubados por lulas ininterruptamente, os nossos convidados alemães para a copa tiveram que construir seus próprios alojamentos.
Em cinco meses, os terríveis " capitalistas" europeus mostraram como se faz.

http://veja.abril.com.br/noticia/esporte/alemanha-conclui-alojamento-na-bahia-em-cinco-meses

Deveríamos convidá-los para construir presídios em Brasília

Reply