Defesa de Cerveró vai acusar Dilma.

(Valor) A defesa do ex-diretor da área Internacional da Petrobras Nestor Cerveró vai seguir a mesma estratégia apresentada pelo ex-presidente da estatal José Sergio Gabrielli e responsabilizar o conselho de administração da companhia à época da compra da refinaria de Pasadena, nos EUA, em 2006 - incluindo a presidente da República, Dilma Rousseff (PT), que presidia o grupo na ocasião. Os advogados de Cerveró vão defender a aquisição, em parecer de 194 páginas preparado por um escritório de advocacia e que será citado por Cerveró em depoimento que deve ser dado hoje. A defesa irá argumentar que, diferentemente do apontado pelo Tribunal de Contas da União (TCU), a refinaria não dá prejuízo.

O parecer afirma que o conselho da Petrobras, na época composto por oito integrantes, além de Dilma, "reuniu-se na presença da maioria de seus membros" e aprovou por unanimidade "sem nenhum pedido de vistas ou adiamento" a aquisição da refinaria de Pasadena, e que esta registrou lucro líquido de US$ 63,8 milhões no primeiro trimestre de 2014. Segundo o TCU, as perdas somam US$ 792 milhões.

"Tudo isso começou quando a presidente Dilma declarou que adquiriu Pasadena em razão de um resumo executivo técnica e juridicamente falho por desconhecer as cláusulas put option [de saída] e Marlim [que garantia à Astra Oil, sócia da Petrobras, rentabilidade mínima de 6,9% ao ano mesmo com condições adversas de mercado]. Isso não é apenas uma declaração. As pessoas não notaram que isso era a confissão da presidente do conselho de administração da Petrobras na época de que o conselho descumpre o estatuto social da Petrobras", disse Ribeiro ao Valor ontem em Curitiba.

Segundo ele, o TCU foi induzido a erro em razão da declaração de Dilma. Ribeiro diz que a responsabilidade pela aquisição de Pasadena é exclusiva do conselho e, portanto, os integrantes do grupo - e não os diretores da empresa - deveriam os bens congelados porque falharam ao não examinar o contrato. "O estatuto social da Petrobras obriga o conselho, em caso de aquisição de ativos, a examinar o parecer técnico, o jurídico e a decisão da diretoria. São documentos obrigatórios para o conselho."

Os argumentos seguem a mesma linha da defesa de Gabrielli. O jornal "O Estado de S.Paulo" informou nesta semana que a defesa de Gabrielli sustenta junto ao TCU que os integrantes do conselho à época também sejam responsabilizados. Ribeiro diz que Gabrielli falha ao dizer que a responsabilidade da diretoria é "solidária" à do conselho: "A diretoria não tem responsabilidade, seguiu as diretrizes técnicas. E Pasadena não teve prejuízo. O relatório do TCU parte de premissas falsas". 

O parecer jurídico preparado pela banca fluminense Saddy Advogados foi juntado ao processo da Lava-Jato, em que Cerveró é réu em ação por corrupção e lavagem de dinheiro. Ele está preso há uma semana na carceragem da Polícia Federal em Curitiba, acusado de participar de esquema de propina em compra de sondas pela Petrobras. Seu advogado nega que Cerveró tenha cometido irregularidades.
Para compartilhar esse conteúdo, por favor, utilize o link http://www.valor.com.br/politica/3872728/defesa-de-cervero-responsabilizara-dilma ou as ferramentas oferecidas na página.
Textos, fotos, artes e vídeos do Valor estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização do Valor (falecom@valor.com.br). Essas regras têm como objetivo proteger o investimento que o Valor faz na qualidade de seu jornalismo.

10 comentários

Até que enfim um homem de coragem.
Muita coragem.
Taí, só pelo risco que assume, mereceria um exílio (tentativa de garantia de sobrevivência), mediante a devolução do que foi roubado, restando-lhe uma aposentadoria e a proibição de desenvolver qualquer outra atividade. Lobo é lobo ...
Se livrar o Brasil destes criminosos da atualidade, merece o
benefício.

Reply

Coronel,
vai nada. Vai dizer o que todos sabem que foi presidente co Conselho da Petrobras.

Reply

Coronel,

Para mim é muito simples: ou aparece o LULLA e a DILMA ou esta apuração será novamente uma farsa onde o principal responsável ficará fora novamente, como no MENSALÃO.

Reply

Existe a possibilidade de querer fazer o cordeirinho, já que o depoimento foi pedido pela defesa.
Armação para provocar alguma nulidade, já que existe processo aberto sobre o mesmo assunto no Rio de Janeiro?
Todo cuidado é pouco com escroques internacionais de filme , de ficção até que se materializaram no Brasil petista de mais de uma década, década, aliás, coincidente com o advento da ROUBOBRÁS, ou não ?

Reply

Será que vai apontar os comparsas de mais alta patente ?
De que lado ???

Reply

Pasadena , o caso, não estaria no Rio de Janeiro?
Buscam nulidade???

Reply

Tudo vai andando conforme os planos do novededos. A d1 é impichada, assume o Temer, que fica esquentado a cadeira para a sua volta triunfal, nos braços do povo. Assim também pensavam Getúlio, Jango e Jânio.

Reply

Convém não esquecer que Cerveró é espanhol.
Por falar em Espanha, era lá que o casal Nelma/youssef se abastecia de dólares e euros-papel em viagens de final de semana em jatinho particulr para trazer os carregamentos que abasteciam o Mensalão ...
Que, por sinal, evitando expor a suprema corte, acaba de ganhar mais um perdão.
O acordo do Youssef previu impunidade para crimes anteriores.
Que feio e que humilhante para o juiz enganado no acordo do Banestado , pois o Youssef já vinha delinquindo
na liderança daquele que era até então considerado o maior caso de corrupção brasileiro: o MENSALÃO do qual o casal escapou incólume.
E foi o que permitiu a continuidade delitiva do que hoje chamam de petrolão mas cujo nome mais preciso seria MENSALÃO O CASO QUE NÃO ACABA, NEM QUANDO APARENTEMENE TERMINA.
Desta vez, em Banânia, li n O ANTAgonista que Youssef se comprometeu a não delinquir por dez anos. (PIADA?)
Pelo andar da conhecida carruagem, os
dois próximos mandatos presidenciais estarão garantidos, a se repetir a transgressão antecipada do acordo do BANESTADO EM PROL DO MENSALÃO E DO PETROLÃO... agora e sempre, pelos séculos e séculos amém.

Reply
fred oliveira mod

Quero ver se os maiorais não serão alcançados pelo petrolão. Quero ver se apenas empresários e peixes pequenos vão ser punidos neste assalto aos cofres públicos da estatal.

Reply

Gabrielli e Cerveró, com seus advogados militontos, armaram uma coisa meio confusa.

Dizem que o Conselho de Administração seria o responsável principal (e É MESMO), mas ao mesmo tempo querem jogar a conversa fiada de que a compra de Pasadena não foi um erro, pra livrar a cara da Diretoria Executiva da PTroubrás à época (eles sendo parte).

Ou seja, se o negócio deu lucro, tem algum culpado? É. Não tem, é todo mundo santo.

Ora, vão lamber sabão. Vão pra PQP, pra casa do ca*&#ralho.

Essa gentalha não se cansa de adiar o quanto pode, empurrar com a barriga tentando usar o tempo como parceiro.

Não vai adiantar. Todos tem que pagar. Tá nas leis, não só em uma, mas em várias, uma pra cada crime e mais o Código Penal, Civil e, pra D. Dilma, ainda tem a lei maior, a Constituição Federal.

Panacas. Pensassem antes de fazer e tivessem vergonha na cara. Tudo bem, sabe-se que no Brasil lei é só no papel, que nem as SPEs que inventam pra desviar dinheiro, mas tem limite. E esse limite não é o céu não.

Mariana

Reply