Alckmin, o Frágil.

Nos últimos dias, Geraldo Alckmin (PSDB-SP), que é frontalmente contra o impeachment de Dilma pois isto atrapalha seus planos minoritários para 2018 cerrou fileira a favor da causa, da boca para fora, fazendo um jogo duplo infantil. Defende a a saída de Dilma, mas em pequenos convescotes organizados, vem reunindo lideranças para convencê-las de que os motivos como pedaladas fiscais, crimes eleitorais e absoluta falta de gestão da crise econômica são pequenos para o impedimento da atual presidência. 

É Alckmin, o Frágil, em ação. Segundo o Painel da Folha, reuniu reuniu na noite de quinta oito grandes empresários para discutir o cenário nacional. O governador paulista mostrou pessimismo com a situação econômica e política e disse não ver saída com Dilma Rousseff no cargo. Mas o tucano ainda acredita que falta um motivo para o impeachment. Ele acha que, se Dilma cair por uma razão frágil, como as pedaladas fiscais, há risco para a democracia, pois nenhum governo terá mais segurança jurídica de que terminará o mandato. Mentira, não há nada que justifique esta premissa.

Fagulha Alckmin disse aos empresários que, nesse caso, qualquer crise poderá ser pretexto para tirar do cargo um presidente ou governadores e prefeitos eleitos. Sobre as pedaladas, afirmou que há precedentes da manobra em Estados e municípios. Ou seja: sai em defesa de Dilma e coloca uma ameaça sobre a cabeça dos governadores e prefeitos, fato inédito até aqui, não levantado por nenhum jurista de renome.

Tempo ao tempo Aos comensais Alckmin disse que é necessário “investigar, investigar e investigar”, para que o Congresso decida se os pedidos de impeachment cumprem as exigências constitucionais, e que ainda podem surgir provas a partir das investigações nos fundos de pensão e no BNDES.

No fundo, Alckmin quer empurrar o assunto de barriga, pois sua única chance de ser o presidenciável tucano em 2018 é manter Dilma no poder, contrariando mais de 70% dos brasileiros. Desta vez, Alckmin não vai repetir 2006. Empurrando, não vai.

9 comentários

Ou se muda este governo corrupto mantido pelo PT, asseclas e coniventes, ou algum dia teremos refugiados brasileiros acompanhando os sírios.

Reply

Temos que divulgar essas trapalhadas do Alckmin para retirá-lo da vida pública. Alckmin,Serra, Lula, Dilma,...como candidatos à Presidente do Brasil, não dá. Só pensam em seus projetos pessoais, e o Brasil? Fora, Dilma, Já!

Reply

Uma boa sugestão para o bunda mole (este sim, não Covas). Vestir um colete com o logo das centenas de estatais que nos surrupiam, infernizam e nos empobrece, ladeando um "FICA, DILMA" em vermelho sangue. Depois é só sair para o abraço, pedindo votos para os paulistas.

Reply
Despetralhando mod

O picolé de chuchu já derreteu e não sabe, esse jogo duplo é para traíras e sendo assim não fica nada bom para um cara que se diz sério.

Reply
Despetralhando mod

picolé de Chuchu ficar em cima poleiro já é uma M, mas pular para o lado errado e voltar para o mesmo poleiro é o fim da picada.
Abre seu olho mané.

Reply

O Alckmin de boca fechada é excelente médico.Esse homem é um trapalhão,mas já caiu e ninguém o quer mais.Ótimo!

Reply

Melhor Governador do Brasil,discreto e trabalhador,não sei se o povo brasileiro merece um gestor a altura do Alkimin.

Reply

Coronel,
que é picolé de chuchu já sabemos, agora se mostrando canalha, deve ir logo para o PT junto com o Serra.

Reply

Atenção:
Por que será que o Lula quer a Dilma fora do governo? Ora, ele passaria imediatamente para a oposição "contra tudo o que está aí", como sempre fez e foi aplaudido...
Sem a prisão - prévia - do Lula não é conveniente a saída de Dilma. Pensem...

Reply