Dilma, quase uma fora-da-lei.

Editorial publicado pelo Estado de São Paulo, intitulado "Com o MST": 

Na sexta-feira passada, a presidente Dilma foi até o Rio Grande Sul participar da abertura da colheita de arroz orgânico no assentamento Lanceiros Negros, na Grande Porto Alegre. Celebrou ato comemorativo com João Pedro Stédile e 3 mil militantes do MST e da Via Campesina. Em seu discurso, a presidente da República explicou a importância da sua presença no evento: "Vocês podem ter certeza de que a coisa mais forte no convencimento das pessoas é a realidade, e é a realidade transmitida pela imagem". Ou seja, ela fez questão de frisar que estava bem consciente da mensagem que a sua presença ali transmitia.

No momento em que a base de apoio de seu governo parece ter se esfarelado, a mensagem não podia ser mais clara: a presidente Dilma está próxima de Stédile e de sua militância. Para Dilma, não basta que o governo federal financie o MST - no início do ano passado, por exemplo, o BNDES e a Caixa Econômica Federal liberaram mais de R$ 500 mil para o 6.º Congresso Anual do MST -, ela quer pessoalmente apoiar os eventos da entidade. Ela quer confraternizar com notórios invasores de propriedade alheia. E, como Lula disse recentemente, a militância do MST é um exército. Relembrava assim o ex-presidente algo há muito tempo conhecido dos brasileiros - o MST não é tanto um movimento social, e sim uma milícia, preparada para agir sob o comando dos seus chefes.

E essa milícia esteve bem ativa em março, levando a desordem a variados recantos do País. Os militantes começaram invadindo um centro de pesquisa privado, em Itapetininga (SP). Os camaradas de Stédile picharam o local e destruíram estufas, mudas e material genético. Quase na mesma hora, outros militantes atuavam em Brasília, invadindo uma reunião da Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio), para impedir a discussão e votação da liberação comercial de uma espécie de eucalipto transgênico. Bem coordenados, os militantes conseguiram as duas coisas - estragar a pesquisa e adiar a votação.

Dias depois, o MST atuou em Goiás, Tocantins, Alagoas. Conforme o MST ostentou orgulhosamente em seu site, seus milicianos teriam atuado, durante o mês de março, em 22 Estados, seguindo sempre o mesmo padrão de comportamento - pouco diálogo e muita ação. A lista de delitos não traz grandes novidades. O MST é repetitivo em seus crimes: ocupação de repartições e obras públicas, fazendas, agências bancárias e empresas privadas, além de fechamento de avenidas e rodovias. Um dos bloqueios resultou em tragédia: na BR-101, perto de Aracaju, uma carreta bateu nos carros que estavam parados, matando dois adultos e uma criança.

Nada disso constrangeu a presidente Dilma. "Para mim, é um orgulho ter estado aqui", disse a presidente em seu discurso, ao lado de Stédile. E declarou-se disposta a ter "diálogo, muito diálogo" com o MST. "Dialogar até cansar", enfatizou a presidente. Ainda que se entenda a emoção de Dilma Rousseff com os elogios que recebeu de Stédile, que a definiu como "quase uma santa", e com os gritos de apoio da treinada plateia - ambiente muito diverso das vaias com as quais está tendo de se habituar sempre que aparece em público -, era de esperar outra atitude da presidente da República, que é responsável pela manutenção da ordem pública.

Mas Dilma fez questão de confraternizar com Stédile e de não mencionar qualquer ato criminoso praticado pelo MST no último mês. Ao contrário, manifestou apreço pela ação de Stédile e sua turma: "Eu não concordo tudo com que o Stédile concorda, agora eu respeito a luta do Stédile e as propostas dele". Não pode ser boa coisa tamanha compreensão por parte da presidente com aqueles que agem como se a violência e a ilegalidade fossem meios legítimos para a consecução dos seus objetivos.

Diante da atual crise, o País precisa de serenidade, não de louvores à baderna. Precisa de cumprimento da lei, não de estímulos à desordem. Precisa de diálogo honesto, não do silêncio oficial diante de atos criminosos.

23 comentários

"Quase uma fora da lei"? Quanta bondade! Quem apóia e dá dinheiro para bandido, bandido é!

Reply

Coronel,

Coitado do RIO GRANDE DO SUL que já foi um estado próspero antes de cair na mão desta bandidagem PT+MST.

E agora este governador Sartori parece estar no mesmo barco, ou por ideologia ou porque não tem força de pular fora.

Reply

Perfeito, a presidenta deu uma dentro, "realidade", mostra que ela é uma vagabunda, mentirosa, trapaceira. Essa é a realidade que vemos nessa presidenta.

Reply

Receio que haja um enfrentamento sangrento entre estes bandidos e nós, os brasileiros que amam o Brasil e querem retomar a Nação, e reconstruir o país.

Reply

Excelente artigo!

Juristas denunciam e cobram que MP peça anulação da regulamentação de Dilma para Lei Anticorrupção.
Aqui: http://www.alertatotal.net/

Reply

O lauro Jardim diz que a Dilma vai nomear
o petista da OAB para o STF.
Agora vai...Adeus STF!!!

Reply

Na história, os lanceiros negros não acabaram muito bem.

Reply

Muy buenas Coronel.
Muito triste, quando as pessoas pregam o que não creem.(Caso da governAnta).
Palavras da governAnta: "Vocês podem ter certeza de que a coisa mais forte no convencimento das pessoas é a realidade, e é a realidade transmitida pela imagem".
Pois é governAnta, a imagem e as mensagens do ultimo dia 15 passado, não foram lembradas, entendidas...???...
Sra. governAnta, aquilo tudo queria dizer que V.S.a. já não é pessoa grata a sociedade brasileira, fora governAnta. Dia 12 todos para a rua. Fora Dilma, Fora PT, Fora Lula.

Reply

a ex-guerrilheira está saudosa dos velhos tempos. Vai combater no exército da banda podre com revolveres ou facões e ancinhos?

Reply

Como a gente diz aqui no Sul, "me caiu os butiá dos bolso" ver o Sartori no meio dessa patuscada.

Reply

Cel.

Esta senhora não acerta uma sequer. Só neste paiseco para ser reeleita presidente, ou será que houve maracutáia......


Tolocl

Reply

Só isto já é caso para impedimento.

Reply

Coronel,
e a Kátia Abreu se juntou com a Rainha Louca para que suas propriedades não seja invadidas pelos bandidos do MST. É a canalha se revelando e se juntando.

Reply

Esta criminosa vai é pro olho da rua!!! com um belo pontapé no rabo.
Vai descer a rampa como Vampeta, na base da cambalhota.

Reply

Ué não é o líder do MST que está prometendo ir contra o povo se o pessoal fazer protesto de novo? Quero ver o que alguns mil farão contra milhares! Se realmente eles estiverem armados como alguns dizem, contra milhares só se eles compraram alguma arma nuclear no mercado negro!

Reply
fred oliveira mod

Um governo fora da lei. O mst nao passara', como nao esta' passando e nem passara' a triste ideologia do pt. A sociedade acordou.

Reply

Matando saudades dos tempos de guerrilheira!!!Bons tempos hein dilma!!!

Reply

Ver o babaca do patrulhas ananás na foto não causa surpresa, mas o governador gaúcho bem que podia ter procurado melhor companhia - ou externado sua divergência quanto aos métodos e objetivos dessa camorra.

Reply
Despetralhando mod

Este quase não ECXISTE, ella é bandida. Ponto.

Reply

Deveria se preparar para ser julgada por um tribunal militar.

Nenhuma força na terra conseguirá deter a onda que aniquilará com o PT para sempre.

Reply

Lei antiterrorismo já, art. 5o da CF/88!

Vão tra-ba-lhar, vagabundos!

Reply

o programa "mais medicos" sozinho nao dah p "impichar" dilma????????????????????????????os audios divulgados sobre a "associaçao" Brasil e Cuba sao assustadores.vi neles varios crimes..................

Reply

Para quem pregou dialogar com degoladores de cabeça, conversar com os ilegais do MST é falar com degolador de unha né!

"Vocês podem ter certeza de que a coisa mais forte no convencimento das pessoas é a realidade, e é a realidade transmitida pela imagem".

A imagem dela ali só reforça a certeza do tipo de apoio que esse governo dá a ditaduras, movimentos ilegais e desordeiros.

Ela continua vivendo no Brasil do horário mentiroso eleitoral!

Reply