2015: mercado contesta Levy & Cia e prevê PIB pra baixo, inflação e juros pra cima.

Joaquim Levy: mercado já contesta fortemente as previsões oficiais.

(Valor Econômico, agora)  Os analistas do mercado financeiro elevaram suas estimativas para a inflação e reduziram as apostas para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB) deste ano, de acordo com o boletim Focus, do Banco Central, que agrega projeções entre cerca de cem instituições.

A mediana das estimativas para o PIB caiu pela segunda semana consecutiva, de 0,50% para 0,40%. Apesar de esperar uma desaceleração da atividade em 2015, o mercado continua a ver uma inflação bastante pressionada. A projeção mediana para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) subiu de 6,56% para 6,60%, acima portanto do teto da meta de 6,50%. Em 12 meses, a estimativa saiu de 6,60% para 6,66%.

Essa pressão inflacionária deve vir principalmente dos preços administrados — como contas de luz, água, transporte público, etc — que devem subir 8% neste ano, ante estimativa anterior de 7,85%. É a quinta semana consecutiva que os analistas elevam essa projeção.

O IPCA de janeiro já deve sentir essa pressão dos administrados, com o aumento das passagens em cidades como São Paulo e Rio de Janeiro, e das contas de luz em todo o país por causa da entrada em vigor do sistema de bandeiras tarifárias. A mediana das estimativas para a inflação deste primeiro mês do ano subiu de 0,97% para 1,05%. Na sexta-feira, o IBGE informou que o IPCA subiu 0,78% em dezembro fechou 2014 com alta de 6,41%.

Em que pese a inflação pressionada, os analistas não elevaram as apostas para a alta da Selic e continuam a estimar que o juro básico da economia subirá a 12,50% até o fim deste ano. A Selic está atualmente em 11,75%. A primeira reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) ocorre nos próximos dias 20 e 21.

Para 2016, a visão do mercado é diferente da do Banco Central, que espera que a inflação caminhe para o centro da meta — 4,5% — no próximo ano. Os analistas veem o IPCA terminando 2016 bem longe disso, em 5,70%, com Selic em 11,50%.

As expectativas de um aumento maior que o já esperado no juro têm arrefecido conforme são divulgados dados mais recentes (e negativos) sobre a atividade. Na semana passada, o IBGE informou uma queda inesperada de 0,7% na produção industrial de novembro ante outubro. Esperava-se alta de 0,4%. O dado provocou revisões ainda mais para baixo para a produção do ano (cuja queda deve ser de mais de 3%) e também sinalizou que o PIB do quarto trimestre de 2014 — que será divulgado apenas em março — pode ser mais fraco que o esperado.

No Focus desta segunda, os analistas reduziram as estimativas para a produção deste ano, de alta de 1,04% para 1,02%. Para 2016, a estimativa é de expansão de 2,65%, quando o PIB deverá crescer 1,80%.
Para compartilhar esse conteúdo, por favor, utilize o link http://www.valor.com.br/brasil/3855074/mercado-ve-inflacao-acima-do-teto-e-expansao-fraca-em-2015-diz-focus ou as ferramentas oferecidas na página.
Textos, fotos, artes e vídeos do Valor estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização do Valor (falecom@valor.com.br). Essas regras têm como objetivo proteger o investimento que o Valor faz na qualidade de seu jornalismo.
Para compartilhar esse conteúdo, por favor, utilize o link http://www.valor.com.br/brasil/3855074/mercado-ve-inflacao-acima-do-teto-e-expansao-fraca-em-2015-diz-focus ou as ferramentas oferecidas na página.
Textos, fotos, artes e vídeos do Valor estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização do Valor (falecom@valor.com.br). Essas regras têm como objetivo proteger o investimento que o Valor faz na qualidade de seu jornalismo.

9 comentários

A origem de Levy, como o próprio nome indica, quer lucro no bolso! Logo, a patroa recebe agrado!

Reply
Despetralhando mod

Com a porrada de taxas e impostos ( água, lus telefone, escola ipva,iptu... fica difícil dizer que a vaca não vai pro brejo.

Reply

Tudo acontece no Brasil do PT menos a inflação ficar acima do teto. Sempre dão um jeitinho.

Reply

Essa cara não deixa dúvidas, um autêntico ALOPRADO!

Reply

Coronel, quais os importantes livros sobre economia que este senhor escreveu?

Qual é a respeitabilidade dele mundo afora quando o tema é economia?

Em quais importantíssimas universidades do planeta este senhor lecionou?

Ele tem alguma chance de levar o Nobel de Economia?

Por favor, parem de endeusar esta criatura que fez parte da abominável turma do guardanapo lá em Paris.

Reply

Pelo menos fica garantido que o ministro da fazenda continuará a aparecer nas capas das revistas econômicas mundiais por suas previsões que não se concretizam.

Mais um ministro para o Pronatec.

Reply

>>

Como é que um técnico celebrado como esse tal de Joaquim Levy aceita trabalhar para um governo que é uma quadrilha, um verdadeiro saco de gatos comandado(?) por uma governanta incompetente e medíocre?

Não confio nesse sujeito.

<<

Reply

Coronel,
repito, o nome Levy por si só não engana quem é do ramo. O Mercado vê o governo como um todo, principalmente as ações e os gestos da presidAnta.

Reply
fred oliveira mod

Os números atestam que o ano será mais um de fracasso desse governo lulupetista. A tragédia desencadeada por esse partido há doze anos deixa mais que claro o quanto o Brasil perdeu esta década e o quanto demorará para se recuperar.

Reply