Na próxima terça, Oposição solta manifesto pelo impeachment.

Depois das contundentes declarações do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso contra a presidente Dilma Rousseff e o PT, o PSDB agora está sendo pressionado pelos demais partidos de oposição a assumir a bandeira do impeachment para evitar que a presidente Dilma Rousseff ganhe fôlego e recupere terreno no Congresso Nacional. 

Na segunda-feira passada, FHC utilizou uma rede social para dizer que a “renúncia” de Dilma seria um “gesto de grandeza” da presidente. A mensagem foi interpretada pela oposição como um aceno do PSDB à pauta das ruas, o “fora Dilma”, e a busca por um discurso unificado.

O senador Aécio Neves (MG), presidente do PSDB, marcou uma reunião entre os oposicionistas e o jurista Miguel Reale Júnior para terça-feira. A pedido do partido, ele elaborou em maio um parecer no qual aponta que há embasamento jurídico para o impeachment. “Vamos avaliar o cenário. Muita coisa aconteceu de lá para cá”, diz Reale.

O tucanato paulista ainda resiste, atendendo interesses de José Serra aliado a Temer e a Geraldo Alckmin, que deseja que tudo fique igual até 2018.  “Existe fundamento jurídico para o impeachment, mas as condições políticas precisam ser criadas”, diz o senador Aloysio Nunes (PSDB-SP). Na semana passada, ele afirmou que o partido votará a favor do impedimento da presidente caso o processo entre na pauta da Câmara.

Pela contabilidade do Solidariedade, o pedido de impeachment já contaria com apoio de 180 deputados dos 342 necessários para a proposta avance na Casa, que conta com 513 deputados. Em outra frente, um grupo de deputados liderado por Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA) articula a criação de uma frente suprapartidária anti-Dilma.

9 comentários

Despetralhando mod

Como é que vão criar condições políticas, se no psdb cada cacique vê primeiro o seu UMBIGO?

Reply

Prefiro a cassacao da Doida Varrida,junto com o PT e Temer que ele sabia de tudo,

Reply

Agora vai...que não esqueçam as urnas eletrônicas e que venha o parlamentarismo caso contrário é chover no molhado ou então que volte a monarquia ao menos é mais fácil controlar uma só família. Já se vão 8 meses com essa lengalenga, parece gestação de elefante e chamar de pixulecos os roubos só num país da banania.

Reply

O revoltante é ver 531 vagabundos na câmara e 81 no senado, cuidando de conchavos espúrios de interesses próprio e desobedecendo a vontade do PATRÃO=POVO.

Reply

Seria sábio que os paulistas ficassem com as barbas de molho com o segmento paulista dos tucanos.Não me parece que estejam pensando na nação e sim em si mesmos . OLHO VIVO.

Reply

Esta na hora de dar os nomes ncorretos aos " Malfeitos", "pedaladas", "pixulecos". Estas palavrorias fazem parte do dicionário desconstrutor do lulopetismo. O Nome legal deve ser, malversação do dinheiro público, estelionato eleitoral, crimes de colarinho branco, propinas oriundas da corrupção etc etc etc. Estas palavras denominam legalmente e estão configurando os crimes que insistem em subestimar.Vamos dar os nomes corretos ás más ações> crimes ao país.Com as devidas penas advindas áqueles que as cometem.

Reply

Miguel Reale: o senhor está errado: não aconteceu muita coisa desde então, como disse. Não há fato novo. A única coisa que continua a ocorrer nesta República dos Bandidos é a roubalheira sistemica e sistematica, e a blindagem a Dilma, via TSE do Toffoli e as artimanhas do Prevaricador-Geral da República, vulgo Janota do PT.

Reply

alguem poderia explicar pq impichar a dilma seria traumatico p o pais??? e pq nao podem impicha la? pq ela eh "proba"?tah bom...............

Reply

"Teje preso, teje solto", será que o velhaco FHC que tanto defende a honrada guerrilheira, que defendeu Lula de sofrer um impeachment não se toca não? Estamos cansados de tanto drama; Dilma vai perder o mandato porque não o ganhou de forma limpa e regrada, mas de forma escusa. Agora, porque age feito a Rainha Antonieta no seu Palácio como se o povo fosse "um detalhe". Pare FHC de atrapalhar o povo brasileiro e o Brasil. Nos deixe em paz, Dilma sai porque o Brasil precisa ressuscitar

Reply