Luiz Fachin aprovado por 20 x 7 na CCJ. Oposição, como sempre, fez o que podia. Sabatina durou 11 horas.

O jurista Luiz Edson Fachin indicado para o cargo de ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) pela presidente Dilma Rousseff, falou por cerca de 11 horas durante sabatina na Comissão de Constituição e Justiça do Senado.
(Estadão) Indicado para ocupar a 11.ª cadeira do Supremo Tribunal Federal pela presidente Dilma Rousseff, o advogado Luiz Edson Fachin foi aprovado ontem pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, por 20 votos favoráveis e 7 contrários. A votação ocorreu após uma sabatina de quase 11 horas, na qual Fachin tentou se descolar das polêmicas ligadas a seu nome no último mês e do suposto vínculo com o PT. Em diversos momentos, também prestou reverências ao Congresso e ao papel do Legislativo. A palavra final será dada agora pelo plenário da Casa em votação prevista para a próxima semana. 

Para se afastar de discussões políticas, Fachin afirmou que não teria dificuldade em julgar nenhum partido caso se torne ministro do Supremo. Ele citou o ex-ministro Joaquim Barbosa, cuja aposentadoria abriu a vaga no STF, como exemplo de atuação independente na Corte. O ex-relator do processo do mensalão, que votou pela condenação de petistas envolvidos no esquema, havia declarado voto no PT em eleições presidenciais.

“Não tenho nenhuma dificuldade, caso venha a vestir a toga do STF, em apreciar causas de qualquer partido político”, afirmou. O jurista negou filiação partidária e disse nunca ter praticado “proselitismo político”, mas assumiu que em alguns momentos foi chamado para tomar posição “ora como professor, ora como jurista, ora no exercício da cidadania”. Fachin citou situações em que demonstrou apoio a candidatos do PV, PDT e PPS. A imparcialidade do jurista vem sendo questionada pela oposição desde que foi revelado um vídeo no qual ele pede votos para a presidente Dilma Rousseff, em 2010. 
Fachin aproveitou a sabatina para fazer acenos ao Congresso, afirmando que cabe ao Legislativo – e não ao Judiciário – definir questões polêmicas como aborto, impeachment da presidente da República e financiamento de campanha. São circunstâncias em que o Supremo “não deve atravessar a rua”, afirmou. Pouco antes da votação da CCJ, o jurista disse que a delação premiada configura um indício, mas não pode ser tratada como “prova contundente” num processo criminal, sem se referir de forma específica ao caso da Lava Jato. Atualmente, 48 políticos são investigados perante o STF por suposto envolvimento no esquema, entre eles senadores com cadeira na CCJ.

Após a sabatina, Fachin disse estar “feliz e honrado por ter sido destinatário de tamanha atenção pelos senadores da CCJ”. “E agora aguardo a etapa seguinte, que é a deliberação do Senado Federal”, completou. Após passar pela comissão, Fachin precisa agora ser aprovado em votação secreta no plenário do Senado. O presidente da Casa, Renan Calheiros (PMDB-AL), disse ontem que a apreciação do nome do jurista pelo plenário será na terça-feira, contra o desejo do Planalto. No final da sabatina, no entanto, os parlamentares aprovaram regime de urgência na esperança de que a votação ocorra ainda hoje (mais informações na página ao lado). Renan não foi à sabatina de Fachin.  

Apesar da longa duração, os aliados do governo demonstravam menos preocupação com a aprovação na CCJ, e mais com a votação da próxima semana. O medo é que o PMDB use a possibilidade de rejeição da indicação para desgastar a presidente.

Oposição. Coube aos senadores da oposição na CCJ os questionamentos mais controversos a Fachin, como acusações de que defenderia a poligamia e seria contra o direito à propriedade. Ciente disso, o jurista afirmou logo na exposição inicial “não ter fugido”, como professor, de debates polêmicos, mas fez uma defesa dos valores da família e da propriedade e em temas como maioridade penal e financiamento de campanha destacou o papel do Legislativo na definição desses temas.

“Trago na minha biografia teses e visões de mundo controvertidas, posições às vezes contundentes. Fui intenso, somos sempre nós e a nossa circunstância, não me escondi atrás da palavras, sou quem sou”, disse. Filho de agricultores do Rio Grande do Sul, Fachin se emocionou ao citar sua família.

O questionamento sobre o respeito à propriedade foi levantado pela ala ruralista da Casa, representada por Ronaldo Caiado (DEM-GO). Senadores da bancada evangélica abordaram temas ligados à família e aborto. O tucano Aloysio Nunes (SP) cobrou o fato de Fachin ter exercido as funções de procurador do Estado do Paraná e de advogado simultaneamente, o que seria vedado pela Constituição local. O jurista exibiu uma autorização da OAB local. A exceção entre os opositores foi o relator da indicação de Fachin, Alvaro Dias (PSDB-PR). Ele voltou a defender a aprovação do jurista gaúcho radicado no Paraná e criticou o “oportunismo” dos correligionários.

26 comentários

o mais engraçado dessa sabatina foi ver a petralhada alegando que a oposição estava ali, por razões políticas. eu pensava que a oposição existia para torcer pelo flamengo...

Reply

A oposição estava lá "muito bem representada" Álvaro DIAS TOFFOLLY II.

Reply

Tadinha da oposição, ela tinha que prestigiar o mestre intelectual do comunismo.

Reply

Anônimo de 7:25 kkk...mas é isso mesmo. Você já imaginou? o cara é o santo representante da verdade suprema, ter que perder tempo debatendo com esse pessoal que de acordo com a doutrina tem que ser morto? a questão política é só para os membros da nomenklatura, o que esse arremedo de oposição tenta fazer a toda hora, debater a política, é uma violenta agressão ao rumo natural da história, digno de se chamar a atenção: "vocês estão aqui por razões políticas?!", quer dizer...os caras estão anotando tudo, todas essas humilhações que a oposição vem impondo aos devotos do socialismo e da cnbbão.

Reply

Coronel. Tem alguma informação se a senadora Ana Amélia Lemos fez alguma pergunta ao Fachin ? E ela que sempre se auto intitulou defensora das classes produtivas ( agronegócio) teria votado a favor ?

Reply

A sabatina é para inglês ver porque a votação é secreta. Puro teatrinho barato, joguinho de cena. Depois não adianta reclamar que o Brasil está indo para o abismo socialista. Cada povo tem os representantes que merecem e que escolhem. Nem o DEUS brasileiro salva este país.

Reply

O Brasil caminha mais um passo para a SEPULTURA!
Mais um fdp que vai receber do povo e trabalhar para a Sofisticada Organização Criminosa-PT, garantindo a cubanização do Brasil. Sem dúvida, seremos um campo de concentração de brazuelos oprimidos.

Reply

Esse PMDB do senado e um carasco.
A oposicao faz o que pode os tres que tinham direito a voto foram contra esse fascista.mentiroso que vai virar as costa para o senador Alvaro Dias assil que entrar no STF.Espero que aiguns mude de ideia na votacao geral
pois juiz que se presa nao pode declarar em auditorio que fai votar em um candidato, muito menos que esta representando os juizes.

Reply

CEL,

Para que serve o Congresso Nacional se os congressistas, representantes do povo, não acatam a vontade do povo mas a sua própria vontade e interesses além dos interesses do governo mais corrupto que este país já viu. Vamos aguardar a votação cujo resultado todos nós já sabemos qual será e vamos continuar fazendo de conta que está tudo bem.

O teatro continua e ninguém se envergonha!

Índio Tonto/SP

Reply

Álvaro Dias perdeu a minha admiração, e ESPERO que eleitores também. Não ouviu nem aceitou a opinião de ninguém, ainda que as mesmas só refletissem os fatos. Fez um papel ridículo, bairrista, só apoiou o candidato por conta do mesmo ser paranaense. Um babaca.

Reply

O Chico Pinheiro da Globo também afirmou que a oposição tinha questões políticas contra o Fachin.Estou ficando cansada dos comentários parciais deste jornalista.

Reply

Não a oposição não fez o que podia. Esta aprovação só foi possível, ontem, por conta da manobra de urgência feita pelo senador do PSDB Alvaro Dias.

Reply

A ESCOLHA nunca é por motivos MORAIS e sim legais ou mesmo ilegais.


BRASILEIRO não tem palavra, descumpre o que diz e mesmo assinando qualquer papel recorre ao judiciário para modificar o que foi escrito!

BRASILEIROS NUNCA tiveram princípios morais, o que sempre teve foi o MEDO.
MEDO este que já não tem mais também.

NÃO DÁ para generalizar, excluo desta população 5% que SÃO MORAIS.










Reply

Sabendo agora que ele exerceu a dupla função quado o Álvaro DIas era o governador fica fácil fazer certas ilações. Deve estar pagando por algum servicinho que o futuro ministro fez a ele naquela ocasião.

Reply
Ferreira Pena mod

Ora Coronel, será mesmo que a oposição fez o que podia? Nossa oposição quando pode, mostra a que veio, e nós aqui em baixo na época das eleições a defender gente fraca e covarde.

Reply

Procurador do Paraná, Luiz Henrique Bona Turra já havia encaminhado, em 2006, representação, ao então presidente Lula, DENUNCIANDO o advogado Fachin por prática ILEGAL.
O assunto está publicado na matéria do jornalista João Valadares "O Jogo Duplo de Fachin na Advocacia)- Correio Brasiliense, edição de 09 de maio de 2015.
Link para a matéria http://novo.clipclipping.com.br/impresso/ler/noticia/2555763/cliente/19

Gaudêncio Sette Luas

Reply
Rita Rafaeli mod

O sujeito fez a mesma coisa que todos os petralhas fazem para alcançar um posto: mentiu, descaradamente.
Quanto ao Alvario Dias, se o PSDB não expulsá-lo da legenda imediatamente, nunca mais vai ter credibilidade e vai acabar extinto.
Aécio, o cara que ia fazer oposição cerrada, fugiu, junto com o Serra. De FHC, nem se fala.
Sobrou o Aluysio para fazer a fachada e dizerem que fizeram oposição.
Ainda vai defende-los, Coronel?

Reply

Também acho que Aécio, deveria ter ficado e marcar presença. FHC, podia se fazer acompanhar de seus familiares. Esses títulos não me dizem absolutamente nada, O homem do ano errou feio em 2005 quando deu seu apoio ao X9, a "acreditando" nas lorotas da Anta.Ponto.
Somos um bando de burros, sempre acreditando e sempre sendo desiludidos.

Reply

Coronel,

enrolado, prolixo, empolado, confuso, com palavras difíceis para tentar mostrar um conhecimento que não precisa de tantas firulas. Adorei a ironia de Magno Malta dizendo que não conseguia entender aquele palavreado difícil.

O lobo em pele de cordeiro mentiu descaradamente em um excelente teatro com direito à Oscar! Ridiculamente se "emociona" ao falar da pobreza e dos pais. Não vi lágrimas (a imprensa não para de dizer que o ilustríssimo chorou), mas se houvesse seriam de crocodilo.

Apagou sua biografia desviando-se de suas crenças apenas para enganar trouxas.

O Brasil verá este ser nefasto mostrar suas garras quando estiver togado (vermelho)e tiver nas mãos o Petrolão.

A petralhada presente, dentre eles ainda a petralha Dna Marta Suplicy, com os visgos do PT correndo em suas veias, defendeu ridiculamente Fachin.

Asqueroso ouvir e ver Barbie-cupim-das-araucárias. Ela e uma outra petralha do RN, de quem lembro da voz e cara, mas não lembro o nome, fizeram dupla em uníssono para tirar a palavra de Ronaldo Caiado. Bandidas petralhas comunistas! Malditas!

Mas muito mais nojento é ver Álvaro Silvério dos Reis Dias desfilando seu rosário de elogios a alguém que não os merece. Lamentavelmente, jogou sobre a própria cabeça a última pá de cal na própria sepultura, cavada por ele mesmo.

Brava oposição! Em pequeno número, mas afiadíssima!

Vamos rezar para o PMDB mostrar ao PT quem manda atualmente no país e reprovarem no Senado esse comunista miserável, ligadíssimo ao PT, MST e CUT. Não respeita a propriedade privada. Não respeita os laços de família. Marxista até o último fio do bigode.

Pobre Brasil. Que Deus tenha misericórdia de nós.

Flor Lilás

Reply

Como já está estabelecido que o PT NÃO É partido político, mas um ajuntamento.... então a defesa dessa gentalha estará valendo né?!

Ridículo foram os vídeos, e o choro, desse "camarada"!

Vergonhoso!

Reply

Que venha a guerra civil. O lado de lá pagará muito caro.
Não sobrará nem familiares para contar história.

Reply

Uma derrota para o Brasil inteiro...

Gabriel-DF

Reply

O senador Magno Malta foi direto ao ponto,parecia que o cara tava representando Hamlet,um ator perfeito com palavras empoladas,não dá para o povão entender ,só confundir.Flor Lilás seu comentário tbe. foi direto ao ponto.

Reply



depois dessa atitude do senador Alvaro Dias,espero que ele se transfira para um dos partidinhos queficam ajoelhados diante de Dilma esperando novas órdens.
Eta paizeco de merda onde os homens eleitos por nós, nos fazem de tolos diariamente.

Reply

Coronel: Não dá pra postar uma listinha (com os devidos partidos) dos que votaram contra?

Reply

ALVARO DIAS que decepção ! até então confiava e seguia suas falas no Senado ! Triste fim para um político

Reply