Força-tarefa do MPF volta à Suiça atrás do dinheiro roubado da Petrobras.

Ao que tudo indica, está sendo aberta uma etapa apenas para a Odebrecht, que até agora não foi alcançada pela Operação Lava Jato. Pelo porte da empresa e pelas suas relações promíscuas com os governos petistas, é bem possível.
 
(Estadão) Uma delegação brasileira composta por procuradores desembarca amanhã na Suíça para buscar novos documentos relacionados ao escândalo de corrupção da Petrobras. Fontes ligadas ao processo que corre no país europeu confirmam que os investigadores brasileiros da Operação Lava Jato poderão dar um passo “fundamental” a fim de traçar a forma pela qual teria ocorrido a participação da Odebrecht, maior empreiteira do País, no esquema.

O Ministério Público da Suíça deve apresentar às autoridades brasileiras novos documentos e extratos bancários que poderão revelar o caminho do dinheiro que circulou em uma série de contas suspeitas. Investigadores brasileiros já estiveram na Suíça atrás de provas. A primeira viagem, em novembro de 2014, teve como foco movimentações financeiras envolvendo o ex-diretor de Abastecimento da Petrobrás Paulo Roberto Costa.

Caminho. A suspeita é de que Costa tenha recebido suborno da Odebrecht no valor de US$ 23 milhões em contas na Suíça. A investigação aponta vários intermediários nessas operações financeiras. Por isso, o principal objetivo da força-tarefa brasileira é rastrear o caminho percorrido pela verba até as contas do ex-diretor.

No início de 2014, os suíços iniciaram sua própria investigação e identificaram como as contas encontradas tinham relação direta com obras de refinarias da Petrobrás. Cinco contas em nome de Costa foram encontradas. Os recursos, bloqueados, voltarão ao Brasil para uma conta que será administrada de forma conjunta pelo Ministério Público e pelo Supremo Tribunal Federal.

Costa fechou acordo de delação premiada e está em prisão domiciliar no Rio. Além de apontar contratos superfaturados, ele já citou dezenas de políticos como beneficiários do esquema. Onze executivos e ex-executivos de empreiteiras estão presos preventivamente em Curitiba. A Odebrecht, maior empreiteira do Brasil, não teve nenhum de seus integrantes presos ou denunciados à Justiça até agora.

Fontes próximas à investigação indicam que os extratos que devem ser apresentados às autoridades brasileiras trazem indícios que ligariam o dinheiro das contas de Costa à Odebrecht. A suspeita é de que as transferências passaram por uma rede de consultores e operadores. Os suíços obtiveram a documentação após a Justiça do país europeu exigir que bancos locais quebrassem o sigilo bancário de Costa.

A Odebrecht nega ter pago propina. “Todos (os contratos com a Petrobrás foram) conquistados de acordo com a lei de licitações públicas. A empresa reitera que está, como sempre esteve, à disposição das autoridades para qualquer esclarecimento”, afirmou em nota oficial.

10 comentários

Tem que fazer um limpa neste país e começar do zero , o Brasil já era , um país de corruptos é uma herança maldita deixada por esse governo a população brasileira .

Reply

Coronel,

graças a Deus ainda temos pessoas honestas e comprometidas com a Verdade!

Que Deus os ilumine e em especial, os proteja dos maus e do mal.

Flor Lilás

Reply

Pra trazer esse dinheiro de volta tem de usar um super-petroleiro.

Reply

Vá a S.Bernardo do Campo...

Reply

A cada passo deste processo fica cada vez mais a mostra da genialidade do juiz Sérgio Moro. Ele pegou de baciada as mais fáceis e deixou para mais a frente as duas gigantes Andrade Gutierrez e Odebrecht as mais ligadas ao deus supremo do pt. Sem misturar as coisas vai ficar muito mais fácil de desmascarar todos, inclusive os políticos super estrelados.

Reply

Será que o Paulinho (alguém ainda duvida da proximidade?) anda imprimindo dinheiro e botando a culpa nos empreiteiros inocentes???
E ficou com tudo só prá elle, filhas e genros, o danadinho ???
E o Barusco ?
E o Duque, mas que cara de sorte, nunca vi tanta sorte...

Reply


Coronel

Parece razoável, já que é a maior parceira da petralhada em negócios com o Governo.
Impossível, não estar envolvida neste enrosco.....sem contar que é a preferida do CAPO...

Reply

Coronel, boa noite!

Estava eu lendo notícias de economia, quando me deparo com a seguinte matéria:

Os Gradin depois da Odebrecht

http://www.istoedinheiro.com.br/noticias/negocios/20120525/gradin-depois-odebrecht/81606.shtml

Observe as seguintes passagens
"...e as saídas de Bernardo, da presidência da Braskem, e de Miguel, da Odebrecht Óleo e Gás, no fim de 2010."
Mais "empresa formada por Bernardo e Miguel, será erguida em Alagoas, com previsão de entrar em operação no fim de 2013. Ela custará R$ 300 milhões, dos quais o BNDES vai entrar com R$ 170 milhões."

O que parece é que os dois estavam completamente envolvidos com a Petrobrás nos negócios da Odebrecht até 2010, correto? Não devem explicações sobre nada ??

Abraço!

Reply
fred oliveira mod

A relação da oderbrecht com o pt, particularmente com Lula, é estranha demais. E parece coisa mafiosa. Investigar é preciso.

Reply

O problema é o MPF trazer o dinheiro de volta... e o redesgoverno mandar ele para fora do país por algum outro esquema de corrupção.

Reply