Aécio provoca: vem pra rua, Dilma!


Após um mini comício na porta de uma fábrica em São Paulo, na manhã desta quinta-feira, o candidato à presidência da República Aécio Neves propôs à presidente Dilma Rousseff que ela seguisse o exemplo dele e fizesse campanha nas ruas, para, segundo o candidato, conferir o desânimo da população. 

O tucano minimizou o fato de a adversária participar nesta tarde de um evento em que receberá o apoio das centrais sindicais, Central Única dos Trabalhadores (CUT), União Geral dos Trabalhadores (UGT), Central dos Trabalhadores do Brasil (CTB), Nova Central Sindical dos Trabalhadores (NCST), Central dos Sindicatos do Brasil e Força Sindical.

- Eu estimulo muito que ela vá às ruas, e não apenas nos eventos organizados e programados, que ela vá olhar nos olhos das pessoas, e possa perceber o sentimento do brasileiro hoje de desânimo - disse Aécio.

A visita de Aécio à fábrica Voith, na zona norte da capital paulista, às 7h, foi organizada pelo deputado Paulo Pereira da Silva, o Paulinho, da Força Sindical. A central de trabalhadores está dividida entre o tucano e Dilma. Aécio aproveitou uma assembleia que aconteceria com os funcionários para fazer seu discurso e falar dos compromissos com os trabalhadores.

O evento foi marcado para se contrapor à agenda de Dilma. Cerca de 100 dos 4 mil trabalhadores saíram da fábrica para acompanhar o ato. A maioria era, entretanto, correligionários e cabos eleitorais.

O candidato ironizou a vantagem que Dilma tende a ter junto às centrais sindicais. - Ninguém que ter monopólio de absolutamente nada, que ela tenha suas interlocuções é legitimo. Mas, infelizmente, as lideranças do PT que estiveram no evento da CUT não tiveram a mesma recepção - disse Aécio, ao se referir à forma com a qual foi recebido pelos trabalhadores.

Entre as promessas feitas aos trabalhadores estão a retomada do crescimento, o combate à inflação e a correção da tabela do imposto de renda pela inflação. Ele fugiu, entretanto, de uma das principais reivindicações dos trabalhadores, que é o fim do fator previdenciário. ( O Globo )

15 comentários

Os pelegos estão todos com a jabiraca? Que bom, afundarão com ella!

Reply

Em relação ao fator previdenciario ele poderia dizer a verdade. Que a previdencia social está quase quebrada e se o fator for retirado agora, não haverá condições de pagar as aposentadorias de quem ainda está trabalhando e vai se aposentar no futuro.

Portanto, para que os filhos das pessoas que estão rabalhando agora e para as pessoas que estão entrando no mercado agora, possam se aposentar e receber alguma coisa algum dia, é preciso manter o indefectivel fator previdenciario, MAS QUE ELE VAI SE EMPENHAR PARA RETIRAR A PREVIDENCIA SOCIAL DO BURACO E TENTAR MELHORAR O VALOR DAS APOSENTADORIAS...TEM QUE FALAR A VERDADE ! NUMA LINGUAGEM QUE O POVÃO ENTENDA.

Reply

Em relação ao fator previdenciario ele poderia dizer a verdade. Que a previdencia social está quase quebrada e se o fator for retirado agora, não haverá condições de pagar as aposentadorias de quem ainda está trabalhando e vai se aposentar no futuro.

Portanto, para que os filhos das pessoas que estão rabalhando agora e para as pessoas que estão entrando no mercado agora, possam se aposentar e receber alguma coisa algum dia, é preciso manter o indefectivel fator previdenciario, MAS QUE ELE VAI SE EMPENHAR PARA RETIRAR A PREVIDENCIA SOCIAL DO BURACO E TENTAR MELHORAR O VALOR DAS APOSENTADORIAS...TEM QUE FALAR A VERDADE ! NUMA LINGUAGEM QUE O POVÃO ENTENDA.

Reply

Coronel
Não só o fim do fator previdenciário, mas um estudo para reduzir a carga tributária.
Nenhum candidato fala claramente sobre isso.
O que muita gente não sabe é que a sonegação é alta, além de dívidas ativas da União, de grande vulto, serem conduzidas de forma política.

Reply

Central sindical e merda é tudo a mesma coisa,o povo não ta nem podendo ver falar de esta coisa de sindicato .corja de parasita que não trabalha,vivem da discordia alheia,esta raça de gente não vale nada.

Reply

lindo de se ver!!!!!

Reply

Foto de líder!

http://f.i.uol.com.br/fotografia/2014/08/07/426082-970x600-1.jpeg

Futuro presidente!!!

Vitor

Reply

Espalhem para os quatro cantos.

Economista faz alerta gravíssimo a Nação Brasileira

https://www.youtube.com/watch?v=1RAdwMjX_pM#t=157

Reply

vai tomar vaia!

Reply

Notícia como esta só podia sair na Bolha-petralha!

EM ATO, DIRIGENTES DE CENTRAIS SINDICAIS ASSOCIARÃO AÉCIO À ‘PRIVATARIA’

Amigos de fé Em ato de apoio a Dilma Rousseff (PT), dirigentes das seis maiores centrais sindicais do país vão abrir hoje a artilharia contra Aécio Neves (PSDB). As entidades dirão que “o Brasil de Lula e Dilma” é melhor do que o “da privataria e das políticas neoliberais”, referindo-se à gestão tucana de FHC. Em documento, acusarão a “oposição conservadora” de preparar medidas “duras” e “amargas” contra os trabalhadores. Entre os signatários estão CUT, UGT e dissidentes da Força Sindical.

http://painel.blogfolha.uol.com.br/2014/08/07/em-carta-dirigentes-de-centrais-sindicais-associam-aecio-a-privataria/


FORA DILMA!
FORA PT!


É AÉCIO NEVES PRESIDENTE!



Chris 45/SP

Reply
Valdevino Mafra mod

Dilma cria vergonha na cara e chame o Lula e seus aliados e suma do nosso pais pra bem longe.

Reply

Coronel

O Aecio pode usar o famoso bordao da Caixa em um comercial


VEM PARA A RUA VOCE TB


O QUE ACHA

Reply

Acho esquisito:

Paulinho da Força Sindical (Solidariedade) está apoiando Aécio Neves.

Parte do partido também apoia a anta?????



Chris 45/SP

Reply

A Dilma agora ainda não pode ir
para as ruas, tomou um chazinho
VTNC que ainda está surtindo fortes efeitos colaterais que causam desânimo generalizado, o que a impede no momento de ir ao encontro das multidões eufóricas
e que clamam com veemência por sua presença pelo Pais afora.

Reply

O Aécio, tem de por um fim no fator previdenciario e mostrar que tem competencia e tem capacidade para achar uma solução pra esse embrolío, que tanto prejudica os trabalhadores, cujo salario subtraindo o fator previdenciario, o fim da vida fica com muitas dificuldades, principalmente por causa da saúde.

Reply