PSDB do Aécio: oposição só fora de Minas.

Artigo de Marcus Pestana, deputado federal (PSDB-MG), publicado no site do partido, em Minas Gerais, defendendo a reedição da aliança vitoriosa entre PSB, PT e PSDB em Belo Horizonte. Tirem as suas próprias conclusões.

Partidos políticos são instrumentos institucionais criados nas democracias modernas para canalizar projetos de poder. São meios e não fins em si mesmos. São ferramentas para a transformação da realidade. A cada momento concreto os partidos políticos devem procurar o melhor caminho para melhorar a qualidade de vida da população. Nas eleições municipais, particularmente, longe das velhas e complexas lutas ideológicas, o cidadão-eleitor quer saber quem é aquele que melhor vai cuidar da cidade e das políticas públicas municipais.

Foi isso que levou, em 2008, PSDB, PSB e PT, entre outros, a consolidar uma inesperada e inovadora aliança. A partir das parcerias construídas entre o governo estadual e municipal, e sob a liderança de Aécio Neves e Fernando Pimentel, fizemos a coisa certa e elegemos Marcio Lacerda prefeito de Belo Horizonte.

Teremos novas eleições em outubro de 2012. O governo municipal tem tido bom desempenho e goza de boa aprovação popular. Diante disso, o que deveriam fazer os principais partidos que avalizaram o projeto de 2008? Implodir a aliança e cada um trabalhar candidaturas próprias? Creio que não. A população não entenderia. E não seria o melhor para a capital.

O PSDB teria todas as condições de lançar candidatura própria. Somos o maior partido de Minas. Ganhamos as três últimas eleições estaduais. Temos o governador Anastasia e o maior líder político de Minas, Aécio Neves. Temos nomes para a disputa. Mas essa não é a questão. Em nome dos interesses da população da cidade queremos reeditar e avançar a Aliança por BH.

Não podemos simplesmente fazer mais do mesmo. É preciso reinventar a aliança e jogá-la em novo patamar. Foi esse o sentido do documento político entregue pelo PSDB ao prefeito Marcio Lacerda e à direção do PSB.
São oito pontos: 1) Coligação formal, clara e transparente; 2) Participação na coordenação da campanha; 3) Participação no plano de governo; 4) Valorização de nossa chapa de vereadores e discussão sobre possível coligação proporcional; 5) Escolha de um vice que encarne o espírito da aliança; 6) Em caso de vitória, participação proporcional ao nosso peso político; 7) Foco em 2012, sem colocar em jogo 2014 e 2016; e 8) Intensa participação de Aécio e Anastasia na propaganda de rádio e TV da campanha.

Todos os pontos foram muito bem-recebidos, ficando mais para frente apenas as discussões sobre o perfil do vice-prefeito e a questão de uma possível coligação para a eleição de vereadores. Caminharemos nessa direção e o PSDB assim renovará seu compromisso com o povo de BH e o desenvolvimento da cidade. Nesta hora, vozes que sempre se opuseram à construção da aliança e à administração Marcio Lacerda tentam radicalizar o processo e impedir a reedição dessa união. A essas, um breve conselho: humildade, autocrítica e espírito público. Se quiserem somar, serão bem-recebidos. Mas o PSDB não abrirá mão de ser um dos protagonistas da aliança.

14 comentários

Oposição aos petralhas ? Só Serra, Alckmin, Álvaro, Marconi Perilo...

Aécio Neves aprendeu com o Mario Covas, que apoiou a Marta Suplicy para a prefeitura de São Paulo.

Essa turminha de traíras do PSDB quer realizar o sonho do FHC: alinhar o PT e o PSDB.

Reply

Pelo que entendi ele quis dizer que o PSDB tem condições de ganhar as eleições em BH o que não tem é um candidato competente para administrar a cidade... conta outra esta não cola.

Reply
Jayme Guedes mod

Estão assumindo ás claras o fisiologismo mascarado de projeto de poder como fim em si mesmo. Lamentavelmente o eleitor brasuca carece da percepção que lhe permitiria dar uma resposta ao fisiologismo explícito manifestado na atitude desses pretensos líderes.

Reply

Coronel,
não canso de repetir: nesse traíra não voto nem mesmo sendo uma final entre ele e o pior dos petralhas. Voto nulo.

Reply

Coronel, sei que não é a melhor forma, tudo teria que ser mais claro! Mas estou com a impressão que o PT está sendo empurrado para fora desta coligação... Particularmente, estou aguardando. Esta do vice, os PTebas de BH não vão engolir!

Reply

"a consolidar uma inesperada e inovadora aliança."

eu já diria cínica e despudorada aliança, entre outros adjetivos...

mas são cara-de-pau...

juntam os três maiores partido do local para dividir o poder e instalam uma neoditadura utilizando as brechas deixadas pela democracia...

Reply

Porcos.

Reply

Pozinho e sua tchurma perderam a vergonha de vez. Não bastasse sistematicamente jogar água no moinho do pt, põem-se a justificar o injustificável, quando o próprio pt afirma com todas as letras que não os querem. E os tucanalhas ainda dizem que a política é assim mesmo, tem que ficar de quatro. Nojo. Vergonha alheia.

Reply

"Minas é o mundo"... Não tem que até um comercial de televisão diz isto! Pois então. Minas é o mundo onde a oposição não é oposição e onde os tucanos aecistas botam seus ovos no ninho dos escorpiões vermelhos do PT. Gorra tudo, mas eles seguem felizes com a parceria, uai!

Reply

Afinal de contas, o que esperar de Traécio Silvério das Neves?
Trairagem?
Interesses próprios e escusos?
Votos "Lulécio"?
Votos "DilmaZia"?
Ou quem sabe, Votos "Pimentécio"

Reply

Agora tem de levar o PSB para o apoio a Serra em SP, Eduardo Campos ajudando na tarefa.

Reply

Perilo para presidente! Dias, vice !

Reply

Sou favoravel a alianca com psb em sampa tambem. E no brasil todo.

Reply

Cel.

J.Freire disse, e eu repito:

Não voto no Aécio, Não voto no PT.

Neste caso, voto NULO !!!!!!


Chris/SP

Reply