Depois de prometer 100.000 novas vagas, Dilma cancela o Ciências Sem Fronteiras.


(Folha) Diante da falta de recursos, que levou o governo Dilma a enviar ao Congresso um Orçamento com deficit em 2016, o Palácio do Planalto decidiu congelar a oferta de novas bolsas do programa Ciência sem Fronteiras no próximo ano. Segundo a Folha apurou, o orçamento definido pela equipe econômica para o programa no próximo ano, no total de R$ 2,1 bilhões, é suficiente apenas para a manutenção de estudantes que já estão no exterior. 

Em comparação ao orçamento deste ano (R$ 3,5 bilhões), os recursos do Ciência sem Fronteiras em 2016 terão corte de 40,3%. Um percentual acima disso implicaria na interrupção dos estudos de quem já foi selecionado e embarcou para uma universidade no exterior. Lançado em julho de 2011, o programa se tornou uma das principais bandeiras da presidente Dilma na educação. Após abertura de 101 mil vagas até o ano passado, o compromisso para o segundo mandato foi criar mais 100 mil bolsas. 

O preço do dólar, no entanto, elevou os custos do Ciência sem Fronteiras, que tem desembolsos não apenas com pagamento de benefícios para os alunos como para as instituições de ensino superior que acolhem os brasileiros. Se em julho de 2011 o dólar era cotado a R$ 1,55, neste mês o câmbio está próximo de R$ 3,70. Até o momento, não há data definida para o lançamento de novos editais de seleção, neste ano, de bolsistas para graduação. No ano passado, o processo seletivo começou já em agosto. 

A expectativa agora é que, caso o governo libere verba adicional para o programa no ano que vem, o foco prioritário sejam estudantes da pós-graduação. Questionado sobre esse tema, a Capes não respondeu. A agência informou que "todos os programa do MEC estão mantidos" em 2016. "O ministério está realizando uma análise detalhada do orçamento para dimensionar os programas para o próximo ano", disse em nota.

15 comentários

KKKKKKK. O sonho do Brasil ¨pátria educadora¨, ¨ciência sem fronteira¨, etc acabou. O jeito é voltar para o que sempre foi e será: ¨pátria de chuteiras¨, ¨celeiro de jogador de futebol¨, ¨terra do carnaval¨ e outras idiotices típico de paizinho mixuruca de merda cheio de gentalha bobos alegres.

Reply

Em menos de 10 anos o brasil será uma das nações mais boçais e atrasadas do planeta, a população moribunda só vai conseguir pensar e grunhir sobre necessidades fisiológicas que vão de defecar a usar crack; nossas maiores indústrias serão a prostituição, o tráfico de drogas e o entretenimento promovido por débeis mentais treinados em ong's.

Restará um padre na praça parabenizando a cultura popular e o resgate da dívida social.

Reply

Ao menos um ato racional, chega demandar pessoas para o exterior onde o maior objetivo dos bolsistas é ficar no exterior e casar com estrangeiro.
Que corte também a bolsa atleta onde um medalhista dependendo da categoria recebe até R$ 15 mil reais por mês, mais assistência médica, passagens, hotéis, etc. As medalha de prata badminton do Canada das irmãs do Rio, filhas de um traficante dono do Chapadão, morto pela polícia recebem R$ 8300,00 uma e a outra R$ 5500,00. Nada contra recuperar famílias, mas colocar sempre o esporte como salvador da Pátria já deu o que tinha que dar. Triste é ver nossos professores, além de receber pouco serem ameaçados pelos alunos, nossos cientistas fazerem as malas um desmantelamento total do ensino assim como nossas FFAA que servem o pais 24 H, em certas unidades, nem rango tem.


Reply
fred oliveira mod

O brasil precisa é de liberalismo, que foi o que deu certo em todo planeta. É a liberdade econômica quem promove verdadeira inserção social, não totalmente pelo simples fato de não existir nada perfeito na humanidade mas, sem dúvida, é a melhor opção para o mundo. Os fatos comprovam isto. Ahistória confirma o fato.

Reply

O Brasil é tudo, menos uma Pátria Educadora! Ninguém que está no poder se preocupa com a educação. Não importa se é civil, monarquia ou militar. O que eles querem é que as pessoas tenham no máximo "Moubral" e está louco de bom!

Reply

E a UNE óóó: sshhhhhhh.
caladinha caladinha....

Reply

Vou dizer o que é "PÁTRIA EDUCADORA". Aqui em SC as instituições de ensino trocaram sua autonomia para ingressarem no PROIES (veja a lei e confira). Assim, perderam a liberdade tanto financeira como pedagógica, pois agora tudo depende de autorização do Governo Federal. Tem instituição aqui que recebeu quase 400 milhões de reais em perdão de dívida com a RF e INSS... O que é uma vergonha pois o povo está morrendo nos hospitais e a educação básica tá uma M. Imagino quantas "universidades" não se venderam Brasil afora!
Tá tudo dominado! VIVA A PÁTRIA DOUTRINADORA!

Reply

balada sem fronteiras, você quis dizer?

Reply

Coronel,

agora a estudantada idiotizada precisa levar essa paulada na cabeça para acordar e entender o que é populismo!

O populista dá de todo o possível e imaginável até obter tudo o que deseja e depois abandona os imbecis que foram seduzidos a ver navios. Ou seria a ver dívidas, inflação, falta de trabalho e o raio que o parta?

ACORDA BRASIL!
OU O BRASIL ACABA COM O PT,
OU O PT ACABA COM O BRASIL!

Flor Lilás

Reply

Nome apropriado para este programa: Turismo sem fronteiras!

A maioria que foi para o exterior não sabe conjugar nem o verbo "To be!!


FORA PETRALHAS!



Chris/SP

Reply

A turma do PasTel não sabe fazer gestao de nada.

Reply

Dizem que os bolsistas que foram para UK´, só queriam saber de baladas... Fonte: Pessoas que residem em UK.

Reply

Amúnica coisa boa que esses malditos haviam feito acaba de terminar

Reply

Sairia muito mais barato trazer os professores para fazerem intercâmbio aqui, montando os cursos e investindo em renovação de espaços.
Mas queriam comprar votos, agora fe DEU.

Reply

ótimo que acabou! Os estudantes vao pro exterior usar nosso dinheiro para festas, maconha e luxuria estudar que é bom nada, eles ganham tudo de graça, até mesmo dinheiro para festas aos finais de semana, além de eletronicos, celulares, computadores TUDO DE GRAÇA para fazer festinhas.

Reply