Alckmin convoca governadores tucanos a não prestigiarem Aécio.

Os cinco governadores eleitos ou reeleitos do PSDB podem não comparecer ao ato das oposições convocado para esta quarta-feira pelo senador Aécio Neves (MG), presidente nacional do partido e candidato a presidente da República pelo PSDB derrotado.
 
O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, reeleito para mais quatro anos de mandato, está conversando com os colegas e defendendo uma reunião apenas de governadores com Aécio. O ato está marcado para amanhã às 11h no auditório Nereu Ramos, da Câmara dos Deputados. Além da executiva nacional do PSDB e das bancadas do partido de senadores e de deputados federais, foram convidados líderes dos partidos da coligação "Muda Brasil", que lançou a candidatura de Aécio, e os governadores tucanos. 

O governador de Goiás, Marconi Perillo, reeleito para novo mandato, tende a concordar com a proposta de Alckmin para um encontro de governadores com Aécio sem o clima de acirramento da oposição, dominante no Congresso. "O Poder Legislativo tem a função de fazer oposição, fiscalizar e fazer uma oposição construtiva, uma crítica que ajude o Brasil. Essa foi a postura do PSDB ao longo do tempo", defende o governador. 

"A eleição colocou o partido na oposição. Agora nós governadores temos um outro papel. Se perguntar a Serra [José Serra, ex-governador] ou Aécio o que pensam da ação dos governadores, eles, que já foram, vão dizer que governador é governador, presidente é presidente. A relação é institucional e tem que ser do mais alto nível, se não o prejudicado é o povo", complementa. Segundo Perillo, ele não teve problemas de relacionamento administrativo com a presidente Dilma Rousseff nos quatro anos do primeiro mandato. (Valor Econômico)

45 comentários

Mais uma vez Alckmin a serviço do PT vai se queimar.
Não devemos reconhecer o resultado da eleição presidencial e continuar na rua Alckmin que vá assinar a ficha de filiação do PT.

Reply

Fiquem atentos. O projeto de Lula é ser o Führer da América Latina.
A Venezuela já conta com apoio de cubanos, chineses e do governo do PT.
O Geraldo precisa entender o recado de 88 milhões de brasileiros que não votaram no PT.

Reply

Estou achando isso muito infantil, só estão dando munição aos petistas pra atacarem o PSDB , pelo amor , Dilma nem começou ainda o segundo matado e vcs estão caindo nesse mimimi de guerra interna no PSDB, Aécio vai ser o candidato em 2018 e ponto , e Alckmin ao senado , agora é hora de união , essa babaquice no Twitter atacando Alckmin é meio que vergonhoso , acordem SP é 64% Aécio.

Reply

Alckimin está apoiando indiretamente as articulações do PT em São Paulo? Abre o olho, governador; 4 anos passa rápido. O povo paulistano depreciou o Serra e elegeu o Fernandinho Pixador só para mostrar quem manda, por causa desse negócio de ficar em cima do muro.
Tá certo que o povo paulistano deu murro em ponta de faca, pagou o preço, está pagando caro. Daqui a 4 anos pode acontecer o mesmo com o governo da São Paulo.

Reply

Só eu tenho a impressão que se a eleição de 26/10 - 9 dias atrás - teriam um resultado muito diferente caso as informações econômicas que estão sendo liberadas agora - pior déficit fiscal desde 1997 , pior déficit na balança comercial desde 1998, demissões em massa na indústria - tivessem sido liberadas algumas semanas antes? Somado a isso às denúncias da Petrobrás, a desfaçatez com que o PT após ganhar as eleições aumentou a SELIC - estelionato eleitoral - e o retorno ao ideário hegemônico não democrático: controle social da mídia e plebiscito da constituinte. Tenho certeza que se a eleição fosse hoje a maioria seria PSDBista. Se isso não torna a eleição de 9 dias atrás ilegítima, pelo menos nos dá a certeza que o derrotado PSDB agigantou-se e tem o dever de chamar a população para as ruas para se opor com unhas e dentes, de forma ordeira e democrática, contra o partido que 9 dias depois de comemorar a vitória encontra-se acuado pela inépcia e mentira de sua própria gestão.

Reply

Concordo com o Alckmin. Não há motivo para isso, nem eleito Aécio foi para o Senado, é mandato da eleição anterior.

E o que os governadores e demais tucanos eleitos tem que conversar o farão na reunião.

Acredito que esse tipo de atitude só acirra ainda mais o terrorismo, ceifando precocemente a democracia, diminuindo o tempo para ações democraticas.

Pq todo esse endeusamento do Aécio?
Na conjectura atual qualquer poste colocado para concorrer teria obtido a mesma votação, quiçá até maior.




Zé Patriota.

Reply

Coronel, o importante é que o POVÃO DECENTE E TRABALHADOR esteja com ele. Se Alckmin continuar com essa postura, não se elege nem para síndico de prédio.

Reply

Se esses indivíduos não comparecerem, estará claro o projeto de levar Alkmim à canditatura em 2018. Sendo assim, estará mais do que na hora de Aécio rumar para outro norte. Fundarum novo partido.Muitos, irão com ele como Alvaro Dias e outros. O que sobrar do PSDB certamente entrará na base de apoio a Dilma.

Reply

O picolé de chuchu agora tem SABOR DE CACHAÇA porque está a desconstruir a união oposicionista. Chegou a hora do Aécio fazer a convenção extraordinária do partido para a MUDANÇA DE PROGRAMA DO PARTIDO e de estatuto partidário e estes eleitos considerados REBELDES E INFIÉIS, tucanos de bico vermelho e o picolé de chuchu porta-se como um DITADOR PAULISTA e não um governador eleito, será que Alckmin aceitaria ir a Brasília pra lutar por autonomia aumentada para São Paulo, parecida com a de Hong Kong em relação à China ? ELE É UM CÃO SABUJO DO PINGUÇO, lambe de madrugada o pau d'água e o acorda, é o vira-latas que o desperta todo dia.

ALKIMIN E ÁLCOOL EM MIM ( Lula ) rimam bastante e o ditador não terá lugar quando sair do governo estadual e poderá PROCURAR UM PARTIDO PARA SE LANÇAR CANDIDATO A DEPUTADO FEDERAL, talvez pelo PT. ÁLCOOL EM MIM NÃO.

Reply

Vamos pra rua. Aécio ganhou em SP não foi por causa de Alckmin. Aécio precisa honrar os votos que teve.
Será que o governo de São Paulo recebeu uma "bolada" do governo para calar o bico?

Reply

A impressão que se passa é que o PT, Dilma e Lula usaram o terror para pressionaram esses governadores a comerem na mão do governo.

Reply

Brigou-se com os nordestinos, brigou-se com a direita olaviana e agora briga-se com os tucanos paulistas.
Se Aécio for depender de Minas Gerais e Rio de Janeiro tá ferrado, não sei se não o conhecem ou se o conhecem. São Paulo deu uma diferença pró Aécio que Minas e Rio não conseguiram, muito pelo contrário. Devagar nas pedras, o inimigo é outro.

Reply

Babaca.

Reply

51 milhões de votos de dar uma invejinha né não?
Aecio tem que assumir a liderança da oposição junto aos seus eleitores, liderar o desmantelamento dessa política podre de toma lá da cá, veja o governador aí com medo do PT retaliar que coisa! , aonde estamos?
presidência não é reinado absolutista.
Esses petistas malucos tem que ser banidos da vida pública, só fazem m. Só fazem mal ao país

Reply

Anônimo das 14:12
Transcrevo aqui as suas palavras:
Estou achando isso muito infantil, só estão dando munição aos petistas pra atacarem o PSDB , pelo amor , Dilma nem começou ainda o segundo matado e vcs estão caindo nesse mimimi de guerra interna no PSDB, Aécio vai ser o candidato em 2018 e ponto , e Alckmin ao senado , agora é hora de união , essa babaquice no Twitter atacando Alckmin é meio que vergonhoso , acordem SP é 64% Aécio.

Lembremos, ninguém se fortalece cortando as suas próprias raízes.


Reply

PT nunca mais.
Muda Brasil!

Reply

Coronel,

Era só o que faltava, o Senador Humberto Costa (PT/PE) pautar o PSDB e seus membros do que eles devem fazer daqui para frente e até o que pensam.

Abraços,

Faísca

Reply

Eu sempre tive a impressão que o Alckmin é um vaselina. Ele é competente, tem qualificações e a sua carreira é a de um político honesto. E vaselina. Por outro lado, a ambição de ser presidente é muito grande. Não é a melhor opção para a presidência, e hoje eu optaria pelo Aécio por inúmeras razões. Mas tambem temos que pensar que um governador, normalmente pela dependência que os estados têm do governo central, devem ter uma postura mais pacífica do que um membro do legislativo, que é oposição e representa um outro poder. Em suma; eu se estivesse no lugar do Alckmin, teria um comportamento diferente, e denunciaria implacavelmente todos os desmandos e armadilhas do governo central, o que na prática colocaria a opinião pública em meu favor, e criaria atritos e travamentos em meu relacionamento com o planalto. Um prêço que eu pagaria mas o Alckmin não. Esse não é o perfil do Alckmin. E se considerarmos que estamos na iminência de um golpe real contra as nossas liberdades, creio que mesmo assim, não é hora para dissidências. Se este pessoal do pt conseguir consolidar as "reformas" que estão pretendendo, então a Democracia terá sido estirpada do Brasil, e nós sofreremos muito, não só do ponto de vista econômico ou de baixa qualidade dos serviços. Sofreremos fisicamente. E nossas discordâncias com o comportamento do Alckmin não terão nenhum sentido prático. Uma ditadura das esquerdas, com o pt à testa e com o apoio dos países bolivarianos faria com que a Revolução de 64 parecesse uma reunião de escolares. Eles são crueis, psicopatas, istéricos, articulados ou militantes (como queiram) e tèm uma vocação para a mentira e a prestidigitação que as pessoas de bem não têm. A propria centro esquerda, que respeita um pouco mais a democracia, não tem como freiar o pt. Temos que ser precisos, quase cirurgicos em nossos movimentos; temos que fustigar e formar opinião junto às pessoas que estão descontentes, temos que agir com cautela e autocontrôle para não fazer o jogo deles, não podemos usar de violência de forma alguma e tambem não podemos afrouxar. Não é hora de adotar as táticas dos esquerdistas revolucionários nem de recuar ou calar a boca. A firmeza de cada um vai fazer a diferença. Tem muita gente que neste momento está com o pt, mas que ainda tem a chance e a possibilidade de mudar de posição pelo bom censo e lucidez. Paulo Francis, Reinaldo Azevedo, Nelson Motta, e muitos outros, onde eu tambem me incluo, na adolescência e no começo da vida adulta estavam engajados com as esquerdas, e pularam fora. Muitos outros tambem estão suscetíveis de mudar e se juntar a nós. Não podemos deixar a peteca cair. Não é hora de dar munição para o inimigo, NEM TAMBEM DE ESQUECER O FOGO AMIGO.

Reply

virou chuchu , de novo ?

Reply

eu já sabia!!!

Geraldo Alckmin só pensa no próprio umbigo, esse traíra.

Ele pensa, em seus devaneios que foi reeleito por ter feito um excelente governo, alguém precisa abrir-lhe os olhos, e dizer-lhe que ele foi eleito para que um petista não fosse.

Corona, ele vai largar o cargo na mão do vice, em no máximo 2 anos e meio, para que este concorra à reeleição e ele vai sair em campanha à presidente. Cabe ao PSDB mandá-lo às favas!!! Ele que se filie ao PSB de uma vez, para que concorra com Aécio Neves por uma vaga no segundo turno em 2018.

Esse PSDB é a oposição que qualquer pt gostaria...

Reply

uma vergonha esse governador ! aliás, está vestido bem a caráter do PT ! senador sanguessuga petista, elogiou da tribuna suas palavras publicadas na mídia e a troca de telefonemas que teve com o governador. pede pra sair alckimin ! deixe quem sabe combater de verdade ! não tem medo dos petistas !

Reply

Gosto do Alckmin. Sempre gostei. Sou mineira. Gostava mais dele do que do Aécio. Agora, aprendi a admirar mais o Aécio, que, não se pode negar, foi o que melhor enfrento o PT. É certo que o governador tem que pensar em prol de seu governo e governados. Mas, não pode deixar de ser oposição. Afinal, oposição contínua foi o que o Alckmin enfrentou da parte do PT - e mesmo da Dilma, que não perdia uma chance para se por como melhor que ele, e o PT, como melhor que o PSDB. Então, sem essa de que a relação de governo estadual para federal não permita ao executivo estadual oferecer resistência firme, digna e correta a petralhas.

Reply

Alckimin,cria vergonha na cara,oposicao é oposicao,fique esperto que tem muita gente jovem que pode ser candidato,o PSDB nao é mais um ninho de tucano...Aécio teve coragem de enfrentar essa moleza...o telefone agora toca.

Reply

Parece que o PSDB vive na ilusão de que quase ganhou esta eleição. Não! Foi o Aécio! E vive na ilusão que ganhou em 94 e 98. Não, ganhou graças à coligação com o PFL e o PMDB entre outros. Em 2002 forçou Serra sem ouvir PFL e PMDB. Derrota anunciada.
Agora perder esta onda arrebatadora que quase nos deu a vitória, mais que perder, atacar, tentar destruir! Qual ! O PSDB tem tropismo ao fracasso.
O pt pode ter todos os defeitos do mundo mas é um partido profissional e com contato com a realidade: eles querem o poder e lutam por isto (NÃO APROVO OS MÉTODOS DELES NAO!) Eles sabiam que sua única chance seria com Lula aí tentaram 4 vezes até conseguir. Podem ter divergências internas mas não lavam roupa suja em público.
Todo mundo pode estar sentindo e dizendo uma coisa mas o PSDB acha que sabe mais. Não sabe não! Ficamos livres do cpmf por iniciativa e trabalho do DEM, se fosse pelo PSDB teríamos cpmf até hoje. O PSDB é um partido arrogante e assim vai perder de novo.

Reply

Picolé de chuchu amargo esse aí.
Acorda govern. a hora é de união e não conchavos aqui e ali, a gorda de vermelho que nos desunir,agora é vale tudo.

Reply

Por essas e outra que essa porra de oposição não vence esses comunistas...joguinho de ciumes e invejas...é sempre assim...quando esse safado do alkimim foi candidato também faltou apoio dos demais do partido um monte merda que nem sabe ser oposição...não aprendemos nada...perderemos sempre se não nos unirmos...
Calos Bonasser

Reply

Gente, gente!
O inimigo é outro!!
Deixem disso, por favor!
O PSDB tem nomes competentes, e agora a hora é do Aécio! Assim como um dia foi do Serra, do Alckmin.
51 milhões não quer o PT.
Vamos nos unir.

Reply

Sou totalmente Aécio Neves. Alckmin não tem cacife pra presidente. Deve tentar se manter forte onde está e eleger se sucessor. Presidente é Aécio. É o que o Brasil precisa.

Reply

O picolé de chuchu vem querer bancar o líder carismático. Coisa que ele não é. Conseguiu a façanha de fazer menos votos no 2º turno do que houvera feito no primeiro. Ele que vá dar lições de sua incompetência ao PT, onde, talvez, consiga um cargo como faxineiro chefe da casa civil.

Reply

Isso, enquanto a quadrilha do PT é organizada, essa oposição fica aí de birrinha, tem que se opor mesmo aos petralhas e mandar ferro nessa corja. Ou será que já esqueceram da oposição que Lula fez ao governo Fernando Henrique??

Reply

Meu caro Coronel. Parabéns. Lendo os comentários liberados afirmo vc ganhou.

Reply

Ao anônimo das 14.26. Você tem total razão. O Aécio não ganhou em São Paulo por vontade do Alckmin, que alias teve muita dificuldade para se eleger governador. Cara o Aécio teve 64% dos votos em São Paulo, porque o paulista e o paulistano, não aguentam mais o PT. Se o candidato fosse um João Ninguém qualquer, teria a mesma votação por aqui. Simples assim.

Reply

Só espero que ninguém do PSDB atrapalhe as manifestações nas ruas.

Reply

O Alckimim sabe que agindo assim ficará de fora da CPI do metrô...

Reply

Pessoal, boa noite. Acho que o Alckmin está correto. Ele tem que trabalhar para o que foi eleito. Já estamos numa barca furada, não adianta agora abandonar o estado de SP para tentar salvar o brasil, pois nesse caso iremos morrer juntos. Fortalecer o Estado de São Paulo e não deixar o avanço do PT aqui proliferar "pode" ser uma boa estratégia. O PSDB vai ter que se virar para articular contra o PT com outras armas! Estou errado? Abraços

Reply

Geraldo Alckmin, está bom é de assumir o papel de um Governador de oposição. Ao invés de ficar bajulando o PT, desse do muro Governador aproveita esse mandato que o povo de SP lhe deu no ímpeto da onda azul da candidatura Aécio Neves, ou você não é PSDB, dessa do muro Sr. Governador, nó os Brasileiros não gostamos de Políticos meio termo não, arregace as mangas e vamos à luta, rumo a 2018 com o Aécio outra vês, e olha que sou Nordestino, vamos juntos todos defender o Brasil.

Reply

Coronel
O grande problema é que agora ninguém pode mais dar para trás.
Não fizerem a lição de casa solicitada pelos milhõesde votos, vai ter quebra quebra.
O Alckmim perdeu de ficar com a boca calada. Dizer que disse neste momento é de uma tremenda irresponsabilidade e oportunismo (o egoísmo do político).
Auditoria nas urnas, já!
Investigações onde Lula, Dilma e bandalha estão enfiados até o pescioço, já!
Estão querendo manter as coisas em panos mornos para evitar um crise.
Enquanto não se falar de Foro de SP abertamente e sobre as suas pretensões, e, ainda, dessas militâncias do PT que estão sendo agitadas, as pessoas desinformadas ficarão à mercê da 'bandidagem'.

Cavalaria Ligeira

Reply

O álcool em mim precisa tratar de temas que interessam a São Paulo, como uma AUTONOMIA TRIBUTÁRIA, fazer que OS ESTADOS TENHAM COMPETÊNCIA PARA RECEBER O IMPOSTO DE RENDA, declarado na RECEITA FEDERAL e o valor deveria ser creditado DOS BANCOS DIRETO PARA OS TESOUROS ESTADUAIS, 100% leis estaduais
regulamentarem a constituição de 1988 com: O ESTADO É O RECEBEDOR DOS IMPOSTOS E OS REPASSA 40% PARA A UNIÃO E 30% aos seus municípios.

Com seus 40% a União pode investir na segurança nacional ou FF.AA. e inversão de parte do dinheiro em estados pobres, vai faltar e estes governadores precisarão do senado autorização para emitir títulos de dívida suficiente para fechar contas.
O SENADO COLOCARIA seu teto.

O orçamento impositivo nos três níveis de governo impede politicalha e AO SENADO SE EXIGE O PODER DE FIXAR TETO PARA ENDIVIDAMENTO FEDERAL E IMPOSSIBILIDADE DE EMISSÃO DE MOEDAS.

Sem a política com pê minúsculo MORREM O PT E PMDB.

O PT cai igual caiu os impérios soviético e brasileiro, sem mais a escravidão caiu DOM PEDRO SEGUNDO.

Reply

Ao anônimo das 19.27. Alckmin foi eleito na onda azul do Aécio. Não sei em que planeta vc vive, mas certamente vai ganhar este ano o troféu da maior bobagem dita na net.

Reply

Imagino você com algum poder na mão. Um tirano dos mais cruéis.

Reply

Como assim 'as eleições colocaram o PSDB na oposição'???? Por que? Antes delas o partido era da base aliada??? Pelamordedeus!

Reply

AÉCIO tem o cacife político do Povo Brasileiro.
O povo põe, o povo tira.
Se Dilma for impichada...assume o Temer?
BEM MELHOR.

Reply

Gov. Geraldo chega deste "discurso" à serviço do PT. ´Será que os Srs. ainda não saturaram de servir de massa de manobra do pt. Não dá mais o famoso "EM NOME DA GOVERNABILIDADE..." tão usado pelos srs. Chega!!! Esta sua convocação aos demais governadores eleitos para não prestigiarem AÉCIO, na reunião do Senado, não pegou bem. Não querem ajudar, não atrapalhem. Queremos AÉCIO NEVES candidato das oposições em 2018!

Reply

Corone,

preste atenção ao que dizem em 4 de novembro de 2014 23:15

Está falando mal de você!

Flor Lilás

Reply

Coronel, olha só como a campanha realmente a partir de agora é de 4 anos.
Os petralhas já estão rindo do bundão do Alckmin após a reunião dele com Dilma pra pedir esmola para as obras da água.
http://g1.globo.com/politica/blog/cristiana-lobo/post/dia-apos-o-outro.html

Segunda-feira, 10/11/2014, às 21:41, por Cristiana Lôbo
Dia após o outro
Ao longo da campanha deste ano, Geraldo Alckmin negou sistematicamente haver crise de água em São Paulo e afirmou com insistência que todas as providências estavam tomadas por seu governo para evitar a falta de água para a população. Ele venceu no primeiro turno, enquanto a presidente Dilma Rousseff teve um desempenho bem abaixo da média do PT no Estado, onde ela perdeu por 4.9 milhões de votos para o tucano Aécio Neves.

No segundo turno, o embate entre PT e PSDB seguiu forte em São Paulo, e o tema água voltou ao debate, ainda que sem a presença de Alckmin na disputa. O governador de São Paulo começou a falar que o governo federal não dava ajuda a São Paulo. A essa altura, começava o racionamento em regiões de São Paulo, e o sistema Cantareira registrava os mais baixos índices de água. De novo, o PSDB venceu, por larga margem de votos sobre a candidata Dilma.

Agora, Dilma presidente vai à forra: Geraldo Alckmin foi nesta segunda-feira ao Palácio do Planalto para tratar de assuntos de interesse de São Paulo. Falou em oito projetos que ele chama de estruturantes e que custariam R$ 3,5 bilhões. E, segundo o governador, nada emergencial "porque esta etapa está equacionada". Depois que Alckmin saiu, o governo só mostrou problemas. "Alckmin não trouxe projetos, trouxe ideias", resumiu um assessor.

Quando saiu do Planalto, Alckmin chegou a avaliar que agora é uma nova fase – desarmados os palanques, cada governo executa a sua tarefa. Não é o que pensa o comando do governo. Agora é hora, entende o governo, de mostrar erros e falhas de Alckmin na condução do problema água em São Paulo.

A eleição de 2014 acabou, como entende Alckmin. Mas o governo federal pode já estar pensando na próxima.

Reply