Nocaute! Só 1 em cada 10 brasileiros está feliz com o governo. Dilma, pede pra sair!

Gilberto Durinho, no UFC do último sábado, antecipou a pesquisa CNT/MDA e disse: "Dilma, pede pra sair!"

(Folha) A avaliação do governo da presidente Dilma Rousseff atingiu em março deste ano o segundo pior nível histórico, segundo pesquisa CNT/MDA divulgada nesta segunda-feira (23). No total, 64,8% dos entrevistados consideram o governo da petista ruim ou péssimo, contra 10,8% que o avaliam como ótimo ou bom. Outros 23,6% consideram que o governo Dilma Rousseff é regular e 0,8% não sabem ou não responderam. 

O pior índice registrado pela pesquisa foi em setembro de 1999, no segundo mandato do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB). Na época, o governo do tucano foi avaliado positivamente por apenas 8% dos entrevistados e 65% fizeram avaliação negativa de sua gestão. 

A pesquisa também mostra que a avaliação pessoal da presidente é a pior da série histórica da CNT/MDA. Entre os entrevistados, 77,7% desaprovam a presidente, contra 18,9% que a aprovam. Outros 3,4% não sabem ou não responderam. A pesquisa começou a ser realizada em julho de 1998. 

A última pesquisa CNT/MDA que fez a avaliação do governo Dilma Rousseff foi realizada em setembro de 2014, antes das eleições que reelegeram a petista. Na época, o governo Dilma foi avaliado de forma positiva por 41% dos entrevistados, contra 24% que fizeram avaliação negativa. A pesquisa realizou 2002 entrevistas entre os dias 16 e 19 de março, logo após os protestos contrários ao governo federal, em 137 municípios de 25 Estados. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais. 

SEGUNDO MANDATO
 
O levantamento aponta que 75,4% dos entrevistados consideram o segundo mandato de Dilma pior que o primeiro, enquanto 2,8% o avaliam como melhor e 16,4% o consideram igual. Outros 4,4% acham não ser possível fazer essa avaliação e 1% não sabem ou não responderam. 

Segundo a pesquisa, 84% dos entrevistados consideram que Dilma não cumpre em seu segundo mandato o que prometeu durante a campanha eleitoral. Outros 4,7% consideram que ela cumpre suas promessas, 12,9% avaliam que as promessas são cumpridas parcialmente e 1,4% não sabem ou não responderam. 

O levantamento também questionou os eleitores sobre uma eventual disputa para a presidência da República neste momento entre Dilma e senador Aécio Neves (PSDB-MG). O tucano seria eleito com 55,7% dos votos contra 16,6% recebidos por Dilma. Os brancos e nulos somaram 22,3% e 5,4% não sabem ou não responderam. 

Entre os entrevistados, 41,6% declararam ter votado em Dilma nas eleições de outubro do ano passado contra 37,8% que votaram em Aécio. Outros 10,8% afirmaram ter votado em branco ou nulo, 8,7% não votaram e 1,1% não lembram ou não responderam. 

A pesquisa também perguntou aos eleitores se o governo Aécio Neves estaria melhor que o de Dilma Rousseff neste momento, caso o tucano tivesse sido eleito em outubro. No total, 38% dos entrevistados consideram que estaria melhor, contra 32,6% que consideram igual e 17,4% que acham que a gestão do tucano seria pior. Os que não responderam ou não sabem somam 1,2%. Em relação a um eventual pedido de impeachment de Dilma, 59,7% responderam ser favoráveis e 34,7%, contrários. Outros 5,6% não sabem ou não responderam. 

PETROBRAS
 
Em relação às denúncias de corrupção da Petrobras, 68,9% dos entrevistados consideram que Dilma é culpada pelo esquema de desvio de recursos na estatal, contra 23,7% que não têm essa avaliação. Outros 7,4% não sabem ou não responderam. O ex-presidente Lula também é considerado culpado pelas irregularidades na estatal por 67,9% dos entrevistados, contra 23,7% que discordam. 

A pesquisa mostra que 75,7% dos entrevistados sabem da lista dos políticos que teriam envolvimento com o escândalo de corrupção na Petrobras. No total, 90,1% dos entrevistados consideram que os citados na lista estão envolvidos nas irregularidades, mas 65,7% acreditam que não serão punidos. Apenas 28,4% dos entrevistados acreditam em punições aos culpados. 

Segundo o levantamento, 83,2% dos entrevistados apoiam as manifestações contra o governo realizadas no dia 15 de março e 15,7% são contrários. Mas apenas 3,9% responderam ter participado dos protestos, contra 96,1% que não estiveram presentes. 

CRISE

A pesquisa mostra que 53,9% dos entrevistados consideram que a reforma política vai ajudar, pelo menos em parte, para resolver a crise política do país. Outros 33,2% não acreditam na reforma como solução e 12,9% não sabem ou não responderam. Metade dos entrevistados apontaram a corrupção como maior desafio do governo federal, seguido por saúde (37,1%) e economia (29,3%). 

Em relação à crise econômica, 66,9% consideram que as medidas adotadas pelo governo federal não vão solucionar os problemas no campo econômico e 25,2% são otimistas em relação ao resultados das medidas. No total, 92,8% dos entrevistados responderam estar preocupados com a crise na economia do país. O tempo para resolver a crise será de longo prazo (3 a 4 anos) segundo 51% dos entrevistados, enquanto 10,7% acham que será solucionada em um ano. 

O levantamento aponta que 82,9% dos entrevistados consideram que Dilma não sabe lidar com a crise, contra 13,8% que pensam o contrário. Outros 3,3% não sabem ou não responderam.

14 comentários

A exemplo de 1999, alguém acha que manifestações de rua e índice de rejeição vão derrubá-la? Comunista só sai na porrada!!!

Reply

Será que a hipotética cassação de um partido inclui a cassação de todos os seus membros? Ou eles ficam livres para continuar o jogo em outras legendas. Seria, guardadas as proporções, como fechar o presídio para combater os crimes lá dentro e liberar os presos!

Reply

Também acho.

Reply

blog do esgoto petista ficou injuriado com "o lutador sangrento" !

Reply

A avaliação de Lula deve estar nesse mesmo patamar ou pior, porque ele é tão despreparado para governar quanto ela, ele é que é o mentor das idéias que levaram o Brasil a essa derrocada, com o agravante que ele é muito mais desqualificado moralmente, descarado, mentiroso, trapaceiro e perigoso.

Será que existe ainda algum imbecil que pode achar que se o Lula estivesse no lugar da dilma as coisas seriam diferentes?
Com certeza deve ter quem diga que seriam diferentes para PIOR.

Reply

Eu ainda acho triste que 33% a considerem de regular para cima. Um absurdo, mesmo para um país de analfabetos funcionais.

Reply

Muy buenas Coronel.
Achei na coluna do Augusto Nunes:

"O #VaiaDilma é o maior programa social de distribuição de renda do país. É só vaiar que você passa automaticamente para a elite burguesa”."

Reply

E nada a respeito da responsabilidade do Lula? Afinal, ele é o dono da lambança toda. Dilma foi uma invenção de Lula.

Reply

CORONEL

Gostaria de saber com quais escudos ainda conta o ratão felpudo.Seus escudos e escudeiros estão estropiados, amarrotados, quase que imprestáveis.De que esperanças se alimenta a esta altura?

Reply

A situação de Dilma há muito tempo é um mar de constrangimentos, se tivesse um pingo de dignidade já teria saído. Mas esperar dignidade de petista é completamente fora da realidade, não faz parte da natureza deles.

Reply
fred oliveira mod

Bom, muito bom que cerca de 68% achem Lula culpado pelo petrolao, quase na mesma proporçao que Dilma, o que implica que o povo ja' fez a associaçao direta entre criatura e criador. Ele e' ela e ela e' ele. Nao foi isso que ele sempre vendeu? Outra coisa que chamou a atençao foi o fatoda grande maioria dos entrevistados ( mais de 90%) nao esteve nas manifestaçoes, o que da' a ideia de como o governo esta' frito e ha' um enorme espaço para aumentar o numero de manifestantes. E por fim, outro dado comprova, indiretamente, como o brasileiro nao acredita na Justiça: simplesmente mais de 60% nao acreditam que os politicos serao punidos. Espero que os magistrados que os julgarao tenham conhecimento desta pesquisa e estejam atentos ao que o povo pensa a seu respeito.

Reply

A CNT MDA poderia fazer uma simulação entre Aécio x Lula , porque esse é o cenário para 2018.

Tenho a impressão de que hoje o Aécio venceria. Com facilidade. Oxalá.

Reply

Ao anônimo das 17:29. Tá de brincadeira né? Em 1999, exceto por greve de sindicatos, nem de longe houve movimentos contra um governo como vemos agora.

Se é pra comparar, compare-se com Collor né! Ambos os governos com esquemas milionários (ou bilionários) de corrupção e povo na rua. Eu disse povo, não agremiações de "movimentos organizados".

Lembro que Collor caiu com a ajuda dos movimentos de rua, que o postante parece desmerecer.

De resto, pau nos petralhas!

Reply

Nesses 10% consta um professor que conheço. Petralha como poucos, no dia das manifestações, elle postou no Face que

"Dilma foi eleita democraticamente" insinuando que o movimento que toma o país é golpista. Não resiste a informá-lo que o impeachment também é um processo democrático e previsto em lei.

"Que o ódio ao PT teria outros motivos". Basicamente, a velha história da raiva porque "400 bilhões de brasileiros" deixaram de ser pobres, a elite branca e todo o resto do arsenal de bobagens.

Tive de responder que se um país falido e um partido que teve vários membros trancafiados por roubo de dinheiro público, estatais saqueadas, etc, etc, etc, dinheiro esse que faz falta até mesmo na universidade onde eLLe trabalha não é motivo suficiente para detestar o partido mais corrupto da históriadessepaiz... das duas uma: ou ele é surdo e analfabeto funcional ou conivente. Em ambos os casos, nem Jesus na causa!

Reply