Seguro-desemprego: Dilma cede e queima Levy para atender PT e centrais sindicais.

(Da Folha) O governo já admite reservadamente que vai ceder às centrais sindicais e rever parte das mudanças nas regras do seguro-desemprego que endureceram o acesso ao benefício trabalhista. Segundo a Folha apurou, a equipe da presidente Dilma chegou à conclusão de que, sem alterações, a medida provisória que restringiu o benefício não será aprovada no Congresso Nacional. 

Assessores presidenciais disseram à reportagem que, diante da reação contrária de lideranças sindicais, a estratégia era fazer concessões durante a fase de tramitação da proposta no Legislativo. Agora, após declarações do ministro Joaquim Levy (Fazenda) avaliadas pelo Palácio do Planalto como infelizes, a equipe de Dilma acredita que pode ser obrigada a sinalizar mais concretamente o que irá mudar na próxima reunião com as centrais sindicais, em 3 de fevereiro. 

Na semana passada, em Davos (Suíça), Levy chamou de "ultrapassado" o modelo do seguro-desemprego, o que irritou sindicalistas e até assessores de Dilma. Seu colega Miguel Rossetto (Secretaria-Geral da Presidência) divulgou nota no sábado (24) classificando o seguro-desemprego como "cláusula pétrea" dos direitos dos trabalhadores. O próprio Levy reconheceu internamente no governo que não foi feliz em suas declarações. Ele defende mudanças no sistema, mas sem retirar direitos trabalhistas. 

JOVENS
 
Segundo a Folha apurou, o governo pode mudar o período de carência para concessão do benefício na primeira solicitação feita pelo trabalhador. As centrais sindicais consideram que essa regra prejudica principalmente jovens num período da economia em que deve haver alta de desemprego nesta faixa. 

Pelas regras definidas pela equipe econômica, a carência subiria de 6 para 18 meses nos últimos 24 meses trabalhados na primeira solicitação do benefício. No segundo pedido, o prazo passou de 6 para 12 meses nos últimos 16 meses trabalhados. Na terceira, foi mantida a carência de seis meses. O governo também propôs mudanças no abono salarial, no seguro-defeso (pago a pescadores no período de proibição da pesca) e na pensão pós-morte. 

Lançado no fim de 2014, o pacote de mudanças em benefícios trabalhistas e previdenciários visa economizar R$ 18 bilhões neste ano para reequilibrar as contas públicas. São R$ 9 bilhões apenas com o seguro-desemprego. 

Presidente da Força Sindical, Miguel Torres diz que mudar só a carência do seguro-desemprego não é "suficiente". Ele também defende ajustes no seguro-defeso e na pensão pós-morte.
Presidente da CUT, Vagner Freitas defende mudanças em todas as medidas. As centrais estão organizando manifestações contra as propostas, classificadas por elas de conservadoras.

13 comentários

meu caro(AINDA Ministo Levy. Pegue o seu chapéu antes que seja tarde e leve o colega do planejamento junto com v. Deixe para a presidenta Dilma e seus compinchas consertarem as burradas que fizeram (e continuam fazendo) porque eles irão lhes queimar.Anote bem: enquanto o PT estiver no governo, nada de útil para pôr ordem na casa, será feito.Mas, fique frio - o dia da falência total está a cada dia mais perto e por isto - caiam fora - para não levarem a culpa.

Reply

Levy ali não faz o menor sentido; pra mim, tem coisa errada (só não sei o que)

Reply

Coronel,

Dilma quer falir o Brasil como faliu a lojinha de R$1,99.
Simples assim.

E se deixarmos, vai conseguir. Vamos deixar?

Flor Lilás

Reply

Coronel,

off - Cristina - A Ditadora

Cristina - A Louca acaba de decretar o fim da Secretaria de Inteligência na Argentina. Interessante. Morre no domingo o protomotor que a denunciaria na segunda-feira por conluio com o Irã e o amiguinho da Dna Dilma - Ahmadinejad, e na semana seguinte Cristina - A Louca decreta o fim de um órgão investigativo.

Pobre América Latrina.

Flor Lilás

Reply

Coronel,

Dilmaldita, economista de fundo de quintal, não vai deixar Levy fazer o que sabe.

E nós cada vez mais afundaremos neste mar de lama!

Particularmente concordo que há necessidade de cortes, antes que seja muito tarde e todo o sistema entre em falência. Vide a Grécia.

Flor Lilás

Reply

Começou a operação "queima bucha". Quando o bucha terminar de aumentar os impostos e outros serviços sujos, será substituído por um Mercadante da vida.

Reply

Governo que já detinha credibilidade mínima, agora sendo OBRIGADO a voltar atrás, fica com credibilidade ZERO.

Reply

O mercado vai reagir muito, mas muito mal se Dilma fizer isso. Diria que é o prego no caixão do seu segundo mandato e no nosso futuro.

Reply
fred oliveira mod

Se Levy pedir as contas o mercado vai à lona e tudo degringola. Se ele ficar, tudo degringola no pouco prestígio que resta para a presidente. Os governos de Lula e Dilma, com o populismo atrasado que cultivaram, levaram o país a essa situação. Deixaram a inflação crescer, a produtividade e a educação falirem e a saúde do brasileiro ser uma verdadeira doença. Agora, só remédio amargo.

Reply

Esse Levy.....o seu pecado foi não resistir ao convite para o ministério. Seu ego dominou a razão e ele mergulhou na trolha. Acho que ele já sabe onde se meteu, mas é tarde demais para sair de cara limpa.
Nós, meros mortais, muitas vezes nos consideramos uns medíocres quando comparamos nosso CV ao de pessoas bem sucedidas como o Levy ou o FHC, só para dar exemplos. Mas o que esses caras fazem serve para mostrar que são tão medíocres como nós. O Levy acaba de nos dar um belo exemplo de uma decisão desastrosa ao assumir o ministério. O FHC, por exemplo, no episódio do reconhecimento da paternidade de um filho que ele "achava" ser seu mas que não era, deu prova cabal de uma idiotice sem igual.
Conclusão: esse pessoal que muitas vezes determina o curso de nossas vidas com seus atos tresloucados são tão ou mais medíocres que nós mesmos.

Reply

E o por que esse ministro corneado de Bandillma faz que ainda não tomou simancol e pediu demissão?

Também, com aquela cara, é o último a saber...

Reply

Cel
Para que adiar o desiderato? Que a Anta, como boa mula que é, demita o Levy e chame o "brilhante" Mercadante para ser Ministro da Fazenda ou o Mantega de volta. Eles são meros joguetes na mão da "presidenta" e farão tudo o que ela quer, além de serem incompetentes. Assim, terminam o trabalho de afundar de vez o Brasil. Pronto! Asunto resolvido.
Esther

Reply

"Levy ali não faz o menor sentido; pra mim, tem coisa errada (só não sei o que)" - André Miguel 06:15.
A coisa errada chama-se BANCO BRADESCO e seu Trabuco. Levy está lá para isso....

Reply